Assista ao documentrio “O Dilema das Redes” e desative por um ou dois dias as redes sociais

Warner Bros / Divulgao

bom assistir tambm “2001, Uma Odisseia no Espao”

Carlos Gerbase
Zero Hora

Quando David Bowman consegue desativar o computador HAL 9000 na cena clssica de 2001, Uma Odisseia no Espao, ns, espectadores, sentimos um grande alvio. Um astronauta de carne e osso vence a mquina assassina insensvel que colocara o objetivo da misso acima das vidas humanas sua volta.

HAL, em seus ltimos momentos, no parece uma mquina. Conversa com Bowman, pede clemncia e, no crepsculo de sua conscincia artificial, transforma-se numa criana frgil que canta Daisy Bell. Bowman, contudo, sabe com quem est lidando. Ao retirar o ltimo mdulo de memria de HAL, elimina sua nica companhia e encara a maior solido que um homem j sentiu. Mas melhor estar sozinho do que ao lado de um inimigo cnico e sem corao.

REDES SOCIAIS – cada vez mais comum a ideia de abandonar as redes sociais. A falta de civilidade e a devastao da privacidade que elas potencializam assustam tanto que seus supostos benefcios especialmente a enganadora, mas reconfortante, sensao de que a solido no mais existe muitas vezes so um preo demasiado alto a pagar. Quando vemos companheiros da nave sendo esmagados, temos que agir.

Ento queremos desativar tudo, j que HAL no mais uma ferramenta. Saiu de controle. Vamos apagar as contas! O problema que a mquina no se chama mais HAL, nem IBM, nem tem apenas uma identidade.

So muitos nomes, muitas redes: WhatsApp, Facebook, Instagram, Twitter, TikTok e tantas outras. A memria de HAL estava num local especfico na nave de 2001. Cada mdulo retirado diminua sua conscincia. Na nossa nave, em 2020, a memria das redes est numa nuvem insondvel.

TAREFA MUITO DIFCIL – Tente sair, tente esmagar essa memria, e voc ver que a tarefa mais difcil que a enfrentada por Bowman. HAL, agora, no tem apenas um olho vermelho. So milhes de olhos. So milhes de informaes sobre seres humanos manipuladas por algoritmos em constante processo de aperfeioamento.

Assista ao documentrio O Dilema das Redes, reveja a obra-prima de Stanley Kubrick e Arthur C. Clarke, e faa uma experincia simples: desativar por um ou dois dias suas redes sociais. Pea para HAL dar um tempo.

Ele no vai cantar, nem pedir clemncia. Vai lutar para continuar vivo, vai dificultar ao mximo seus esforos para viver offline e, no fim, vai fingir-se de morto, sabendo que as informaes continuam a seu dispor. HAL voltou mais poderoso. Temos que enfrent-lo, estabelecer regras e impedir que ele continue sendo um assassino.

(artigo enviado pelo comentarista Duarte Bertolini)

4 thoughts on “Assista ao documentrio “O Dilema das Redes” e desative por um ou dois dias as redes sociais

  1. Rubem Gonzalez

    Com o Pix vo acabar as saidinhas de banco, voc ser um pato gordo na mo do crime, sem risco para assaltantes.

    Andr Monteiro
    Vc est dizendo que o banco ir monopolizar o roubo? Kkkkk…
    Responder 38 min

    Rubem Gonzalez
    Andr Monteiro no, isso j comum, o fato que o cara vai te enfiar uma pistola na cara e mandar voc transferir tudo para uma conta e acabou, no tem que ir no banco fazer isso, tudo liberado por aplicativo
    Responder 28 min

    https://www.facebook.com/rubem.gonzalez.568/posts/381768046337090

  2. Se dependesse s de mim j no estaria na frente deste computador fazendo este comentrio, a presso constante da minha mulher que me faz continuar. Quero um dia dar adeus a tudo isto, internet, Facebook, Yahoo. GMail e este amaldioado Whatsapp, este sim o Grande Irmo, sempre vigilante e sempre nos vigiando. Um dia ainda digo no a tudo isto e viro um eremita em meio esta selva de pedra.

  3. mpio,

    No precisas exagerar.
    Basta deixar o celular em casa ou deix-lo de lado ou assistir TV ou sair para tomar uma cerveja com sanduche aberto com amigos, sem o celular.

    Olha, esta semana baixei hospital de novo. Foi a 4 vez em dois meses.
    Meu, celular em casa, e me dou muito bem.
    Sinto mais falta de escrever que no ter o celular comigo!

    Agora, notrio que muitas pessoas esto obcecadas com este telefone mvel, conforme dizem os lusitanos. Parece que enlouquecem sem esse aparelho na orelha.
    E como acrescentam aplicativos!

    No final da dcada de sessenta j se comentava sobre at que ponto a ciberntica iria escravizar o homem.
    A gente ria porque no se falava em celular, microcomputadores, TV de tela plana, notebooks, quanto mais que seria possvel um dia ter at o banco no aparelho que se falaria com o mundo!

    T, admito, estou velho, e minhas preferncias so muito diferentes dos jovens.
    Mas no posso depender a minha vida por uma caixinha eletrnica.

    Evidente que no se pode dizer que seja um vcio o uso indiscriminado do celular, pelo fato de no causar a Sndrome de Abstinncia.
    Mas h uma dependncia funcional, comportamental, em estar com o aparelho na mo, e quanto mais novo e moderno mais a pessoa se satisfaz.

    Trata-se de um brinquedo para todas as idades, apesar de caro.
    O que as crianas sabem lidar com o celular inacreditvel.
    Parece que nascem sabendo como teclar e encontrar o que querem!
    O lado ruim, pssimo, que a criana e o adolescente perdem suas criatividades, as brincadeiras de antigamente, as peladas, soltar pipa, pio, jogar bolinha de gude, construir carrinhos de lomba, andar de bicicleta …

    Ainda encontramos crianas brincando em praas, nas ruas, nos ptios de suas casas no interior.
    Nas cidades grandes, pobre delas!

  4. A droga comeou, tambm, com pequenos segmentos. E olha no que deu! Coincidncia, aqui estamos colhendo informaes, dados e avaliaes.
    Vem sendo estudado, cientificamente, por todo o mundo. assim, no algo novo. O texto trs uma boa parte da verdade. Mas faltou uma fundamental: a pessoa, tambm conhecida por pessoa humana no sabia que tinha pessoa no humana!
    No o celular ou o computador, o problema o seu uso! Culpar equipamentos, o ladro, o corrupto e tantas outras coisas, o mais fcil da histria. Atrs ou mesmo na frente de um esperto, sempre tem uma vitima em potencial: um dependente eletrnico!
    Veja o que j acontece com crianas de ontem (ltimos 10/12 anos), em relao a dependncia conquistada, dia a dia, hora a hora.
    Sabe que existem diversas, muitas clnicas especializadas no atendimento dos doentes eletrnicos?
    Nada nos ofereceu tantas possibilidades como a internet: veculos rpidos e acessveis, para atingir-se objetivos e conhecimentos pretendidos. Lembrei-me, mais uma vez, do grande mestre Prof. Pierluigi Piazzi (este sim pode ser chamado de mestre). Alunos (no estudantes) que se preparam para as provas com algumas horas s querem a nota. Mas para jogar no computador, dedicam horas e horas! Aqui um dos problemas para o pssimo resultado de nossas escolas!
    OMS reconhece oficialmente vcio em games como problema de sade. Com esse movimento, transtornos patolgicos e comportveis associados a jogos electrnicos sero includos na 11 edio da Classificao Estatstica Internacional de Doenas e Problemas Relacionados com a Sade (CID-11).
    Recomendo que leiam. Em cada, em cada famlia tem uma ou mais vtimas das redes sociais, jogos, em geral.
    E j tem muita gente, na rea da sade, se especializando e ganhando dinheiro!
    Ah, mais um detalhe: saber mexer no celular se aprende. Fazer o crebro funcionar o problema! E quando tira, a maioria no sabe o que fazer e muito menos como fazer! Quem quer explicar isto?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.