As “pedaladas”, as reservas internacionais e a CPMF

Santayana diz que Dilma faz o jogo dos adversários

Mauro Santayana
Carta Maior

Fiel à sua tática de continuar produzindo novos factoides, a imprensa conservadora anuncia que o TCU pode “obrigar” o governo a “pagar” R$ 60 bilhões de reais em pedaladas fiscais. Colocando os pingos nos is, o TCU não pode obrigar o governo a fazer nada. O Tribunal de Contas da União não é órgão do Judiciário, seus membros nunca passaram em concurso para magistrados e suas recomendações dependem de aprovação do Congresso Nacional, de quem não passa de um órgão auxiliar.

Caso o governo resolva “pagar” essas “pedaladas” fiscais – que o professor Dalmo Dallari, em entrevista na Globo News, afirmou que não acarretaram nenhum prejuízo para o país, porque não passam de um acerto de contas dentro do próprio setor público e “fazem parte das atribuições da Presidente da República” de manter em funcionamento os programas sociais de interesse da população, bastaria à Presidente Dilma Roussef converter 15 dos 370 bilhões de dólares que o país dispõe em reservas internacionais para “pagar” esses 60 bilhões de reais.

E ainda sobrariam, nas arcas do tesouro, o equivalente a 1 trilhão e 440 bilhões de reais em reservas internacionais, em dólares, ali colocados nos últimos 10 anos, depois do pagamento, ao FMI, da conta de 40 bilhões de dólares deixada pelo economicamente tão decantado, em prosa e verso, governo de Fernando Henrique Cardoso, que também deixou como herança uma dívida pública líquida de 60%, duplicada com relação à do governo Itamar Franco, que representa, hoje, diminuída pela metade, aproximadamente 34% do PIB.

SUICÍDIO POLÍTICO

Ao admitir – montada nas sextas maiores reservas internacionais do mundo, e na condição de que o Brasil goza, neste momento, de terceiro maior credor individual externo dos EUA, como se pode ver pela página oficial do tesouro norte-americano, o discurso da mídia de que o país está em uma crise sem saída, a senhora Dilma Roussef – que já deveria ter convocado cadeia nacional de rádio e televisão para apresentar esses dados – não apenas comete um suicídio político e um verdadeiro desastre do ponto de vista da comunicação,  mas também continua a fazer o jogo de seus adversários, deixando-se mansamente pautar pelos “moralistas sem moral” a que se referiu outro dia em discurso, e pela mídia de oposição.

O mesmo vale para a CPMF, mais uma faca que a Presidente da República coloca nas mãos de seus adversários, junto a uma opinião pública que, desinformada e intoxicada, dia a dia, semana a semana, pelo discurso neoliberal vigente, acredita no dogma de que o Brasil tem uma das maiores cargas tributárias do planeta e um dos estados mais inchados do mundo. Algo que, nos dois casos, não resiste a uma comparação ligeira com países da Europa ou os próprios EUA, ou a uma mera leitura das estatísticas de instituições e órgãos financeiros internacionais.

Como disse o Prêmio Nobel de Economia, e colunista do New York Times, Paul Krugman, em recente entrevista à Folha de São Paulo – na qual reduziu praticamente à insignificância os recentes “rebaixamentos” do Brasil pelas agências internacionais – o Brasil tem problemas, boa parte deles derivado de uma situação econômica internacional negativa, que atinge boa parte do mundo, mas vive uma situação macroeconômica ímpar, que não pode ser comparada às enfrentadas e vividas no passado.

USAR AS RESERVAS

A Presidente Dilma – aproveitando uma eventual troca de Ministro da Fazenda –  poderia lançar mão de parte das reservas para resolver os problemas pontuais e imediatos que o país enfrenta. Assim, ela evitaria pisar nas cascas de banana que lhe atiram todos os dias.

E caso também diminuísse os juros, sem aumentar impostos, beneficiando ainda mais a indústria e setores como o turismo interno, que tendem a se fortalecer com as recentes altas do dólar, o Brasil poderia começar o ano que vem sob outra perspectiva econômica e institucional.

Isso, se fosse possível superar a incompetência estratégica do governo – que há muito tempo deveria ter lançado uma campanha nacional com os reais dados macroeconômicos para combater a “crise”- que é de dar lástima, em sua comunicação com o povo brasileiro.

51 thoughts on “As “pedaladas”, as reservas internacionais e a CPMF

  1. Não mais que de repente ele voltou a atacar. Não sei como este cara consegue ver tanto sucesso neste governo. Para quem faz parte da imprensa comprada nada como ver a realidade de um modo tão diferente. Gostaria de saber que espécie de lente este cara usa para ver tantas notícias positivas associadas a este governo. Este cara merecia estar no lugar do edinho silva.

  2. Ja voltou esse mane com o Dallari , pai do petista Pedrinho e da Monica Suplyci Dallar . O mesmo Dallari que fez um ‘parecer’ dizendo que o mensalao nao tinha ‘ fundamentos juridicos ‘ fato desmentido pela Papuda
    Troca o disco !!!

  3. Do Polibio Braga: MACRI VEM AO BRASIL.

    A posse de Macri está marcada para o dia 10 de dezembro. Na conversa, que durou menos de 10 minutos, de acordo com a Secretaria de Imprensa da Presidência da República, Dilma convidou o presidente eleito argentino para vir ao Brasil antes de assumir oficialmente a Casa Rosada.
    Maias Aqui:
    http://polibiobraga.blogspot.com.br/2015/11/macri-vem-ao-brasil.html

    Meu comentário : Por prudência, o Macri deveria recusar essa proposta. Sabe-se lá o que esses bolivarianos podem aprontar!!!!

    • Adriano,
      Isso é orientação de Washington! Estão “trabalhando” para que o Brasil assuma a posição que Washington tem com o Brasil, a cada eleição, aqui na nossa América Latrina cucaracha! Estão querendo passar a representação, via procuração para o Brasil dos petralhas comensais, para que o governo profundo que rege a EUA-Israel-Grã-Bretanha possa se esconder ainda mais “profundamente” no limbo de sua “suposta inexistência”!

      Faça uma retrospectiva, e verifique que desde que a “Nova República” foi instituída após 84/85, que todos nossos candidatos, INVARIAVELENTE, foram “convidados” a fazer uma “Visitinha a Washington” para serem validados como candidatos antes de se candidatarem às eleições! É uma questão que já virou “institucional”! Desde Sarney, passando por Collor, Itamar, FHC, Lullarápio e Dilma! Ninguém aqui se candidatou sem antes tivesse fazer essa “visitinha inocente” a Washington!

        • Fróes, pelo seu comentário, sugiro se informar melhor, principalmente em fontes atualizadas. Está desviando seu entendimento e interpretando mal devido a falta de informação. Tudo indica que vc. esteja AINDA preso a conceitos que foram muito arraigados na época da Guerra Fria! O mundo andou, o muro de Berlin foi derrubado e vc. continua acreditando piamente que a dicotomia capitalismo x comunismo sejam contraditórias?
          É como te digo, informe-se! Para o seu conhecimento: 1) Tem uma grande leva de “Milicos” atualmente, que é ao mesmo tempo Maçom e Fabiano! Que coisa contraditória não é mesmo? e 2) Repetindo mais uma vez para quem quiser “ouvir”: “Teoria” é o que os conspiradores querem que os MENOS ESCLARECIDOS continuem acreditando que seja! A conspiração EXISTE mesmo, é bícentenária e está acelerando seus passos. Antene-se! Para criticar ou contestar qualquer coisa aqui, não basta opinar: fundamente!

  4. Vejam o cinismo ” E caso também diminuísse os juros, sem aumentar impostos, beneficiando ainda mais a indústria e setores como o turismo interno,”.
    Vejam quanto o PIB industrial caiu nas mãos da corja !

  5. Acho que foi o “Efeito Macri” que fez ele se levantar da tumba rosnando besteiras matemáticas. Aguardem que logo mais aparecerão outros zumbis convocados pelo PolitbuRRo Central.

  6. As pedaladas fiscais são mágicas que transformam aumento de Dívida Pública em Superavit Primário, as Reservas do BC são razoáveis, e a CPMF é um Imposto ruim, de mau Custo/Benefício. Existem melhores opções.
    Me causa estranheza ver um grande e experiente Jornalista como o Sr. MAURO SANTAYANA, considerar NORMAL uma conjuntura de Recessão – 3% do PIB/2015, previstos -2% do PIB/2016 e se tudo correr bem, crescimento pífio do PIB/2017, só porque temos uma reserva de +- US$ 370 Bi.
    É verdade que o Prêmio NOBEL de Economia PAUL KRUGMAN recentemente disse que comparado com as nossas crises passadas, nossos números Macro-Econômicos não são trágicos, mas esqueceu de dizer que ao longo do Governo DILMA I se cometeram “barbeiragens Políticas-Econômicas” que redundaram em expectativas futuras cada vez mais ruins. E enquanto não revertermos essas Expectativas Futuras, não sairemos do buraco, tenhamos quantas Reservas tenhamos. Abrs.

  7. Agora mesmo que não entendi nada. Segundo o articulista, posso deduzir que estamos bem?
    Então para que ajuste fiscal, CPMF, etc?
    Alguém enlouqueceu. Se for eu, graças a Deus. O país está salvo!

  8. Santayana presta um mau jornalismo.
    Ele desinforma, altera, modifica a verdade conforme sua tendência política.
    Trata-se de um profissional que deixa a desejar no que tange publicar a verdade, condição que lhe falta porque se deixa conduzir por ideologias retrógradas e rançosas, em consequência, parou no tempo e no espaço.
    O artigo em tela é uma fonte de bobagens, que ilude incultos e incautos, público de Santayana, ao querer negar a nossa situação econômica catastrófica, a carga tributária insuportável pelos serviços prestados pela União, e a concessão aos bancos de poderem cobrar os juros mais altos do planeta, que dificulta a vida do brasileiro sobremaneira.
    O jornalista em questão é daqueles pessoas que desconsidera o ser humano para dar ênfase ao partido ou ao governo que se identifica ideologicamente, então mente, tergiversa, muda a realidade, e tem o caradurismo de alegar que a CPMF não adicionaria custo algum para o bolso exaurido do cidadão!
    E dizer que o cara estudou tanto para ser isso aí, mandalete do governo, moço de recados!
    Que final de carreira triste!

      • Froes,
        Se fosse um autodidata, Santayana pensaria um pouco mais antes de escrever besteiras.
        Assim, conforme se apresenta, se fez apenas o “Primário” (sou dessa época), o jornalista não evoluiu, mediante o que eu escrevi acima e tu nos informas, simplesmente parou no tempo e no espaço.
        Agora, estranho e não aceito, decididamente, que governos e regimes ou sistemas sejam mais importante que a população, na ótica desses indivíduos partidários, principalmente comunistas.
        A vida humana não tem valor, pois o partido e a ideologia estão acima das necessidades da pessoa e o seu bem estar.
        Então lemos bobagens, besteiras, textos absolutamente dispensáveis, vazios em conteúdos, inócuos.
        Santayana e Boff nesse aspecto se assemelham quando escrevem com as suas mentes voltadas para o regime político que entendem ser o melhor, razão pela qual – mesmo com a inteligência que Deus concedeu ao jornalista e a cultura obtida pelo ex-frei – tais predicados não evitam que registrem o quanto são avessos à cidadania, caso de Santayana, e repudiam as carências individuais, pensamento de Boff.
        O comunismo é o estágio que mais aproxima o ser humano da perfeição, certamente pelo sofrimento imposto pela Nomenklatura, e em face de não poder reclamar da maneira como é considerado pela cúpula do partido.
        Em outras palavras:
        Se é possível amordaçar o povo e tolher-lhe a liberdade, mãos à obra!
        Santayana usa o comunismo e, Boff, a sua Teologia da Libertação.
        O comunismo porque nos coloca na mesma vala comum e, o processo do ex-frei, nos livra da criatividade, de lutarmos para ser alguém, de colhermos dividendos materiais nessa vida porque o rico pertence ao demônio, ele deve ser combatido, morto, pois culpado pela miséria alheia.
        Incultos e incautos, que são os admiradores de ambos, apenas não questionam as razões pela quais a “chefia” precisa de tanto dinheiro, vive em palácios esplêndidos, são corruptos e desonestos, roubam e assaltam a população e o país que comandam, conhecem as delícias dos extremos, enquanto o povo sofre dificuldades extremadas para sobreviver!
        Santayana deveria ter residido no fim do comunismo na extinta União Soviética, quando não havia carvão para o povo se esquentar do frio russo, e comida para se alimentar, com longas filas para um pedaço de pão.
        Boff, deveria ter vivido na época da Inquisição.
        Condenado certamente pela sua exposição de ideias que confrontam o Novo Testamento, não acredito que a sua teologia o livrasse da fogueira, muito menos que esse Deus que divulga o perdoasse de suas heresias, tanto políticas quanto religiosas, haja vista que o estatuto do PT é a sua Bíblia e, o comportamento dos petistas, nocivo e desonesto, uma espécie de compensação pelos crimes que os antecessores de Lula e Dilma cometeram.
        Algo do tipo, “libertem-se da moral, da ética, da decência, da probidade, enganem o próximo, iludam o povo, aproveitem a chance”!
        E, Santayana, descontente porque temos brasileiros que estão bem de vida, têm seus carros, casas, podem viajar e gastar um bom dinheiro impulsionados por propagandas e modismos, se desespera, quer que paguemos mais impostos, ora bolas!
        Um abraço, Froes, e que Deus (o verdadeiro) nos proteja desses falsos profetas.

        • “Embora tenha estudado apenas até o segundo ano do antigo primário, o equivalente ao atual terceiro ano do ensino fundamental, ocupou, como jornalista autodidata, cargos destacados nos principais órgãos da imprensa brasileira.”

          Da Wikipedia.

          Abração.

  9. Agora sobre esse post do Mauro.

    Ele está começando a extrapolar com suas técnicas de “manipulação e desinformação” que estão se evidenciando, no mínimo, defasadas de uns 30 anos.

    É sério Santa! Naqueles tempos não existia internet, e as técnicas de contrainformação utilizadas serviam para despistar por um período maior, que permitia “ganhar um tempo” com os desinformados e desavisados que hoje se tornou I M P O S S Í V E L !

    Não te contaram isso ainda? Naqueles tempos, até se chegar à conclusão que a contrainformação fosse só isso mesmo, demorava um tempinho, e eram então utilizados com bastante eficiência pelos vermelhos para atingir algumas migalhas estratégicas no campo político, para logo em seguida se verificar, mais uma vez, que eram HOAX (fraudes), igualzinho como você ainda não se cansou de fazer!

    Cara, isso já tá “pegando mal”! Ou se aposenta ou faz um cursinho de atualização, pois as tuas estorinhas, fundamentando uma possível verdade, para justificar dezenas de mentiras, já passou, no mínimo, de moda! Que se dirá quanto à credibilidade!

    Tem mais: não “fica bem” para um jornalista conceituado como vc. ficar menosprezando a inteligência dos leitores,. . . antes vc. escrevia nos jornais, e até que as contestações viessem e fossem (quiçá) publicadas, o assunto já tinha passado! Agora “meu velho”, o tapa é devolvido “na hora” por aqui! Vê se pára de subestimar a inteligência dos leitores, e verá que tudo irá ficar mais “harmônico” por aqui!

    Ninguém aqui se diverte em ficar dando bofetada em idoso!

      • Pois é Efrom.
        Esse ranço “da seita religiosa marxista” com seus vícios, mentiradas, mitos e tabus, precisa começar a ser DESMASCARADA e combatida com veemência sempre que se apresentar!

        São perniciosas e buscam arrebatar as mentes fracas, oportunistas, ambiciosas, incompetentes, desinformadas e principalmente as preguiçosas, nesse processo cuja imagem mais representativa, seria a de um bando de tetraplégicos funcionais se escorando uns nos outros em busca de “avançar” sobre o que jamais fizeram jus em usufruir, por nunca terem se dado a versar o suor do trabalho necessário para conquistar por próprio mérito!

        Como sabemos que esse tipo de “perfil” existe aos montes em toda sociedade, passa a ser fundamental mostrar a essas raposas velhas e às “crias” que estão pretendendo arrebanhar, que suas “técnicas” estão a descoberto, e que a canalhice do arrebanhamento dos incautos oportunistas, com seus dias contados!

        Infelizmente, enquanto não conseguirmos derrubar a patota de canalhas da mesma espécie que se encrustou nas instituições do Estado, vai demorar um pouco, . . . mas tenho convicção que investindo na elevação do discernimento através de oportunidades como a que o Santayana nos presenteou com seu artigo, o processo tende a tomar seu curso autônomo!

        Só sendo incansavelmente desmascaradas suas manipulações, serão forçados a encarar e a refletir a cada pronta resposta, sobre a doutrina que lhes foi impregnada durante os últimos 20 anos de marxismo (Light-FHC e Radical-Lula)!

        Só assim se atingirá a “liberação das consciências hipnotizadas pelo almoço-grátis”! Fornecendo sistematicamente, a cada oportunidade que surge, a condição de reconsiderarem os fatos para poder corrigir seus “desvios de entendimento” de como realmente “a coisa tem de funcionar” para a sociedade e o país seguirem em frente!

        É necessário que TODOS entendam que não existem “milagres”, e TODOS precisam fazer a SUA parte, SUANDO a própria camisa!

        Essa TRIBUNA DA INTERNET tornou-se um verdadeiro “santuário” nesse sentido! A oportunidade que temos, não só de “catarse”, quanto ao sentido mais profundo de todos os direcionamentos subjetivos feitos pelos veículos de comunicação, partidos políticos, agentes financeiros e indústrias do entretenimento na manipulação, formatação e condução da opinião pública por suas “mitologias” (como brilhantemente “plotaram” aqui).

        O fato de podermos expressar livremente nossas opiniões e percepções por aqui, tem oferecido oportunidade única a muitos, em inúmeras situações, de transferir conhecimentos específicos em cada matéria devido à multicompetência presente no rico universo de leitores, a qual permite desobstruir o verdadeiro significado dos acontecimentos e notícias para melhor entendimento e clareza dos temas abordados!

  10. Primeiro, que as pedaladas contábeis, ao contrário do que diz o sr. Dalmo Dallari, representa parcelas de despesas do Tesouro Nacional pagas pelos bancos oficiais, em operações que caracterizam espécie de empréstimo desses bancos ao Tesouro. É preciso deixar claro ao público que isso é uma forma de majorar artificialmente os recursos orçamentários disponíveis no caixa do Tesouro. É um engodo, uma artimanha contábil proibida pela Lei de Responsabilidade Fiscal, conforme o seguinte destaque:

    LEI COMPLEMENTAR Nº 101, DE 4 DE MAIO DE 2000: Art. 36. É proibida a operação de crédito entre uma instituição financeira estatal [Caixa Econômica Federal, por exemplo] e o ente da Federação que a controle [Tesouro Nacional], na qualidade de beneficiário do empréstimo.

    Então não assiste qualquer fundamentação lógica na declaração do sr. Dallari, e muito menos no articulista que o cita.

    Segundo, que o governo até pode sim lançar mão de sua poupança em dólares (suas reservas) para pagar parte de sua dívida. Mas veja, será uma parte muito pequena e isso não vai eliminar o problema do déficit fiscal. O chamando déficit nominal – parte da dívida que anualmente o governo não consegue pagar -, gerado pela rolagem da dívida pública, está acima de R$500,0 bilhões, este é o montante que o governo não está conseguindo pagar anualmente, repito; então, se nossa reserva cambial que é de US$370,0 bilhões, ou, R$1,381 trilhão fosse integralmente utilizada para paga parcela da dívida pública, levaria, aproximadamente, dois anos e meio para se extinguir, e não liquidaria a dívida, já que ela totaliza R$2,6 trilhões neste momento. Não podemos utilizar nossas reservas ao ponto de extingui-las; isso não pode acontecer, obviamente, porque, dependemos das reservas para caucionar as nossas transações correntes (de mercadorias e serviços) com o resto do mundo. É lógico, dependemos do dólar para isso; sem o que, precisaríamos recorrer ao Fundo Monetário Internacional novamente. Então, a margem das nossas reservas que pode, eventualmente, ser utilizada é limitada; não resolve o problema criado por este governo do déficit fiscal público. Neste sentido, o argumento do articulista é um engodo, um mero instrumento de retórica construído com o sentido de tentar esconder o grave problema de desequilíbrio fiscal, entre outros, vivido pelo Brasil.

    Terceiro, o que vai contornar este problema é a mudança de atitude do governo, promovendo um ajuste fiscal que reduza as despesas correntes – despesas de custeio – da máquina pública. A tentativa de colocar panos quentes do sr. Krugman – prêmio nobel de economia, economista heterodoxo que defende a intromissão do governo no livre mercado -, é uma maneira de ele tentar atenuar os problemas causados pela gestão intervencionista deste governo, também heterodoxo, que provocou tantos desequilíbrios macroeconômicos e que nos lançou neste abismo recessivo. Isto é, é uma tentativa de amenizar os problemas causados pela mesma politica econômica que ele defende, mas, que está se mostrando um desastre.

    Aliás, ele mesmo – o economista Paul Krugman – já expôs a sua humilhação diante dos fatos. Mas, isto o sr. Santayana – comunista que é, e defensor do centralismo estatal – não vai dizer nunca.

    • Wagner, perfeita sua colocação sobre as reservas e a dívida. Utilizar as reservas para cobrir as dívidas que o governo vem fazendo é tirar tábuas do fundo do barco para tampar buracos nos lados.
      Quinhentos bilhões por ano apenas de juros da dívida significam que todas as famosas reservas, nos dois anos e meio de que você falou, dariam para pagar apenas os juros da dívida nestes dois anos e meio, e não fariam a menor mossa no principal, e o Brasil teria que continuar pagando estes quinhentos bilhões por ano.
      Não há outro recurso para o Brasil senão cortar violentamente as despesas do setor público (não cortes “cosméticos” como a Dilma anunciou e ainda por cima não fez) e auditar e renegociar a dívida para reduzir o valor dos juros.
      Tenho repetido aqui, e mais gente também, que enquanto somente este ano um milhão e trezentos mil trabalhadores do setor privado já perderam seus empregos, sem contar os em layoff ou férias compulsórias ou em redução de horas trabalhadas, no setor público até agora nem um perdeu seu emprego nem teve reduzido seu salário em razão da crise que atravessamos.
      Os funcionários públicos são responsáveis pela crise? Provavelmente não. Mas os do setor privado tambem não. E o sacrifício é só de um lado.

  11. É bom não esquecer que esta tese é a tese do lula: gastar mais, dar mais crédito, usar as reservas para irrigar a economia com mais dívidas de todos os lados e “tentar” engabelar por mais um tempo o povão e com isso se eleger em 2018. Com a urna jabuticaba, é claro.
    E depois como fica o precipício que não para de aumentar. Bem, para o califado petista pouco importa, o importante é se manter no poder.

    • Sr Delcio, este texto do Mauro não foi publicado na revista Carta Capital – revista bem conhecida e lida -, mas na insignificante A Carta Maior, uma publicação eletrônica multimídia criada por ocasião da primeira edição do Fórum Social Mundial, em janeiro de 2001, em Porto Alegre. Ou seja: petista até a medula.

  12. A situação da economia brasileira é tão crítica que o produto interno bruto (PIB) vai encolher dois anos seguidos. Dois anos de recessão consecutiva, pelo menos.

    Isso só aconteceu uma vez na nossa história e foi o reflexo da maior crise econômica mundial que se tem notícia – a quebra da Bolsa de Nova York.

    Não há qualquer crise parecida vivida pelo mundo presente. Toda esta situação de penúria econômica em que mergulhamos foi devidamente “ejaculada” por Dilma e Mantega com o fim próprio de enganar a opinião pública e emplacar a reeleição.

    É ou não é uma situação impar, como disse o sr. Krugman?

  13. Senhores,

    Os senhores se lembram que discutíamos os motivos pelos quais a empresa Samarco não fora fiscalizada devidamente?
    Ou, se fora, tal fiscalização fizera “vista grossa”?

    Vejam aqui as respostas:
    http://www.jornalrondoniavip.com.br/noticia/operacao-grand-canyon-desarticula-grupo-criminoso-que-atuava-no-dnpm-pa,policial,36025.html

    http://g1.globo.com/pa/para/noticia/2015/11/procurador-federal-e-preso-suspeito-de-atuar-em-esquema-de-fraudes-no-pa.html

    http://www.oimpacto.com.br/cinco-sao-presos-pela-pf-por-fraude-no-dnpmpa/

    -Alguém acha que em Minas foi diferente?

    Abraços.

  14. Concordo com o Wagner em alguns aspectos, e em outros, poucos, com o Santayana. A ideia de usar parte das reservas cambiais para cobrir o déficit primário previsto para 2015, no valor de cerca de R$ 60 bilhões, creio que seja boa, e desconheço a existência de empecilho legal para essa solução. Concordo com o Wagner quando ele escreve que usar todo o volume de reservas cambiais para cobrir o déficit nominal, que está em quase 10% do PIB, é totalmente inviável. Tudo que o Mauro escreveu sobre a economia no período FHC é verdade, o que não desculpa os erros de política econômica cometidos pelo Governo Dilma, responsáveis por essa crise em que nos encontramos, principalmente a intervenção eleitoreira desastrosa no setor elétrico e a contenção indevida dos preços dos combustíveis e da energia elétrica. No mais, só uma correção: o ente que controla a Caixa Econômica Federal não é o Tesouro Nacional, é a União.

  15. Wagner e amigos
    Já estou mais tranquilo. Depois de ler tantos comentários na mesma direção, não estou tão louco.
    Mas ainda tenho outra questão.
    “Caso o governo resolva “pagar” essas “pedaladas” fiscais – que o professor Dalmo Dallari, em entrevista na Globo News, afirmou que não acarretaram nenhum prejuízo para o país,…”
    Se não acarretam prejuízos, por que a legislação não permite?
    E mais: se são boas as pedaladas, nós também podemos “pedalar”?

    • É claro que causam prejuízos, caro Fallavena. Ademais as pedaladas deturpam a Lei Orçamentária Anual, pois, furam as previsões orçamentárias. É a mesma coisa de eu mentir contabilmente o quanto de dinheiro tenho em caixa no meu ativo ou quanto tenho de dívida no meu passivo. O Balanço não fecha, e depois vai tudo para restos a pagar de um ano para outro, comprometendo em sequência os orçamentos seguintes que ficam com enormes buracos de despesas de anos anteriores.

      Grande abraço!

  16. SEM PALAVRAS! É MUITA IMBECILIDADE VOMITADA NUM TEXTO SÓ! SÓ PODE SER COISA DE UM JORNALISTA SENIL SEM A MINIMA NOÇÃO DA REALIDADE E TAMBÉM DE QUALQUER PADRÃO MORAL! DEFINITIVAMENTE PARA ESSA GENTALHA OS FINS JUSTIFICAM TOTALMENTE OS MEIOS! SR. SANTAYANA VÁ TOCAR EM OUTRA FREGUESIA!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *