Ary Fontoura pede que Dilma renuncie à roubalheiras e ao PT

O comediante Ary Fontoura fala sério com Dilma Rousseff

 

VOTOS DE RENÚNCIA
Ary Fontoura

Meu nome é Ary Fontoura, sou brasileiro, tenho 81 anos, e exerço o ofício de ator. Acredito que, por também ser uma figura pública, Vossa Excelência tenha assistido algum dos meus trabalhos, seja no teatro, no cinema, ou na televisão. Visto que vivemos num país onde a liberdade de expressão é primazia, venho solicitar, através desta carta, me utilizando desta rede social, em nome de mais de duzentos milhões de brasileiros, a sua renúncia. Esforço-me, contudo, em explicar o meu pedido e, antes, permita-me algumas considerações.

Já vivi o bastante e ao longo de todos esses anos pude ver um grande número de presidenciáveis que, desde a Proclamação da República, seja por indicação direta das Forças Armadas, por movimentos revolucionários, por Golpe Militar, ou por voto direto, governaram este país. Assim como a Senhora, sobrevivi aos duros Anos de Chumbo e, confesso, fui um admirador dos companheiros, cujos ideais socialistas lutaram contra o Regime Militar. Mas, depois de todo esse tempo, ainda aguardo um grande Presidente para o nosso país. E acrescento que continuaremos sem tê-lo, enquanto houver um “telefone vermelho” entre Brasília e o Guarujá ou São Bernardo do Campo.

Em 24 de agosto de 1954, o Presidente Getúlio Vargas se matou em seu quarto com um tiro no peito. Na carta-testamento ele registrou: “Eu vos dei a minha vida. Agora ofereço a minha morte. Nada temo. Serenamente dou o primeiro passo no caminho da eternidade e saio da vida para entrar na história”, preferindo o suicídio a se submeter à humilhação que os adversários queriam com a sua renúncia.

JÂNIO RENUNCIOU

Em 1961, o então Presidente Jânio Quadros, alegando “forças ocultas”, renunciou e disse: “Desejei um Brasil para os brasileiros, afrontando, nesse sonho, a corrupção, a mentira e a covardia que subordinam os interesses gerais aos apetites e às ambições de grupos ou de indivíduos, inclusive do exterior. Sinto-me, porém, esmagado. Forças terríveis levantam-se contra mim e me intrigam ou infamam, até com a desculpa de colaboração”.

No próximo dia 1º, Vossa Excelência subirá a Rampa do Planalto em direção à governança. No entanto, a subida será solitária, ainda que partidária e com bases aliadas. Mas saiba que duzentos milhões de brasileiros, mais uma vez, subirão com a Senhora, na esperança de se desenvolverem como cidadãos, e de ascenderem coletivamente num país melhor. Por isso, reforço o meu pedido inicial de “renúncia”.

Como chefe maior dessa Nação, como Presidente ou Presidenta, renuncie à corrupção, aos corruptores, aos corrompíveis, aos corrompidos; renuncie à roubalheira política, aos escândalos na Petrobras; renuncie à falta de vergonha e aos salários elevados de muitos parlamentares; renuncie aos altos cargos tomados por ladrões; renuncie ao silêncio e ao “eu não sabia”; renuncie aos Mensaleiros; renuncie ao apadrinhamento político, aos parasitas, ao nepotismo; renuncie aos juros altos, aos impostos elevados, à volta da CPMF; renuncie à falta de planejamento, à economia estagnada; renuncie ao assistencialismo social eleitoreiro; renuncie à falta de saúde pública, de educação, de segurança (Unidade de Polícia Pacificadora não é orgulho para ninguém); renuncie ao desemprego; renuncie à miséria, à pobreza e à fome; renuncie aos companheiros políticos do passado, a velha forma de governar e, se necessário, renuncie ao PT.

ÉPOCA DE TRÉGUA

Dizem que o Natal é uma época de trégua e que em Brasília a guerra só recomeça depois do Ano Novo. Para entrar na história, porém, não será necessário ser extremista como Getúlio e Jânio e renunciar a Presidência da República, mas será necessário não renunciar ao seu país, ao seu povo. Governe com os opositores, governe com autonomia. Faça o seu Natal ser particularmente inspirador e se permita que a sua história futura seja coerente com o seu passado, porque o brasileiro tem o coração cheio de sonhos e alma tomada de esperanças.

(texto enviado por Mário Assis)

19 thoughts on “Ary Fontoura pede que Dilma renuncie à roubalheiras e ao PT

    • Sr. Armando, o ator é funcionário da Rede Globo, isso não o classifica como o senhor está fazendo supor, desculpe-me, mas seu comentário é irrelevante. Pergunto-me o que tem a ver uma coisa com a outra? Sou funcionária de um grupo empresarial onde não tenho a menor simpatia pelos donos, mas exerço minha função com competência e honradez.

  1. Ari Fontoura um dos melhores atores em atividade no Brasil.
    O texto é uma autêntica aula de brasilidade.
    Não há como ironizar, partindo de uma pessoa decente, e que quer o bem do Brasil.
    Tome dez , grande ator!

  2. O que acontecendo no Brasil é um absurdo. Há uma organização criminosa no poder, conforme afirmaram os julgadores da famosa Ação Penal 470, que continua roubando de uma forma tão profunda, que consegue rapar o Caixa 1, 2 e 3 de todos os Órgãos e Empresas Estatais do nosso País. E ainda tem um monte de idiotas misturados a um monte de bandidos defendendo a corja de vagabundos. Está chegando a hora de haver uma guerra civil. Está chegando a hora de darmos um basta e separarmos os trabalhadores e empresários honestos do resto. Essa petralhada e sua base alugada e comprada devem ser expulsos do nosso convívio. Que cometam os seus crimes longe de nós. Bom seria empacotar essa bandidagem e despejá-los lá na Coreia do Norte, na Venezuela e em Cuba.

  3. Ari Fontoura, excelente ator é um cidadão. tente lembrar, em sua longa e bela carreira, algum escândalo, algum deslise. Não lembro!

    Seus pedidos, com certeza, são os que fariam brasileiros de boa fé e boa índole.
    Não encontrei em sua manifestação mais do que verdade e vontade de terminar a vida vendo um país melhor.

    Quer apenas, um ato de grandeza administrativa, não política. Ella, Dillma, apenas segue os passos dos últimos prsidentes, principalmente de seu padrinho/inventor/feitor.

    Negociar, negociar sempre é o lema daqueles que, não sabendo, não querendo, não tendo coragem, não tendo capacidade e não sendo liderança, desejam governar de qualquer jeito, por qualquer forma que garanta o espaço conquistado por votos infames, deturpados e sonegados das consciência de uma parcela que tem de trocá-los por comida.

    Ari cometeu apenas um grande erro: acreditar ser possível um ato de grandeza, de nacionalismo, de caráter de alguém que, destes predicados, nenhum tem.

    Os verdadeiros estadistas se sacrificam por seu país e por seu povo. Os outros, são exploradores.

    Se alguém não sabe e não conhece o que seja políticos medíocre, olhe para aqueles que assumirão dia 1º de janeiro próximo. A maioria será pior do que os que sucederão. E não precisará pensar muito, só tentar escolher os melhores. Os contará com apenas alguns dedos, Talvez não consiga completar os dedos das duas mãos.

    Não atendido os pedidos, o único caminho legal e possível, caso haja continuidade da roubalheira e da falta de responsabilização, é o impeachment, de Dillma e do PT.

    É uma marca que o povo brasileiro precisa fixar na bandeira que os próprios petistas pisotearam e esfregaram no chão!

  4. Esta GovernAnta é tão governAnta , que alem de não entender, ela não passa de uma petralha convicta. Ary Fontoura , falou para as paredes, infelizmente! Mas não há mal que perdure, 2015 promete muitas emoções, dentre esta emoções o impeachment da presidAnta! Quem viver, verá!

  5. ” Siameses & Marsupiais”, os dois irmãos siameses (lula,fhc)., são ligados umbilicalmente pelo famoso “Clubinho do Bolinha”, tanto que os dois fizeram parte do tal Consenso.
    Questões analisadas pelo nosso companheiro de blog Sr. Antonio Santos Aquino e o Jornalista Helio Fernandes,
    Abaixo o texto.:

    Antonio Santos Aquino:

    “Hélio, sempre digo com convicção: Tudo o que escreves deve ser lido e refletido. Quanto a FHC ter “desfilado” no Consenso de Washington, corretissímo. O que esqueces de dizer, é que Luis Inácio da Silva (ainda não tinha incorporado Lula), estava lá na mesma hora e local, no IMF METING MEMBERES IN BRASIL: DIALOGO INTERAMERICANO. Juntamente com David Rockefeler (IMF),George Sultz (US Estate Secretary), Ronadld Regan (US Presidente), Donald Regan (Treasury Secretary), Jim Carter (IMF Councyl), Paul Voucker/James Backer (IMF), Jeffrey Sacchs, George B. Bush (Central Intelligency Agency). BRASIL: Batista Figueiredo, Delfim Neto (Braziliam Planning Ministery), Fernando Henrique Cardoso (US-Brazilian Embassy), Ernane Galveas (Finance Ministery), Pedro S. Malan (Brazilian economist), Luis Inácio da Silva (AFLCIO – member and Brasilian opposition deputy), Roberto Civita and Roberto Marinho (Brasilian Media), Cristina Pitanguy, Celso Laffer, Jaime Lerner (Curitiba Admnistration), Marco Maciel, Langone, Ricardo Semeler, José Goldenberg, Leopoldo Collor. MÉXICO: Herrera. CHILE: Pinochet. ARGENTINE: Menem, Videla, Viola.
    Fica faltando muita gente. Isso não é segredo, muita gente tem esse documento; inclusive gente do PT. Ninguém desmentiu. Foi em 1983, fazem portanto 27 anos. LULA NÃO É ESTA CRIANÇA INGÊNUA SOBREVIVENTE DA SÊCA, QUE TODO MUNDO APREGOA. LULA COMEÇOU CEDO. A fazer o que, e a serviço de quem, ninguém sabe. Ou sabe? PELO MENOS DEVERIA CRIAR UMA CPI PARA VER SE HOUVE CRIME NAS PRIVATIZAÇÕES. Nada fez; se houve crime, ele Lula é co-autor.”

    Comentário de Helio Fernandes:

    Foram dois encontros, Aquino. O primeiro, aqui no Rio (na Filial), em 1983, organizado pelo FMI, através de seu protegido FHC (também patrocinado pela Fundação Ford) que acabava de assumir a vaga de Montoro no Senado. Este se elegera governador, deixava 4 anos intactos para o “Sociólogo da parceria”).
    Foi sobre este que escrevi. Chamado de “Diálogos Interamericanos”, e determinado pelo FMI, participaram apenas economistas do próprio FMI, Banco Mundial, BID e de alguns países latinos. Mas é natural, apareceram “não economistas”, como Roberto Marinho, Roberto Civita, Marco Maciel e outros que detalharei a seguir.

    O segundo , em 1989, lá mesmo na capital dos EUA, que passou a ser conhecido como “Consenso de Washington”. Washington era a capital e CONSENSO, o contrário de DIÁLOGO. A mudança do nome do encontro era obrigatória .DIÁLOGO pressupõe debate, controvérsia, diferença de idéias e convicções.CONSENSO é a unanimidade (no caso, antecipada) a respeito do que se trataria e tratou mesmo. Só que com personagens mais importantes, com mais autoridade e objetivos.
    Dizes que foi em 1983, mas na verdade é uma tremenda confusão, entre esse 1983 e o seguinte, em 1989. Na realidade, é uma espantosa “salada” de nomes e de personalidades, que JAMAIS vieram ao Brasil. Em 1983, é evidente que, como citas, seria fato de REPERCUSSÃO INTERNACIONAL, a presença aqui do presidente Reagan, Jimmy Carter, Paulo Volcker, David Rockefeller (o mais importante financeiramente), Bush (o grandão da CIA, depois presidente), gostando ou não gostando, eram personalidades.
    Não escrevi sobre 1989, e esses naturalmente estavam presentes, o-b-r-i-g-a-t-o-r-i-a-m-e-n-t-e, junto com brasileiros que participaram dos DIÁLOGOS, no Rio.
    Sobre 1983, Lula não estava presente, era um sindicalista desconhecido. Também não era deputado em 1983. Foi candidato a governador de São Paulo em 1982, tirou penúltimo lugar, foi se eleger deputado em 1986. Na Constituinte. Sem qualquer importância, na verdade deixou apenas uma frase primária, que repercutiu contra ele: “O Congresso tem 300 PICARETAS”.
    Pelos nomes que colocas em destaque, deves estar falando mesmo sobre 1989 e não 1983. Excluindo os brasileiros, (muitos estiveram em 1983 e 1989, e estariam em quantos outros se realizassem), alguns nomes não poderiam ter vindo em 1983 ao Rio e não vieram mesmo.
    Como escrevi intensamente sobre os DIÁLOGOS, e sei pouco sobre o já denominado CONSENSO, tratemos do encontro do Rio. Seguindo a tua lista, e começando por Pinochet, o ditador de plantão no Chile, que em 1983 não podia sair do Chile.
    Imposto pelos Eua, deposto muitos anos depois pela revolta do povo, liderado por lutadores torturados, marginalizados, revoltados, muitos representando os milhares que foram AS-S-A-S-S-I-N-A-D-O-S por Pinochet. Ainda não havia sido feito o extraordinário filme do cineasta Costa Gavras, contando o golpe, a destruição do palácio presidencial e a morte de Allende, que não se entregou.
    (De passagem e para constatar a isenção, a insuspeição e a profissionalização de Costa Gavras, a confirmação. Ele fez três sobre regimes ditatoriais, sempreCONDENANDO-OS. O primeiro foi “Confissão”, libelo sobre a União Soviética. Depois esse “Desaparecido”, revelando toda a participação dos EUA. E o terceiro, “Estado de Sítio”, a respeito da ditadura do Brasil).
    O selvagem ditador do Chile, tinha o prazer enorme de passar madrugadas em subterrâneos de tortura, dizem que participava, não se limitava a assistir.
    Como só tratei de 1983 (e referência aleatória, alguma coisa de 1989), não coloquei os cruéis e selvagens generais torturadores, Videla e Viola. Em 1983 a ditadura da Argentina estava sendo derrubada, em 1989 não seriam bem recebidos, os EUA estavam na fase de recuperação.
    No Rio, na primeira reunião dos “Diálogos”, alguém do FMI, que dominava o “Encontro”, sugeriu o nome de FHC para presidente, gargalhada geral. Mas aconteceria 11 anos depois, 1994, o que vem provar a minha teoria de que quase tudo tem como base o DESTINO.
    (Ou então o FMI era poderoso mesmo. Deve ser. Em 1955, viajando por quase 40 dias, como presidente eleito e ainda não empossado, Juscelino ouviu de Salazar: “Presidente, se quiser governar seu mandato inteiro, não negocie com o FMI nem faça reforma cambial”. Veio gente, (estávamos nos jardins do palácio presidencial), Juscelino não pôde pedir explicações, depois lembrei a ele: “Presidente, Salazar é ditador, mas foi o mais importante professor de Finanças da Universidade de Coimbra”. (Mas JK continuou intrigado).
    Muito do que publiquei era de informação (ou até “informe”, como dizem os militares), não tive acesso ao documento que você agora transcreve, traz entre parênteses e em inglês mesmo, a identificação com a qual se apresentavam nessa reunião tão excêntrica, diversa, variada, com gente tão poderosa.
    Roberto Marinho e Roberto Civita, (que eu não revelei como presentes ao encontro) eram participantes natos, por direito de conquista e de r-e-c-i-p -r-o-c-i-d-a-d-e, palavras exuberantes, fascinantes, delinquentes.
    Civita volta às origens do enriquecimento e a libertação do trânsito entre as potências . Italiano, expulso da Itália, foi para a Argentina, de onde teve que fugir para não ser preso, “bateu” nos EUA, onde se capitalizou para ser o “pombo correio” dos interesses dos EUA no Brasil. Tinha que estar nesse Consenso, para ser visto, prestar contas, receber os cumprimentos “pelo belo trabalho feito no Brasil em apenas 15 anos”.
    Roberto Marinho compareceu em 1983 e 1989, com o indispensável “ghost-writer” (de som e de texto), não sabia escrever e não falava uma palavra do que se conversava no Consenso, perdão, de uma usava e abusava: “OK”. Essa ele sabia de “cor e salteado”, por intuição e interesse, tinha certeza de que servia para tudo.
    Era a primeira vez que ia ao EUA depois de enganar o pessoal do Time-Life e inaugurar sua extraordinária potência “jornalística”. A princípio ficou meio constrangido. Mas os americandos fizeram tanta festa a ele, que compreendeu logo: estava servindo melhor aos interesses homenageados no “Consenso” do que o pessoal do Time-Life executaria.
    A TV Globo começou em 1965, estava aqui em 1983. E lá em 1989. Voltou satisfeitíssimo, provocando raiva e ressentimento do próprio Civita, que se julgava “mais da casa do que Marinho”.
    Mas gostou de receber os cumprimentos “pelo belo trabalho feito no Brasil em apenas 18 anos”.
    ***
    PS – Aquino: “Lula começou cedo a fazer e a lucrar, de quem, ninguém sabe. Ou sabe? (Isso em 1989, Lula já presidenciável, esteve na Matriz).
    PS2 – “Pelo menos deveria criar uma CPI para investigar as privatizações, para ver se houve crime. Nada fez. Se houve crime, Lula é co-autor”. (Concordo, já disse várias vezes).
    PS3 – Nem preciso dizer, Aquino, que CONCORDO inteiramente com muito. Desde o governo do próprio FHC, vinha pedindo investigação sobre essasPRIVATIZAÇÕES-DOAÇÕES, e o enriquecimento de TODOS, MAS TODOS MESMO que integraram a infame COMISSÃO DE DESESTATIZAÇÃO.
    PS4 – Cheguei a escrever que a ENTREGA DE UMA PARTE ENORME DO NOSSO PATRIMÔNIO, deveria levar toda essa Comissão, à cadeia, por crime hediondo.
    PS5 – Não parei um momento. E assim que Lula tomou posse, comecei a insistir, jornalísticamente, para que ANULASSE TUDO. Não anulou e seu então poderosoDONO do Ministério da Imprensa, (um japonesinho cujo nome esqueci) afirmou: “Enquanto estiver aqui, a Tribuna da Imprensa não receberá nenhuma publicidade”.
    PS6 – Não recebemos mesmo, ninguém protestou, esse japonesinho só fazia o que Lula mandava.
    PS7 – Agora, na hora de deixar o governo, pelo menos na aparência, em discurso público, Lula afirma: “EU SOU a opinião pública, o povo não precisa MAIS de formadores de opiniã.
    PS8 – Saiu NÓS, foi descuido, desprezo e desisteresse do presidente. Quanto a esse MAIS, Lula, espertíssimo, colocou para justificar os 25 BILHÕES de “”publicidade” que DEU, ano a ano, a esses órgãos que NÃO FORMAM MAIS OPINIÃO. Se NÃO FORMAM MAIS, a conclusão é de que FORMAVAM ANTES.
    HÉLIO FERNANDES NO SITE DA TRIBUNA DA IMPRENSA (22.09.2010)

  6. Respeitosamente, Ary Fontoura pede o mesmo que venho fazendo há mais tempo neste espaço democrático!
    Diante da falta de autoridade moral deste governo, tenho encerrado alguns comentários escrevendo o seguinte:
    Se a presidente Dilma FOSSE honesta, RENUNCIARIA!
    O ator em questão é mais um que aumenta o contingente dos que entendem ser esta a única saída honrosa para Dilma, caso, além de honesta fosse também inteligente.
    Evidentemente que tenho mais esperança na primeira hipótese!

  7. Infelizmente dentro de nosso atual Sistema Político ( Presidência de Coalizão disputado entre 32 Partidos Políticos na atualidade, e mais 42 no forno, Falta de Cláusula de Barreira, Voto Proporcional, Voto Obrigatório; 2º Turno, o que obriga os dois Partidos mais Votados a “comprar” apoio dos outros 30, sim, porque ali ninguém dá nada de graça para outro Partido; a “horrível visão” de como facilmente o Câmara dos Deputados impietchou o Presidente COLLOR e o Senado iria julgar, quase sem provas Legais, tanto que o Supremo depois o inocentou, etc,etc). …
    Tudo isso e muito mais, impedem que a Presidenta DILMA aceite “o bom Pedido do Ator e Cidadão Sr. ARY FONTOURA”, sob pena de cometer SUICÍDIO POLÍTICO.
    É como tendo um quarto escuro cheio de cobras venenosas: jararacas, cascavéis, corais, cruzeiras, coatiaras…. só para citar as Nacionais, e dizer com Palavras Bonitas, o PEDIDO, que na prática significa: Sra. Presidenta DILMA, tire as botas e entre no quarto “descalça”, e caminhe a vontade.
    Para obedecer ao bom PEDIDO, temos primeiro que”mudar para melhor” NOSSO DESORGANIZADO, CARO E INEFICIENTE SISTEMA POLÍTICO.

  8. O sistema político nosso já era ruim com 20 ministérios. Com 40, criados pelo PT, para comprar uma base aliada majoritária no congresso, piorou o dobro.
    O resultado é que até Ari Fontoura, como qualquer cidadão consciente, se viu na obrigação de dar também seu grito de indignação.

  9. Meu bom Companheiro Sr. MAURO JÚLIO VIEIRA. Quanto mais Partidos Políticos se formam, mais MINISTÉRIOS serão necessários para “comprar o seu APOIO”, a começar por seu Tempo de TV. Logo, logo teremos 60 Ministérios. E dentro desse SISTEMA POLÍTICO, nenhum Presidente que não “compre” sua ampla BASE ALIADA, dança.
    Não adianta o CIDADÃO se “indignar”, especialmente PESSOAS PÚBLICAS, sem apontar ao POVO, a causa maior
    da “Roubalheira”, nosso mau SISTEMA POLÍTICO. Abrs.

  10. Carlos Vereza e Ari Fontoura, exemplos de artistas talentosos, sérios e honestos. Em vez de idolatrar Lobão e Dado Dolabela, por que não aplaudir gente inteligente de verdade ?

  11. O Ary Fontoura perdeu uma grande oportunidade de continuar sendo um bom ator. Uma pessoa que trabalha numa emissora que é nascida no bojo da ditadura militar, e ele se submete a trabalhar exatamente lá, mesmo, segundo ele, ter “sobrevivido” aos duros anos de chumbo, anos estes amparado pela complacência e conivência da emissora dos seus patrões, segundo edital de confissão da própria emissora, não deveria pretender ser o moralista da hora. Deveria lembrar que os seus patrões representam exatamente o que ele cobra do atual governo.

  12. Acho que você tem razão, o PT mudou seus conceitos e para muito pior, enquanto a Globo não mudou nada, ela continua sendo o cancro na vida política nacional. Começou com a ditadura e enriqueceu os Marinhos, por ter sido o instrumento protetor do que tem de pior no cenário político brasileiro. Por isso estou torcendo pela lei de Medios, implantada na Argentina e no México e tomara que a Dilma, independente do PT, tenha coragem para isso.
    Tentar diminuir esse cartel absurdo, que leva inclusive, atores regulares, serem considerados astros, por fazer uma ou outra novela e achar que podem ficar criticando quem quiser, quando vivem as custas, exatamente da empresa que representa tudo o que eles contestam.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *