Área econômica culpa ‘lobby de servidores’ e sonha em reintroduzir itens na reforma

Resultado de imagem para reforma da previdencia charges

Charge do Gilmar (Arquivo Google)

Gerson Camarotti
G1 Política

A equipe econômica do governo avalia uma ofensiva contra o que chama de “lobby de servidores” na reforma da Previdência. O objetivo é reintroduzir na proposta itens retirados ou modificados pelo relator, Samuel Moreira (PSDB-SP), entre os quais, o trecho sobre a regra de transição.

O governo avalia que, se retomar a regra proposta, gerará de economia algo em torno de R$ 100 bilhões para os cofres públicos, fazendo com que a reforma gere uma economia total de R$ 960 bilhões. O valor inicial previsto pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, era de R$ 1,2 trilhão, em dez anos.

GUEDES X MAIA – Segundo relatos, quando foi informado sobre a mudança na regra de transição, Paulo Guedes enviou uma mensagem ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Disse que teria de atacar a mudança. E recebeu uma resposta de Maia. O deputado disse que, se Guedes atacasse, iria defender o Congresso.

Nesta sexta-feira (14), Guedes disse em uma entrevista que, se os deputados aprovarem o relatório de Samuel Moreira, irão “abortar a nova Previdência”.

Em resposta, Maia afirmou que o governo se transformou em uma “usina de crises permanente” e que a Câmara irá aprovar a reforma da Previdência (relembre no vídeo abaixo).

HAVIA RECUO – Conforme relatos de integrantes da equipe econômica, Paulo Guedes já havia aceitado recuar nos trechos que previam mudanças no Benefício de Prestação Continuada (BPC) e na aposentadoria rural.

Mas a retirada de estados e de municípios, além do “lobby de servidores”, fizeram com que Guedes considerasse isso negativo para a Previdência.

“Fizeram a reforma do Temer, mas com a popularidade do Bolsonaro”, resumiu ao blog um integrante do governo.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Paulo Guedes é um pobre menino rico, cheio de vontades. Achou que ia mandar uma proposta ao Congresso e seria aplaudido de pé. Não é assim que a coisa funciona. Os parlamentares são representantes do povo e têm de escolher a proposta que melhor atenda ao interesse público. Mas Guedes se recusa a entender essa realidade.

Se é assim, vamos dar uma dica ao ministro – Bolsonaro odeia quando Guedes critica o Congresso. (C.N.)

3 thoughts on “Área econômica culpa ‘lobby de servidores’ e sonha em reintroduzir itens na reforma

  1. Puro mimimi do sinistro paulo guedes para dar um conforto político à oposição para aprovar esta nefasta Reforma da Previdência Social.
    Ele não é pago para celebrar em público a sua vitória sobre os trabalhadores do Brasil, mas sim para realizar conquistas para os banqueiros e associados.

    Hoje a Tribuna da Internet ficou devendo a análise da notícia da falta de energia elétrica em 100% da Argentina e Uruguay.

  2. Se essa reforma da previdência for aprovada a miséria no Brasil vai aumentar de forma exponencial.

    Quanto a previdência privada (capitalização).

    1- Imagine um quadrado “A” (o regime atual=repartição) tem um histórico de superávits, com a DRU – desvinculação das receitas da união – onde o dinheiro do trabalhador vai para outras finalidades, começou o déficit. Contribuições de vários tipos vão para este quadrado “A”.

    2- Imagine um quadrado “B” (capitalização), com a entrada dos jovens na previdência privada o quadrado “A” começará a esvaziar até não ter mais dinheiro para os atuais e futuros aposentados. E no quadrado “B” entrarão recursos durante 40 anos sem sair, os banqueiros agradecem.

    Estão com os Srs. do congresso e com o povo também barrar essa reforma, principalmente no que tange os segurados do INSS,

    Não vamos apoiar nosso próprio calvário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *