As mudanças que permanecem, na poesia de Lêdo Ivo

http://3.bp.blogspot.com/_W3OnmV5mCJ0/TKC_H_eCWPI/AAAAAAAAFBk/449o02kx4Qg/s1600/fotoLedoIvo.jpg

Ivo era membro da Academia de Letras

O jornalista, cronista, romancista, contista, ensaísta e poeta alagoano Lêdo Ivo (1924-2012), no soneto “A Mudança”, afirma que se pode mudar e permanecer bem longe das mudanças, sendo, ao mesmo tempo, quem vive e quem morre.

A MUDANÇA

Lêdo Ivo

Mudo todas as horas.
E o tempo, sem demora,
muda mais do que fia.

Mudo mas permaneço
bem longe das mudanças.
Como uma flor, floresço.
Sou pétala e esperança.

Mudo e sou sempre o mesmo,
igual a um tiro a esmo.
Como um rio que corre.

Sem sair de onde estou,
de tanto mudar sou
o que vive e o que morre.

                 (Colaboração enviada por Paulo Peres – site Poemas & Canções)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *