Atitude do antigo porta-voz mostra fim de unanimidade entre militares sobre Bolsonaro

General Otvio Rgo Barros depois de pronunciamento no Palcio do Planalto, no ano passado: alerta sobre os

Rgo Barros no est expondo apenas uma opinio isolada

Francisco Leali
O Globo

No a primeira vez. No deve ser a ltima. O ex-porta-voz da presidncia da Repblica, general reformado Otvio Rgo Barros, aderiu lista dos que deixam o posto e apontam o dedo para o ex-chefe. No governo Jair Bolsonaro, os precedentes, em sua maioria, vm da antessala do presidente. Gente que desfrutou das confidncias de Bolsonaro, passou algum tempo o defendendo e, por motivos diversos, perdeu o posto, mas ganhou a liberdade para dizer no.

Rgo Barros, como j fora Santos Cruz, deixou a caserna para seguir Bolsonaro na aventura de governar. No conseguiu ditar as regras de relao do chefe com a imprensa e foi escanteado at ser exonerado.

TIPO JLIO CSAR – Em artigo publicado na tera-feira, usou da analogia com a Roma Antiga para comparar o presidente, sem cit-lo, a Jlio Csar, o general que, vitorioso em batalhas campais, chegou triunfante s portas da cidade e retirou o poder do Senado.

Segundo Rgo Barros, “os lderes atuais, aps alcanarem suas vitrias nos coliseus eleitorais, so tragados pelos comentrios babosos dos que o cercam ou pelas demonstraes alucinadas de seguidores de ocasio”.

O general reformado sugere que a populao que elege deve lembrar ao ungido todo-poderoso de que mortal. Numa traduo livre, pode-se dizer que o militar da reserva est admitindo que o “mito” anda dando ouvidos s a quem concorda com ele ou o segue alucinadamente . O exemplo do general mais do que o de um ex-subordinado que sai a falar por aparente descontentamento com os rumos que a coisa toda tomou.

VOLTA DOS MILITARES – Rgo Barros vem do ncleo do comando militar que em 2018 viu em Bolsonaro a possibilidade de as Foras Armadas voltarem a ter peso e voz no mundo civil da poltica.

Antes de assumir o posto de porta-voz, mostrava-se preocupado com o entendimento de que a participao de um, dois ou mesmo vrios generais no futuro governo poderia ser vista como a volta das Foras Armadas ao comando do pas.

Cercado, na poca, por coronis, alguns adeptos da defesa religiosa da eleio do presidente que iria mudar “tudo isso a”, Rgo Barros indica, agora, que no haveria unanimidade na caserna para aplaudir todo e qualquer gesto presidencial.

###
NOTA DA REDAO DO BLOG
Em traduo simultnea, a chamada ala militar do Planalto no est agradando nada, mas nada mesmo, os militares de verdade aqui de fora. (C.N.)

3 thoughts on “Atitude do antigo porta-voz mostra fim de unanimidade entre militares sobre Bolsonaro

  1. Apesar de os militares almejarem sempre a unicidade por vezes, pensamentos de um grupo so diversos de outros grupos.
    o que est ocorrendo nas Foras Armadas.
    Muitas ideias e aes do Presidente no so mais endossadas automaticamente s pelo fato de Bolsonaro ter sido oficial do EB. E h casos em que o uso do brio militar por Bolsonaro est desfigurado as Foras Militares.
    S que JB no est nem a, talkey?
    Sinuca de bico!

  2. Como eu j venho falando aqui no TI as alas divididas das FFAA iro se enfrentar.

    2 alas dividem as FFAA:

    a) Ala nacionalista
    b) Ala entreguista

    A ala entreguista esto compondo o governo junto com o Bozo, como por exemplo: general de pijama Heleno, Mouro, Luiz Ramos, Pazuello,

    A besta do Bozo ainda deu para atacar militares entreguistas que o apoiam, mas que agora caiu em desgraa. Como o caso do Otvio do Rgo Barros.

    O passado indigno do Bozo nas FFAA fez com que ele no tivesse escolha a no ser se aliar a ala entreguista das FFAA.

    Mas para burrice estratgica do Bozo, a ala entreguista das FFAA so insignificantes dentro da corporao militar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.