As revistas faturam ALTO, com o direito à LIVRE MANIPULAÇÃO

Helio Fernandes

Quando vi a capa da Veja, com duas fotos de Dona Dilma, uma NEGANDO A VIDA (o aborto), a outra AFIRMANDO A VIDA (o mesmo ABORTO), fiquei a assombrado. Não podia me ASSOMBRAR, os 75 anos de jornalismo não permitiram, e a revista INCORPORARA voluntariamente a identificação de SUJÍSSIMA.

Comentei: “Se no próximo número, Veja aparecer com outra capa, com DUAS CARAS, responsabilizando Serra, (que já analisei desde o dia 4 de outubro, confirmando que ele não tem DUAS, MAS MUITAS CARAS), aí será um jornalismo para não ser imitado ou respeitado, mas pelo menos isento.

Meu comentário caiu no vazio, e como o dinheiro não tem CARA, a VEJA foi ainda mais SUJÍSSIMA, e veio SEDUZINDO AECIO NEVES, e ressaltando a grande contribuição dele para a VITÓRIA DE SERRA.

Estão até insultando o ex-governador, se ele quisesse a vitória de Serra, teria sido vice dele. Contribuição realmente valiosa. Só que a sujíssima quer ENGANAR o leitor, mostrando (?) ou fingindo que Aécio é Serra. Ha!Ha!Ha!

A ISTOÉ abusando, como a VEJA,
do direito de mentir a favor de Dilma

Todos são pela LIBERDADE DE EXPRESSÃO, essas revistas são rigorosamente impenetráveis, mas não admitem ATAQUES, SEM DIREITO DE RESPOSTA. Então, fazem o que a Veja deveria ter feito.

Usa a capa, com as duas CARAS de Serra, escondido atrás do personagem Paulo PRETO, a-c-u-s-a-d-í-s-s-i-m-o de ter fugido com 4 milhões de reais da campanha do ex-governador de São Paulo.

Na primeira CAPA de Serra, já com Paulo Preto denunciado em todos os lugares, Serra, dia 11 de outubro: “Não sei quem é o Paulo Preto. Nunca ouvi falar”. A repercussão foi tremenda, principalmente porque Serra se igualava a Lula (que tanto o amedronta), mas diz sempre, “não sei de nada, nunca ouvi falar”.

No dia 12 de outubro, (o dia seguinte), o ex-governador faz nova declaração, que é a segunda CARA e a segunda CAPA: “Evidente que eu sabia do trabalho do Paulo de Souza, que é considerado pessoa muito competente”.

***

PS – Quando a revista ISTOÉ foi para a rua, (ontem) Paulo Preto já estava nas ruas, (só que no plural), gastando os 4 milhões que DESVIOU da campanha de Serra.

PS2 – No dia 11, Serra não conhecia Paulo Preto, no dia 12, “rasgava” elogios a ele, no dia 16, os dois eram CAPAS da revista.

PS3 – Pode ser que Serra tenha esquecido o nome próprio de Paulo Preto: é Paulo Vieira de Souza. Assim, por inteiro, é mais fácil de relembrar.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *