Até quando vamos conviver com a roubalheira institucionalizada

José Carlos Werneck

Até quando este Governo abusará da paciência do povo brasileiro? Até onde pretende substituir, por meio de medidas provisórias, o papel do Poder Legislativo? Até que ponto contribuirá para a intranquilidade e insegurança que tomaram conta da Nação? Até quando pretende, por meio da inflação e do aumento do custo de vida, levar ao desespero a população que paga impostos absurdos, sem receber nada em troca?

É inaceitável permanecer nesta desordem que se alastrou pelos setores administrativo, econômico e financeiro de todo um país com enormes potencialidades e que está parado por conta de tanta corrupção.

Chega de subterfúgios. Chega de deslavadas mentiras criadas por um partido com o intuito de confundir os brasileiros e levar adiante seu plano de se perpetuar no Poder. Basta de casuísmos e demagogia barata, para que, realmente, se façam os ajustes econômicos necessários.

A maioria das medidas tomadas pelo Governo petista, são balelas, sem outro intuito a não ser enganar a boa-fé dos brasileiros, que, estão fartos de tanta ineficiência e roubalheira.

O PAÍS ESTÁ PARADO

Não é aceitável que este caos provocado pela administração petista, que implantou a desordem generalizada, paralise toda a Nação.

Há intranquilidade nas cidades, com uma segurança pública ineficiente, e no o campo, com ações criminosas do MST, intranquilizando igualmente proprietários e camponeses.

A opinião pública repudia veementemente esta política de origem duvidosa contrária às instituições, cuja preservação cabe, por imperativo constitucional, ao próprio Governo.

A Nação anseia pelo respeito à Constituição. Precisamos de ajustes discutidos e votados, sem o toma-lá-dá-cá, pelo Congresso Nacional. Desejamos a preservação das conquistas democráticas. O povo quer eleições limpas e com apuração confiável.

ENTREGUE O PODER

Se a presidente Dilma Rousseff não pode cumprir o papel que lhe é destinado constitucionalmente, não lhe cabe outra saída senão entregar o Governo ao seu legítimo sucessor.

É consenso que a presidente termine o seu mandato como prevê a Constituição. Tudo isso é salutar para a Democracia. Mas, para isso, a presidente da República terá de desistir desta sua política nociva, que está prejudicando o Brasil e os brasileiros.

Os brasileiros não desejam golpes nem contragolpes. Querem preservar e cada vez mais aperfeiçoar o processo democrático, duramente construído, e manter a estabilidade econômica obtida pelo Plano Real, que está sendo jogada no lixo da História. Mas não admitem que seja o Poder Executivo, por interesses espúrios, quem promova o caos social e tente cercear a Imprensa e todos os meios da livre manifestação do pensamento, levando a Nação à ditadura de um partido, corroído pela corrupção.

Os Poderes Legislativo e Judiciário, as Forças Armadas, e todos os segmentos democráticos devem estar vigilantes para combater todos aqueles que pretendem ameaçar a Democracia.

O País já sofreu além dos limites com este desgoverno. Agora, chega de tanta podridão e de tanta mentira!

8 thoughts on “Até quando vamos conviver com a roubalheira institucionalizada

    • Armando, o caldeirão tá fervendo e logo os teus dias de MAV vão terminar. Trabalhar deve ser difícil para quem vive do dinheiro public sem fazer nada. E, te cuida com a Papuda, bandido sempre acaba lá.

  1. No meu entender, enquanto não ocorrer o necessário “mea culpa” amplo, geral e irrestrito em nossa sociedade, é em vão clamar à vigilância o Poder Legislativo que aí está, cuja maioria dos seus integrantes age e decide demagogicamente, principalmente em função de relações promíscuas e consentidas com o Poder Executivo, em busca da repartição de poder em casa alheia, como bem evidencia o conhecido painel de votação em dias de decisões polêmicas e o teor dos comentários jornalísticos. Impossível, nesse contexto, não dar eco aos R$ 20.000.000,00 destinados ao Collor e sua turma, segundo noticiado pela revista Veja. Gostaria de vislumbrar, ainda que em um futuro distante, a eclosão de uma justa indignação dos justos em nosso País.

  2. A resposta à pergunta do título desse artigo é simples. DEMISSÃO (voluntária ou não . . . ) A “consumação” dessa opção entretanto, sabemos que se arrastará até que os palácios dos três poderes em Brasília enchafurdem na lama e a república seja obrigada a finalmente, renascer das cinzas . . . através de um necessário período de “purificação”.
    Lamento informar, mas só vejo possibilidade de solução efetiva através de um período de governo civil-militar que consiga colocar novamente a casa em ordem e dar novo rumo ao país através de sua moralização. Não é a única, mas é a mais efetiva solução e no menor prazo, disponível no horizonte!

  3. Caro Werneck, que falta faz ao Brasil um líder político digno para reconduzir este pobre país rico à sua vocação de ser uma nação soberana e justa socialmente.

  4. Mais um representate da direita raivosa, incompetente, inconformada com o povo que a jogou para escanteio a muito tempo. Como é de praxe, diante da imposssibilidade de atingir o poder via democracia, prega a solução “civil-militar”, para voltarmos ao tempo da escuridão. Pode tirar o cavalo da chuva (mesmo os de duas patas), trevas nunca mais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *