Assim se mata um presidente, no exemplo marcante de Getúlio Vargas

Resultado de imagem para getulio vargas charges

Charge do Lan (Arquivo Google)

Sebastião Nery

Uma semana depois da posse de Jânio Quadros na presidência da Republica, em 1961, o jornalista Raul Ryff, secretário de imprensa do vice-presidente João Goulart, ligou para o jornalista José Aparecido, secretário particular de Jânio:

– Aparecido, durante o governo do Juscelino, o Jango, como vice-presidente, sempre teve um avião da FAB à sua disposição. Agora, no governo do Jânio, o ministro Grum Moss, da Aeronáutica, tirou o avião do vice-presidente. Acontece que ele está esperando a mãe dele, que chega ao Rio às 17 horas, e depois não haverá mais nenhum avião de carreira para Brasília. E ele tem uma reunião política em Brasília à noite. Você poderia conseguir um avião para levar o vice-presidente a Brasília?

Aparecido falou com o general Pedro Geraldo, chefe da Casa Militar, pediu para ele providenciar o avião, e comunicou a providência a Jânio, que aprovou. Às quatro da tarde, Ryff ligou de novo para Aparecido:

– Como é, tchê? E o avião?

– Já está à disposição do vice-presidente aí no Rio.

Não estava. Aparecido foi ao general Pedro Geraldo, que acabava de receber um telex do ministro da Aeronáutica lamentando não poder atender porque a FAB não tinha nenhum avião disponível. Aparecido foi a Jânio. Os dois tinham entendido tudo. Jânio arregalou os olhos:

– Foi bom que tivesse acontecido logo na primeira semana. Você vai ver que não ficaremos aqui um minuto sem autoridade.

Janio mandou chamar o general Pedro Geraldo:

– General, faça-me um favor. Volte a comunicar-se com o senhor ministro da Aeronáutica e lhe transmita a seguinte instrução: faça descer o primeiro avião que sobrevoar o Rio de Janeiro, nacional ou estrangeiro, desembarque os passageiros e ponha-o à disposição do senhor vice-presidente da República.Trata-se de uma ordem do presidente da República

Em cinco minutos a Aeronáutica pôs um avião à disposição de Jango.

FAB UDENISTA – A Aeronáutica, naqueles tempos, e tantos anos seguidos, era um partido político, uma sublegenda da UDN. E de armas na mão. Só no governo de Juscelino, no começo e no fim, fez dois levantes armados, imediatamente sufocados pela autoridade e energia do marechal Lott.

No segundo governo de Vargas (1951 a 54), não era só a Aeronáutica. A maioria das Forças Armadas (Exército, Marinha e Aeronáutica) era inteiramente encoleirada pela ininterrupta pregação golpista de Carlos Lacerda e da Banda de Música da UDN, até desaguar afinal no golpe americano-udenista-militar de 1964.

Quando Getulio assumiu em 1951, depois da segunda derrota do brigadeiro Eduardo Gomes (em 45 e em 50), a UDN viu que no voto não chegaria ao governo: havia perdido para Dutra em 45 e para Vargas em 50 e certamente perderia em 55 para os herdeiros de Vargas, Juscelino e Jango.

E começou a conspirar freneticamente nos quartéis.

JANGO NA MIRA – O primeiro passo seria inviabilizar João Goulart, o filho político de Vargas. Presidente nacional do PTB e ministro do Trabalho a partir de junho de 1953, Jango tinha estudos da Fundação Getulio Vargas  mostrando que o aumento salarial de 14%, dado em dezembro de 1951, era ridículo diante do aumento do custo de vida, que tinha sido de 100%.

E Jango negociou com os sindicatos um projeto de aumento de 100% do salário mínimo, igual ao da inflação: de 1.200 para 2.400 cruzeiros.

– “Em fevereiro de 1954, 82 coronéis e tenentes-coronéis assinaram um memorial afirmando que possíveis aumentos de salários provocariam a elevação do custo de vida, agravando a situação dos baixos vencimentos nos quadros no Exército, que veria dificultado o recrutamento de oficiais.  Vargas exonerou Goulart e o general Espírito Santo Cardoso… E no dia 1º de maio anunciou o aumento de 100% do salário mínimo” (DHBB-FGV).

Em quatro meses, Vargas era empurrado para o suicídio.

19 thoughts on “Assim se mata um presidente, no exemplo marcante de Getúlio Vargas

  1. Já pensou se as forças armadas fossem em 64 encoleiradas pelos soviéticos?
    E o golpe fosse soviético-pecebista-militar?
    Então nós seríamos hoje uma coisa assim como Cuba:
    Todos em um imenso presídio com uma “boa educação e saúde” conforme proclamaria o “Ministério da Verdade”.
    Quem sabe o PT um dia consiga…

    • Não necessariamente, de repente se a “loucura” tivesse ocorrido, ” com os “comedores de criancinhas ” assumindo o poder, já teria acontecido aqui tb o mesmo acabou acontecendo com a China, p. ex., ou seja, estaríamos crescendo há mais de 10 anos consecutivos à base de 8% ao ano, prestes a assumir o comando da economia mundial, colocando os EUA em polvorosa. Aliás, os comunistas não são comedores de criancinhas, nunca foram, pelo contrário, libertaram o mundo, as crianças e os judeus do nazifascismo, o duro é aturar um tal “anti-comunista” no congresso do Brasil que se diz “comedor de gente”, com dinheiro público.

      • Ninguém mais diz que comunistas comem criancinhas. Eles “comem” só os opositores como acontece na China, que também é um grande presídio controlado pelo “Ministério da Verdade”. Custa tanto admitir um erro?

      • Alex, a China já superou há um bom tempo essa fase da Acumulação Primitiva capitalista, quando sugou ao máximo os trabalhadores, e já atingiu uma média salarial maior que a brasileira. É uma das razões pelas quais ela hoje se torna uma grande ameaça a hegemonia americana do capitalismo internacional, até pelo crescimento do consumo interno.

  2. URLA ( União das Repúblicas Latino Americanas ), seria a nomenclatura correta, a partir de uma possível Confederação Brasileira, com Democracia Direta e Meritocracia Eleitoral, na verdade, é a grande e boa ideia do milênio para o Brasil, e a América do Sul, com moeda própria, na esteira da Confederação Europeia de Nações, como propõe a RPL-PNBC-DD-ME, ou seja, a luz no fim do túnel escuro que aí está há 128 anos, a Mega-Solução, pena que os candidatos a presidência que aí estão, impostos pelo $istema político podre, com QI no máximo sofrível, não estão a altura de debater uma proposta dessa magnitude, infelizmente. Negar a ideia, é negar o sucesso da Confederação Europeia frente aos EUA e o resto do mundo. https://www.brasil247.com/pt/247/economia/364869/Citada-por-Cabo-Daciolo-Ursal-seria-5%C2%AA-economia-do-mundo.htm

    • Eu me lembro que a ultima democracia direta que fizemos no Brasil foi sobre o desarmamento, lembro também que a opinião do povo foi jogada no lixo.
      ASSIM QUE É A DEMOCRACIA DE CANHOTO.

  3. Essa tal de Urla é um dos melhores sinônimos de comunismo declarado, feito para que esquerdistas mamem nas tetas governamentais.
    Lulla passará para a história como o pai das benesses voltadas para pelegos e outros parasitas da nação.
    O que mais se disser estará bem distante da realidade.

  4. Não entendi o ponto do autor. Qual a moral da história? Se é só para rememorar o que nossos antepassados viveram, prefiro que fale sobre a história da Branca de Neve porque a nossa história não passa de piada de mau gosto. Nós não temos e nunca tivemos líderes. Só respeito Tiradentes – o resto foi gente ambiciosa, narcisista e falaciosa.

  5. O artigo devia ter sido publicado no próximo dia 24,a título de recordar o suicídio do Getúlio. Fora desse contexto, o post fica meio sentido, e pode se prestar a analogias inadequadas com as presentes acusações de ‘golpismo’.

  6. Nery, nós vimos e participamos daqueles trágicos momentos e temos imparcialidade para fazer qualquer comentário. “Os anafalbetos políticos como dizia Bertolt Brecht inventam até soviéticos no Brasil”. Não sabem que os EEUU mandaram para as costas do Espírito Santo uma frota naval chamada “Operação Brother Sam” composta pelo porta-aviões Forrestal, destróieres de apoio, entre os quais com mísseis teleguiados, navios carregados de armas e mantimentos, bem como quatro petroleiros (Santa Inez, Chapachet, Hampton Roads e Nas Bulck), com um total de 136 mol barrís de gasolina comum, 272.000 barrís de combustível para jatos, 87. 000 barrís de gasolina de avião, 35.000 barrís de óleo diesel e 20.000 barrís de querosene. A fim de atender as necessidades mais prementes dos insurretos, sete aviões de transtorte C 135, levando 110 toneladas de armas, oito aviões caça, oito aviões-tanques, um avião de comunicações e um posto aéreo de comando estabeleciam uma ponte-aérea, ligando as bases norte-americanas e o Brasil. Como diria Omar Ibn Ibraim El Caiam em 1050: “Os cães ladram e a caravana passa”.

  7. Inventam tanta tanta “bobajada”. Criticam tudo sem saber de nada, que de uma hora para outra podem tentar mudar o nome do Blog de Tribuna da Internet para “Tribuna do Estado Islâmico.”. Só destilam ódio. Vocês deviam arrajar mulher. “A doença de vocês é curada com mulher”.

  8. Caro Aquino;

    Se eu entendi bem, o Sebastião está se referindo a dois períodos distintos: a crise do final do governo de Getúlio Vargas, em 1954, e ao começo do governo Jânio, em 1961, e ao Jango, que foi vice dos dois.

    Você traz dados pertinentes, com grande riqueza de detalhes, mas que se referem, pelo que entendi, ao Golpe de 64, quando Jango, já no cargo de presidente, foi deposto.

    Acho que tem a ver com o problema da falta de contextualização, da parte do autor, a que me referi antes.

  9. P. S. – Acredito, também, que é preciso levar em conta que o autor prática um gênero bem específico, a crônica, até pelo senso de humor contido na maior parte dos seus textos.

    Sendo assim, não tem um compromisso maior com a narrativa da História, enquanto disciplina das Ciências Humanas. E, portanto, com o necessário encadeamento dos fatos e com as relações de causa e efeito que esta exige.

    De qualquer forma, gosto muito dos textos do autor, que tratam os fatos históricos com uma certa leveza, de fácil leitura. Mas que precisam, por isso mesmo, de um certo filtro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *