Até que ponto a opinião de 81% dos brasileiros pode influenciar os deputados?

Resultado de imagem para votação na camara  charges

Charge do Mariano (Charge Online)

Pedro do Coutto

Pesquisa do Ibope, divulgada na tarde desta segunda-feira pela Globonews, revela que 81% dos brasileiros são favoráveis a que o presidente Michel Temer seja julgado pelo Supremo Tribunal Federal sob acusação de corrupção passiva, formulada pelo procurador-geral da República Rodrigo Janot. A pesquisa acrescenta mais uma explosão nas articulações políticas que o Palácio do Planalto vem empreendendo para bloquear que o processo passe à esfera da Corte Suprema.

Sem dúvida alguma, a pesquisa do Ibope representa um obstáculo às ações do governo para encerrar a discussão do tema e, se possível, votar ainda nesta quarta-feira o desfecho da matéria, na tentativa de reduzir o desgaste do governo.

SEM QUORUM – A pesquisa do Ibope pode não ser suficiente para mudar os rumos do desfecho final, mas inegavelmente sua divulgação pode ter agradado à planície, mas desagradou profundamente o Planalto.

Acrescentou um fator a mais para o desempenho da oposição e dos favoráveis ao prosseguimento da denúncia no seu empenho de, pelo menos, adiar de forma indefinida a votação final da matéria.

Nem o governo nem a oposição, possuem os 342 votos para assegurar o fim desta etapa do debate. O Palácio do Planalto conta, como anunciam seus líderes, com cerca de 250 votos. O que significa que, se a oposição obstruir os trabalhos, não terá força o governo para decidir a matéria.

IMPASSE – Neste caso o impasse continua. Com agravante da pesquisa do Ibope, cujos números já traduzem em si a condenação moral do presidente da República, pelo seu ato de receber Joesley Batista no Palácio Jaburu.  O controlador da JBS gravou a conversa. A população também. Esse desgaste cresceu muito nos últimos dias, sobretudo depois que a opinião pública brasileira tomou conhecimento das investidas governamentais à base da prática fisiológica de trocar votos na Câmara por verbas ou cargos no governo.

O Planalto tem agido assim, inclusive como afirmou o ministro Eliseu Padilha à Folha de São Paulo, dizendo que aqueles que indicaram representantes na administração pública, se não votarem a favor de Michel Temer, terão seus indicados exonerados.

São os que ocupam cargos de confiança e direção, inclusive nas empresas estatais. Com isso, Padilha deixou  mais uma vez bastante claras as regras do jogo do Executivo em relação à Câmara dos deputados.

9 thoughts on “Até que ponto a opinião de 81% dos brasileiros pode influenciar os deputados?

  1. Se a pesquisa informasse que 99,9% quer a destituição de Temer, isso alteraria alguma coisa quanto ao rumo da política, tanto para ele pessoalmente quanto para a sua estrategia de permanecer na presidência? Temer está pouco se lixando. Esse cidadão galgou a presidência por acaso e se tivesse que peitar uma campanha eleitoral seria sempre eleito o que sempre foi: figura parda, insossa e pronto a meter a mão no caixa para salvar sua imagem. Um lixo.

  2. O que nós, parte do povo ordeiro e trabalhador brasileiro, que construimos este Pais, pensamos em relação ao atual governo? Quem jogou o Brasil no lixo foi o PT e seus comparsas, incluindo aí o PMDB. Mas, foi a petralhada, comandada pelo sujeito mais desonesto da face da terra, o vulgo molusco, que nos fez regredir 30 anos. Então, tirar o Temer para que? Para colocar o molusco e ver o Brasil se transformar de vez numa Venezuela? Nam,, nam, nim, nam, não. Essas pesquisas são de araque. Nós não achamos que o Temer é a solução. Mas, preferimos continuar com essa temeridade, do que recolocar o grupo dos piores bandidos que a história humana já produziu.
    Aliás, esse Janot, petralha de carteirinha, está tentando executar seu projeto pessoal, fazendo acordo com os empresários auto-proclamados criminosos. Vai para a lata do lixo da história. Essa turma não vai continuar defecando seus podres fedorentos em cima do povo trabalhador do Brasil. Fora Lula! Fora Janot! Fora cambada de bandidos!

  3. 100% jamais influenciariam brasileiros. O eleitor só vale na hora do voto, porque é obrigatório. “Todo poder emana do povo e em seu nome será exercido”, mas eles finfem nem conhecer o art. 1º da Constituição Cidadã.

  4. Toda semana sai uma pesquisa sobre a popularidade do Michel Temer. Agora, na véspera do julgamento da denúncia contra o Temer sai a pesquisa do IBOPE, revelada pela Globo News, que faz campanha contra Temer de manhã, a tarde e a noite. dizendo que 81% dos brasileiros são favoráveis a que o presidente seja julgado pelo STF. A pergunta feita aos pesquisados, levou em consideração que o Temer, vai ser absolvido pela câmara., então ficou restando o STF.
    Todos nós sabemos que o Temer não é nenhum santo. Eu nunca votei no PMDB e jamais votaria em Temer. Vejo essa campanha contra o Temer, encabeçada pelo PT e seus aliados: PC do B. REDE, PSOL e PDT, mais como vingança que propriamente seus supostos atos de corrupção, isto porque, eles ao defenderem a Dilma e o Lula, demonstraram, que não estavam preocupados com corrupção e sim com o poder.
    A grande mídia, dependendo dos seus interesses pode ser contra ou a favor de um governo,
    independentemente se ele é corrupto ou não. Lula governo 8 anos e Dilma, somente faltando 2 anos para o fim de seu governo é que houve campanha para seu impeachment, evitando que ela afundasse ainda mais o país.

  5. Hoje vai ser o dia inteirinho assim: deputados recomendando a leitura do relatório sobre a rejeição da denúncia contra o Presidente Temer. Uma coisa tão simples; nem precisava esta presepeda. Só o fato do presidente ter recebido altas horas o Rodrigo (de nome Joesley) seria o suficiente para um impeachment.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *