Associação divulga nota repudiando ataques de Glenn Greenwald a repórteres de O Globo

Glenn chamou procuradores do MP e repórteres de corruptos

Deu na Folha

A Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji ) criticou o jornalista Glenn Greenwald, do site The Intercept Brasil, pelas manifestações em vídeo no YouTube no qual chama de corruptos dois repórteres do jornal O Globo, além de procuradores do Ministério Público do Rio de Janeiro.

Em nota divulgada nesta sexta-feira, dia 13, a entidade também manifestou solidariedade aos repórteres Juliana Dal Piva e João Paulo Saconi, autores de reportagem que apontou movimentações financeiras atípicas do deputado federal David Miranda (PSOL-RJ), marido de Greenwald.

SEM PROVAS – “Nenhum jornalista deve ser acusado sem provas por realizar seu ofício de divulgar informações. Lamentamos que um jornalista lance mão de expedientes dos quais ele próprio é vítima frequente — acusações e descredibilização — contra outros colegas, ultrapassando o limite da crítica ao trabalho feito”, afirma a Abraji.

No vídeo feito após reportagem do jornal, Glenn diz saber “exatamente quem são os corruptos neste caso”. “Não é David Miranda, são os procuradores do Ministério Público e os repórteres e editores do O Globo, que publicou um artigo lixo”, afirma. Segundo a reportagem, o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf ) encaminhou ao Ministério Público do Rio de Janeiro um relatório sobre movimentação de dinheiro em contas de David Miranda.

As movimentações atípicas, por si só, não configuram crime — o que ocorre quando a origem do dinheiro é ilícita. O texto afirma que a ação ocorreu dois dias após o Intercept iniciar a divulgação de mensagens trocadas pela força-tarefa da Operação Lava Jato em Curitiba.

ATAQUES – Editor do site, Glenn sofreu ataques após a revelação de diálogos (publicados também por outros órgãos de imprensa, como a Folha) que colocaram sob suspeita a conduta de procuradores e do ex-juiz Sergio Moro. Em julho, a Abraji havia defendido Glenn ao repudiar fala do presidente Jair Bolsonaro dizendo que o jornalista, que é americano, poderia “pegar uma cana no Brasil”. Em rede social, Glenn buscou justificar suas manifestações sobre a reportagem do Globo e afirmou que jornalistas não estão imunes a críticas pelo trabalho que desempenham.

“É legítimo que todos na vida pública que exercem o poder tenham suas ações criticadas. Isso inclui jornalistas. Confluir as críticas de jornalistas com ataques à imprensa livre torna muito mais difícil defender ataques reais à imprensa livre.” Procurado pela Folha, o jornal O Globo informou que não vai se manifestar.

17 thoughts on “Associação divulga nota repudiando ataques de Glenn Greenwald a repórteres de O Globo

    • Posso odiar o deputado maridinho do Verdevaldo, mas justiça seja feita: Acredito que ele seja totalmente inocente no caso da COAF. Afinal ele detesta uma “rachadinha”!

  1. Quando que essa tal de ABRAJI fez notinha de repúdio contra as declarações do jornalismo asqueroso do G1, chamando o menino do desfile de 7 de setembro de IDIOTA? Associação de merda.

  2. Ah país fdp só mesmo aqui um pederasta desse tem acesso a mídia e fica sendo bajulado por corruptos. Em qualquer outro país do mundo esse vagabundo já estaria preso. E viva Gilmar, Toffoli, Lewandowski o juiz de merda Celso de Melo, o Botafo, o Alcolumbre, o Renan Calheiros o Sarney o Maluf o Collor o Luladrão a Anta é ou não é um país VAGABUNDO?

  3. Divulgar é dever do jornalismo e parece que essas movimentações detectadas pelo COAF são verdadeiras. Portanto, o Glenn está errado.
    Assim como ele tem o dever de divulgar o material do hacker, os jornalistas da Globo também tem esse mesmo dever.

  4. Estimado CN, se o tal “davidmiranda” é insistentemente nominado “marido” do “verdevaldo”, como deve ser nominado o inefável “verdevaldo”? “Mulher” ou “esposa” do Mirandão?

  5. Não duvido que sejam (senão corruptos, imorais) mesmo.
    A Globo, como veículo da elite, bem sabemos que elabora um conteúdo sempre tendencioso.
    Já o vagante órgão (Ministério Público), que supostamente não atua politicamente, porém muito frequentemente vistos seus membros com bolsos cheios, pode às vezes caminhar distante mas sempre flertando com os donos do poder político – afinal, também são elite e frequenta os mesmos coquetéis, resorts etc.

  6. O que se viu no debate do Programa Roda Viva foi muito revelador (para quem critica o trabalho do Glenn).
    Vimos verdadeira tentativa de massacre.
    Mas os inquisidores se deram mal.
    Glenn deu aula de ética no jornalismo para os jornalistas.

  7. Bom dia , leitores (as):

    Deu na Folha e Senhor Carlos Newton , sugiro que investiguem a compra do mandato do ex-deputado do Psol Jean Willys , pelo jornalista Glenn Greenwald, do site The Intercept Brasil, para o agora deputado David Miranda (PSOL-RJ) , e seu envolvimento no recrutamento para a ” Prostituição ” de jovens carentes das favelas e periferia do Rio de Janeiro .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *