Astrônomos descobrem planeta em condições semelhantes à Terra

O exoplaneta Gliese 832 c é cinco vezes maior do que a Terra

Deu na EFE

Matéria distribuída pela agência internacional EFE anuncia que uma equipe liderada por um astrônomo brasileiro descobriu um planeta igual a Júpiter orbitando à mesma distância da Terra uma estrela similar ao Sol, o que poderia ser um marco na busca de sistemas planetários parecidos ao solar, informou o Observatório Europeu do Sul (ISSO). Trata-se do Gliese 832c, que orbita em torno da estrela anã vermelha Gliese 832 e fica razoavelmente longe da terra: 16 anos-luz de distância. Para se ter ideia, cada ano-luz equivale a 9,5 trilhões de quilômetros, sendo que Marte, nosso “vizinho” para o qual nunca fomos, está 225,3 milhões de quilômetros de nós.

A descoberta, apresentada em artigo científico publicado na revista “Astronomy and Astrophysics”, foi possível porque os especialistas utilizaram o telescópio de 3,6 metros do observatório, instalado no Chile.

Os estudos agora partirão para outro ponto importantíssimo: a atmosfera desse exoplaneta. Segundo alguns especialistas, isso pode ser determinante para a possibilidade ou não de estadia humana lá. E depois, apenas muito depois, que haverá preocupação com a distância entre nós e o “gêmeo gigante” de nosso planeta. O fato de o exoplaneta receber aproximadamente a mesma energia que a Terra recebe do Sol, faria dele habitável — mesmo ele sendo cinco vezes maior do que a Terra.

 

 

8 thoughts on “Astrônomos descobrem planeta em condições semelhantes à Terra

  1. Buda falou que existem milhares de mundos, com milhares de Budas e Bodhisatvas (anjos).

    Disse Jesus: “Há muitas moradas na Casa de meu Pai” = Espiritualistas interpretam de forma semelhante à esta notícia revelada pela agência espanhola EFE e republicada aqui pela TI, brevemente… Tribuna Interplanetária… ou Tribuna Interreligiosa… também…

  2. Caro jornalista,

    Se alguém gostou na reportagem superior, achará interessante as descobertas da sonda New Horizons.
    Até a semana passada eram essas as melhores imagens que a humanidade tinha do planeta Plutão desde que foi descoberto em 1930:
    http://www.nasa.gov/mission_pages/hubble/science/pluto-20100204.html

    A partir dessa semana, passamos a saber como é, de fato, a superfície do planeta:
    http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2015/07/150715_plutao_imagens_lk

    Da mesma forma que a descoberta, pelo grego Eratóstenes, dois mil anos atrás, que a terra tinha a forma esferoidal, só começou a ser importante para a humanidade séculos depois, na época do início das grandes navegações, talvez essa descoberta, embora agora pareça inútil, tenha alguma importância para os futuros descendentes da humanidade.

    Abraços.
    Ps: Guerra do Iraque: Ainda hoje custa 300 milhões de dólares por dia.
    Missão New Horizons: 700 milhões de dólares, em quinze anos!

  3. Se pudesse me mudava para lá e não deixava estes políticos do Brasil ir, caso contrário iriam vender o planeta e iria virar este inferno que está o Brasil.

  4. Temos é que, antes de tudo, parar de CAGAR esse planeta maravilhoso todo. Ele é nossa casa e a de nossos filhos e netos. A pesquisa científica é sempre bem-vinda, pois podemos compreender melhor a nós mesmos estudando os outros sistemas.

    Se a criação imperfeita, mas maravilhosa, do processo evolucionário se dedicasse mais ao progresso e menos aos excessos e vaidades vazias, poderia,os compreender o corrigir nossa própria natureza que hoje nos encaminha inexoravelmente para o rapido envelhecimento e a morte e a decomposiçao em curto espaço de tempo. Nossos estragos duram muito mais do que nós.

    A esperança se renova, pois com a juventude preservada nos gametas, com a reprodução a humanidade é sempre jovem e, nesse sentido, teoricamente imortal, transmitindo cultura e conhecimento, sempre revolucionando, inovanxo, mas sobre os ombros de gigantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *