As incertezas de 3 dias, a prorrogao por 3 meses, e a consolidao de uma Repblica, que nasceu defeituosa. Poder superar as dificuldades que esto visveis num governo com a validade vencida?

Helio Fernandes

Nenhuma novidade, as sucesses sempre foram complicadas no Brasil, por causa disso, nossa Histria registra quase sempre o mesmo nmero de presidentes eleitos (?) e de vices que assumiram, pelos mesmos problemas. Vices ambiciosos, efetivos sem o lastro poltico-eleitoral, muitos sem resistirem longevidade na qual tanto se fala.

No primeiro governo dito Republicano, os marechais das Alagoas se hostilizaram, se confrontaram, se derrubaram. E logo a primeira Constituio no foi cumprida, mandava fazer eleio para a substituio de Deodoro, que ficara apenas 8 meses no cargo. S que Floriano, que precisava convocar essa eleio, decidiu se manter, nem o Supremo conseguiu IMPEDIR os seus 4 anos (queria mais) ILEGTIMOS.

O segundo presidente e primeiro civil, Prudente de Moraes, (o verdadeiro consolidador da Repblica, se que se pode usar essa palavra) ficou doente, teve que ir para o hospital para uma operao difcil. Assumiu seu vice, Manuel Vitorino, que subverteu toda a rotina, a hierarquia e o que se esperava.

Simplesmente mudou a sede do governo, comprou um palcio novo (o do Catete), demitiu todo o ministrio, ficou mais de 6 meses como se fosse o verdadeiro presidente. Milagrosamente Prudente se recuperou, voltou ao palcio, perdo, ia l pela primeira vez, demitiu o vice atravs de recado enviado por um contnuo. Completou o mandato, no faltava muito.

Esses fatos, com a entronizao do vice, se sucederam das formas as mais diversas. Muitos assumiram uma parte do mandato, chegando ao mximo com Jos Sarney, que preencheu (?) os 5 anos do mandato que no era dele. E ainda queria 6, achava que era o que lhe deviam.

Tudo continuou incerto e sem convico, a Repblica que no era e continua no sendo a dos nossos sonhos ou expectativa, ainda sofreu duas derrotas, para ditaduras que no conseguiam superar a ambio. Queriam o poder de qualquer maneira, no tinham confiana na escolha do cidado-contribuinte-eleitor.

Agora chegamos total complicao. Faltam 3 dias para a farsa da eleio, sem partidos, sem candidatos legtimos, pois no h conveno, apenas com a OBRIGAO DE VOTAR, por imposio que o cidado no pode nem desobedecer.

E como em todas as pocas, aquele que ser eleito, ter que enfrentar terrveis problemas. No sabe como e o que ir fazer, no tm o menor compromisso com o povo e o pas, os candidatos no assumiram compromissos. Se divertiram e usaram o tempo apenas criando e respondendo baixarias.

No acredito nem dou fora a pesquisas, tm errado tantas vezes em tantos pases, que qualquer desconfiana justificada ou justificvel. Mas aparentemente, ser eleita mesmo Dona Dilma, Serra jamais ser presidente, Dona Marina vem crescendo lentamente, (migalhas de expectativas). Mas alm do 3 de outubro, sua grande barreira com a realidade, ter que ser ultrapassada no tormento depois da posse e do sofrimento da primeira eleio.

Existe ligeira possibilidade de um segundo turno, que no passa de um rumor de pesquisadores inquietos e preocupados. Mas mesmo que haja esse segundo turno, ser apenas o prazo de quase um ms, para que Dona Dilma confirme a conquista. E se houver esse segundo turno, Serra estar l para fazer figurao, por causa dos votos de Dona Marina e no do prprio Serra.

Por a, nenhum problema, o Planalto-Alvorada est vista, Dona Dilma no dia 1 de janeiro transpor suas portas j como presidente, e no como dcil mas nada doce segunda do presidente. O que far esse presidente, a comear dentro de 3 meses? Nada, ningum, nem ela, sabe por onde comear.

Tudo sombra, suspense, dvida, fantasmas de uma realidade invencvel para Dona Dilma. Lula precisava de uma sucessora, (j que no conseguiu continuar como sucessor de si mesmo) e era a nica em que confiava com toda a desconfiana. E a maior expectativa destes momentos, est exatamente nessa pergunta: o que Lula far a partir da posse de Dilma?

difcil esperar um Lula ausente, com a certeza de que os presidentes e os vices que herdaram mandatos, nunca foram to fracos ou frgeis quanto a porta-voz do ainda presidente. Se cumprir o papel de porta-voz, ser grave. E se no cumprir? Ser gravssimo.

Todo governo comea pela escolha e nomeao dos ministros. Aonde Dona Dilma ir recrutar (?) 37 ministros, o mesmo nmero de Lula? E quem sabe (com as excees conhecidas), ela nomeie os mesmo que serviram a Lula, e continuar apostando em 2014?

Se fizer isso, para que perseguiu tanto o Poder? Se cumprir todas as exigncias que esto por a, ser seguramente, a primeira mulher NO-PRESIDENTE.

***

PS Temos que esperar no o prximo dia 3, (sem mistrios) e sim o 1 de janeiro, altamente misterioso. E novas dificuldades se acrescentam e se acrescentaro sua incompetncia congnita e adquirida.

PS2 E existe o FATOR PT-JOS DIRCEU, que no sobreviveu no governo Lula, este, providencialmente (para ele) afastou todos os que politicamente podiam assombr-lo.

PS3 Agora, Jos Dirceu j retumbou publicamente, e agora espera os resultado da entrevista-recado-intimidao: O PT no mandou nada com Lula, com Dilma ser diferente.

PS4 E para que no haja dvida, o poderoso Dirceu comunicou: O PT sou eu. Estava e est autorizado. Lula no comentou a entrevista de Dirceu. Poder ou pensar em enfrentar o PT estando fora do Poder? Dentro de pouco tempo, Lula deixar de ser um enigma, enfrentando Dilma e Dirceu, um de cada lado?

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.