Aroeira, autor da charge de Bolsonaro, diz que não é terrorista, mas está aterrorizado

Aroeira, sobre charge de Bolsonaro e suástica: "Deram mais ...

Como se vê, Aroeira não tem a menor jeito de terrorista

Renato Vasconcelos
Estadão

Renato Aroeira estava em seu apartamento no Leblon, sentado na mesma cadeira onde tem passado a maior parte do tempo desde que se instaurou a quarentena na cidade do Rio, quando levou um susto ao ler o noticiário dessa segunda-feira, 15. Aos 66 anos, quase 50 deles dedicados à profissão de chargista, o mineiro nascido em Belo Horizonte se viu na posição de “inimigo público” pela primeira vez na vida.

Aroeira é um dos alvos do pedido de investigação protocolado na Procuradoria-Geral da República (PGR) pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça. Com aval do presidente Jair Bolsonaro, o ministro solicitou, com base na Lei de Segurança Nacional, a abertura de um inquérito sobre uma postagem do jornalista Ricardo Noblat, que compartilhava uma charge sobre Bolsonaro. O autor: o próprio Aroeira.

A PRIMEIRA VEZ – “Fiquei muito tenso, porque apesar de já ter sido processado, é a primeira vez que sou questionado pelo Estado. Nem na ditadura militar isso aconteceu. Até então, eu tive processos partindo de personalidades, autoridades, governadores… o escambau. Mas é a primeira vez que viro inimigo público. Isso me deixou angustiado e nervoso.”

Apesar do receio de potencialmente virar alvo de uma ação criminal movida pelo Estado, o cartunista faz piada da possibilidade de ser considerado um ‘terrorista’ por ser enquadrado na Lei de Segurança Nacional.

“Eu sou mais um aterrorizado que um terrorista. Eu sou um cara que está apavorado com a inconsequência desse pessoal do governo. Sou um sujeito que está tenso com a abertura (das medidas de isolamento), quando não era isso que a gente tinha que fazer. Eu fico atônito quando vem o presidente falar que precisa invadir hospital! É difícil a gente não ficar indignado”, disse.

Bolsonaro criou a Secretaria da Censura, diz chargista Aroeira ...CRUZ ADAPTADA – A charge em questão mostra uma cruz vermelha, símbolo universal para serviços de saúde, com as pontas pintadas de preto, formando uma suástica nazista. Ao lado, uma caricatura de Bolsonaro segura uma lata de tinta preta, e diz: “Bora invadir outro?”. A sátira foi publicada após o presidente sugerir, durante uma live, que seus apoiadores entrassem em hospitais de campanha e filmassem a situação encontrada.

“Pode ser que eu esteja equivocado, mas na totalidade ou em grande parte ninguém perdeu a vida por falta de respirador ou leito de UTI. Pode ser que tenha acontecido um caso ou outro. Seria bom você, na ponta da linha, tem um hospital de campanha aí perto de você, um hospital público, arranja uma maneira de entrar e filmar. Muita gente tá fazendo isso, mas mais gente tem que fazer para mostrar se os leitos estão ocupados ou não, se os gastos são compatíveis ou não”, sugeriu Bolsonaro na semana passada.

HOSPITAIS INVADIDOS – Após a fala do presidente. ao menos dois hospitais foram ‘invadidos’ por bolsonaristas, o que gerou a abertura de um inquérito por solicitação do procurador-geral da República, Augusto Aras.

Pouco tempo depois do anúncio do ministro da Justiça sobre o pedido de investigação contra Aroeira, uma rede de solidariedade se formou ao redor do chargista. Companheiros de profissão, músicos e escritores lançaram a campanha #SomosTodosAroeira nas redes sociais e fizeram um abaixo assinado virtual que conseguiu mais de 10 mil assinaturas até o começo da tarde desta terça-feira.

“A solidariedade dos meus amigos me deixou muito feliz, a ponto de dar taquicardia e eu ter que tomar água com açúcar”, contou. “Embora eu seja uma ‘puta velha’ em relação a processos, esse será o meu quinto – ou melhor, seria, porque eu espero que não chegue a tanto -, eu preferia que nada disso tivesse acontecido. Nos quatro anteriores, eu perdi dois e ganhei um e meio.”

22 thoughts on “Aroeira, autor da charge de Bolsonaro, diz que não é terrorista, mas está aterrorizado

  1. Renato Aroeira serve de exemplo do quanto as autoridades brasileiras são cínicas e hipócritas:
    Adoram arrotar que estamos em democracia;
    se comprazem declarando que existe plena liberdade de expressão;
    porém, reagem com o poder que possuem para punir quem ousar criticá-los ou postar uma que outra charge demonstrando o ridículo de suas atuações|!

    Se Aroeira exagerou ou não, a questão não é essa.
    O chargista simplesmente foi sensível ao momento atual no que diz respeito à gravidade da pandemia, e o descaso, o desdém, de Bolsonaro com relação às mortes ocasionadas pelo coronavírus.

    Logo, a charge muito bem feita e criativa, de usar a cruz vermelha aproximando-a da suástica em cores pretas. lembrando exatamente os mortos, que atingiram ontem mais de 45 mil vítimas no país onde Bolsonaro – ou eu deveria escrever “Bolsoasno”? -, quando declarou que se tratava de uma “gripezinha”.

    Minha solidariedade ao chargista e mineiro/carioca, que usou uma das prerrogativas da suposta democracia, que arrotam existir no país, desde que isentem, preservem, não façam alusão alguma às autoridades constituídas, pois infalíveis, corretas, sérias, probas, bem intencionadas, competentes, eficientes, e que sempre têm seus pensamentos voltados para o povo!

    Claro, Aroeira fez a charge e, eu, escrevi sobre ficção!

  2. Esse caso é um belo exemplo da pegadinha mentirosa daquele ditado segundo o qual:

    “Se é inocente, não tem o que temer” ou
    “Quem não deve, não teme”

    Pelo contrário, sendo inocente, não devendo, é aí que a pessoa precisa temer.

    Festejado no estudo da Psicologia Judiciária, o italiano Enrico Altavilla escreveu algo do tipo:

    “É muito fácil condenar um inocente. Basta um Policial corrupto e um Juiz desatento”

    Na Itália, terra do autor, para melhor contextualizar, existe a Polícia e os Magistrado de Acusação (o Promotor aqui) e Magistrado (Juiz).

    • Tudo é consequência do voto.

      É só o eleitor votar com consciência.

      Quem faz as leis são parlamentares eleitos. Quem governa, também são os eleitos. Quem escolhe o integrante do STF ou sabatina a escolha, são também aqueles eleitos.

      Vou só trazer o exemplo do RJ.
      No Senado, coloca gente como Romário, Arolde de Oliveira, Flávio Bolsonaro.

      Todos os últimos governadores já visitaram a prisão e alguns permanecem presos.

      O que esperar disso?

  3. Aroeira, cuja casca possui propriedades antianêmica, cicatrizante, anti-inflamatória bem como ANT DIARREICA. Então, como é que esse cabra já está se vazando, antes mesmo da Familícia Bolsonavírus lançar as facções cariocas no encalço dele?
    Façamos um trato: acho que tu tens piolhos na cabeça. Vamos lá: tu catas a da vzinha; e o vizinho CATA a TUA.
    Oi, e por mencionar CATATUA, essa que exibes no ombro, é certificada pelos órgãos ambientais? Cuidado, Jair Messias pode acionar os fragmentos que ele deixou do IBAMA e jogar sobre ti.

      • Cada um dá a certificação na que tem. Que não pertence à fauna nacional eu sei e não é de hoje. Mas foi o elo que encontrei para estabelecer um motivo punitivo de Bolsonaro contra Aroeira. Por isso, não sei se observaste, grafei CATATUA, para correlacionarar com piolho.
        Ademais, o Brasil é o maior produtor de “whisky escocês do mundo! Senti que mordeu!

        • É, sim. Você citou piolhos e fez essa ligação.
          Sobre o Ibama, apenas basta do criadouro da espécie. Somente se a ave for importada é que precisaria (acho).
          Sobre o whisky, não sabia.
          – Mas o correto não seria falar Whisky do tipo escocês (?) porque Whisky escocês propriamente dito parece descabido.
          Eu tenho aqui o glenmorangie e o Glenfidditch que são de origem escocesa, e não do tipo.

  4. O EU não é importante aqui, mas preciso dizer na primeira pessoa: eu fiquei decepcionado com o que escutei hoje pela manhã do prez e do vice.
    O presidente declarouque vai tomar medidas legais para proteger os direitos dos brasileiros! Por favor presidente, não precisa tanto – basta se portar decentemente, como um homem educado, como gente.
    O vice, por sua vez, dirigiu-se ao público como se falasse para uma turma de frequentadores de botequim de esquina – sem palavrões como o chefão, mas com argumentos pobres e sem o verniz que se espera de um ex general. Entremeou a fala com metáfora futebolística e afirmou que o nosso problema é emotivo e não institucional (bosta, estrume, esticar a corda, tudo isso é linguajar emotilvo, segundo o ex general).
    Pásargada continua no mesmo lugar?

  5. É de lascar, contra o Presidente pode tudo tudo é liberdade de expressão. Agora os que apoiam o governo são CENSURADOS, são massacrados são presos têm que serem educados não podem chamar o Toffoli de fela da puta né?
    Esse Aroeira tem lado ele é militante comunista. Mostra uma charge dele sobre o LULADRÃO, Zé Dirceu , Dollares na Cueca. Tenham santa paciência. Acabou porra.
    Ah país vagabundo.

  6. Prezado Abrantes de Lacerda,

    ” contra o Presidente pode tudo tudo é liberdade de expressão. Agora os que apoiam o governo são CENSURADOS, são massacrados são presos têm que serem educados …”

    QUEM DERA, QUEM DERA, Lacerda.

    Saúde e paz!
    Te cuida, pois até a pandemia é contra Bolsonaro!

  7. Ao implicar com o chargista, Bolsonaro somente vai vestindo a carapuça de ser um portador das mais vis características, que passam pelo neofascismo, reacionarismo e neonazismo.

    Nem é preciso lupa para ver isso nele e em inúmeros dos seus fiéis seguidores.

    • Não estou dizendo que eu concordo. mas, não pode usar símbolos nazistas, mesmo que for disfarçando que está acusando os outros; foi a própria vagabundagem que esse chargista defende que inventou essa lei. Imagine se o Bolsonaro começasse a fazer a mesma coisa. O objetivo do esquerdismo, é esse mesmo; criar discórdia, para atrapalhar a evolução das conversações.

  8. Ao Leão da Montanha: commo no celular não deu para eu ler a sua tréplica, resolvi postar esta:
    Quem habita, na MONTANHA, ainda mais quando é o REI, deveria estar muito bem inteirado, acerca de um assunto tão pertinente ao ambiente oreográfico ou orográfico.
    A exemplo de briga de marido e mulher, que abriu espaço para quaisquer cidadãos meterem a colher, assim é hoje a proteção e controle dos animais, virou uma questão cosmopolita e transnacional. Veja a licença equivalente abaixo:

    http://www.portalconsular.itamaraty.gov.br/retorno-ao-brasil/entrada-de-animais-no-brasil

    https://www.ibama.gov.br/cites-e-comercio-exterior/licenca-cites/licenca-de-importacao-exportacao-especimes-da-fauna

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *