Audiência das TVs abertas cai muito no horário eleitoral, e quem sai ganhando são as TVs por assinatura.

Nogueira Lopes

Começa amanhã mais um martírio para os brasileiros, com a volta do chamado “horário eleitoral gratuito”, que de gratuito não tem nada, já que é compensado pelos milionários abatimentos no Imposto de Renda das emissoras de rádio e de televisão aberta.

Como já expliquei aqui na coluna, o desconto do Imposto é uma benção estatal inigualável, mas o horário eleitoral tem desvantagens para as emissoras de TV aberta. Motivo: a cada eleição, a audiência diminui e mais telespectadores migram para as emissoras por assinatura.

Em 2008, por exemplo, na eleição de prefeitos e vereadores, a audiência da TV por assinatura bateu recorde, subindo 104% entre as 20h30 e as 21h30, comprovando o desinteresse do público em relação à política.

O risco que as TVs abertas temem é que esses telespectadores migrantes possam se acostumar com a TV por assinatura e deixar de assistir novelas e outras bobagens, o que seria altamente salutar, aliás.

Diante do perigo, as TVs abertas estão dispostas a pressionar o governo para que obrigue as emissoras de TV por assinatura a também exibirem o horário gratuito. Como dizia o genial Barão de Itararé, “era só o que faltava”.

Mais assinantes na TV por assinatura

As emissoras de TV aberta estão mais do que preocupadas, porque, segundo um levantamento que acaba de ser divulgado pelo Ibope, o número de assinantes de TV por assinatura cresceu 40% entre 2009 e 2010. O país deverá fechar este ano com 9 milhões de domicílios com TV paga, atingindo 30 milhões de telespectadores. Detalhe importante: o crescimento está sendo impulsionado pela classe C, na qual o número de assinantes aumentou 33% de 2009 para 2010.

Deputado perde a linha no Congresso

Por falar em televisão, pegou mal o deputado federal Nelson Trad, do Mato Grosso do Sul, ter agredido uma equipe do programa “CQC”, da Band, dentro do Congresso Nacional. O cinegrafista ficou com a roupa rasgada e teve parte do equipamento danificado. A repórter Monica Iozzi também chegou a ser empurrada.

O incidente aconteceu após o deputado ser abordado pela equipe, que fazia uma reportagem sobre abaixo-assinados no Congresso Nacional. Eles colocaram uma moça para recolher assinaturas de parlamentares, para mostrar que eles nem ligam para os projetos que assinam. E o documento levado pela equipe de TVe assinado na hora por Trad pedia justamente a inclusão de um litro de cachaça no Bolsa-Família.

Ao ser informado pela repórter sobre o que assinara, o deputado se exaltou, xingou a equipe e partiu para a agressão.

Bebeto e Romário já estariam eleitos?

Um informante desta coluna, dizendo-se conhecedor dos “bastidores da política”, garante que dois antigos craques de futebol já podem se considerar eleitos. Romário, candidato a deputado federal pelo PSB, e Bebeto, que tenta uma vaga na Assembléia Legislativa pelo PDT. “Eles vão driblar os adversários”, garante o informante da coluna. Mas será mesmo?

Confira a produtividade da Justiça

Vamos a mais uma estatística de produtividade na Justiça do Estado do Rio de Janeiro, que está dando exemplo, ao divulgar o número de sentenças emitidas pelos juízes estaduais.

Nos processos da Fazenda Pública, por exemplo, a líder é a 5ª Vara, com 646 sentenças no primeiro quadrimestre do ano, seguida pela 10ª, com 633 e pela 4ª, com 632. Depois, vêm a 15ª Vara, com 556 sentenças, a 13ª, com 519, e a 14ª, com 489.

Libertinagem e liberalidade na internet

Uma pesquisa inédita sobre segurança na internet mostra que 53% das crianças e jovens já tiveram contato com conteúdos considerados impróprios para sua idade. Uma das principais razões é o fato de 63% dos pais não colocarem limites nos filhos em relação ao uso da web. São famílias que não sabem a diferença entre liberalidade e libertinagem.

Verdades e mentiras, segundo Drummond

Por fim, em tempo de campanha eleitoral, é sempre bom lembrar um pensamento do cronista e poeta Carlos Drummond de Andrade. Dizia ele: “A mentira iluminada pela inteligência tem um esplendor que a verdade não possui”.


This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *