Aventuras totalitárias, à direita e à esquerda, precisam ser rechaçadas

Resultado de imagem para totalitarismo charges

Charge sem assinatura (Arquivo Google)

Roberto Nascimento

Medida acertada do ministro Edson Fachin, ao quebrar o sigilo das delações dos irmãos Batista. A condução da Lava Jato, nesta fase decisiva, que tem como relator o ministro Fachin, tem se tornado uma agradável surpresa, pela rapidez nas decisões e pela eficiência comprovada. É um desempenho espetacular, seguindo a mesma linha do falecido ministro Teori Zavascki.

A cada semana, um estrondo se houve de longe, expondo as entranhas das relações espúrias entre o público e o privado. Entranhada em toda a máquina pública, a corrupção é indiscutivelmente a razão da crise econômica. Bilhões foram desviados para irrigar contas abertas em paraísos fiscais e para compor fortunas colossais no mercado interno.

POR GERAÇÕES – O dinheiro surrupiado é de tal monta que, no mínimo, dez gerações dos corruptos não precisariam trabalhar. Viveriam apenas de rendas, oriundas de propinas de toda ordem. Um escândalo, que apavora e entristece o povo, sem serviços adequados e eficientes nas áreas vitais da saúde, educação e segurança, numa crise agravada pelo sufocante desemprego, que coloca grande parte da sociedade em situação de calamidade.

A corrupção é um crime contra a nação e a cidadania, sem sombra de dúvidas. Quando pensávamos que o Mensalão e as punições geradas pelo processo da Ação Penal 470 viessem a mudar as práticas ilícitas, pelo contrário, avançaram rumo ao Petrolão, dilapidando as finanças e a credibilidade da estatal petrolífera, então a maior empresa do Brasil.

CRIMES EM SÉRIE – Nada mudou, infelizmente. Mesmo diante das prisões dos corruptos da Lava Jato, continuaram a delinquir, como se demonstra no universo das carnes e dos frangos da JBS. E, perguntamos nós: O que mais está por vir em outro segmento do público e do privado?

Certamente, a contaminação corruptiva extrapola o entendimento do mais otimista dos cidadãos brasileiros. O ceticismo em relação as boas práticas éticas no meio político e no meio empresarial vai se formando no inconsciente do povo.

Nesse clima, está aberta a caça a qualquer aventureiro que apareça prometendo o paraíso e depois entregando o calvário ao povo.

DEMOCRACIA AMEAÇADA – A direita se assanha para levar um personagem não-político ao Poder Central ou então fabricar um ditador para solapar a nossa democracia e a liberdade de expressão. Mas as aventuras totalitárias, à esquerda e à direita, devem ser rechaçadas. Além de não serem garantia de resolução dos graves problemas nacionais, os atos e totalitarismo poderão colocar mordaças e impedir o crescimento das gerações futuras.

Por mais que sejam intoleráveis, os fatos envolvendo corrupção têm vindo a tona. Não poder criticar e não conseguir receber informações concretas sobre a condução do país significam uma situação incomparavelmente pior, pois os atos de corrupção continuarão a ocorrer, mas o povo estará impedido de sabê-los, através da volta à censura, de triste memória dos tempos idos.

10 thoughts on “Aventuras totalitárias, à direita e à esquerda, precisam ser rechaçadas

  1. ANEXO 1

    “… QUE o depoente depositou a pedido de Guido Mantega, … 30 milhões de dólares em conta no exterior; QUE … este valor se destinava a DILMA;
    QUE o saldo das contas vinculadas a LULA e DILMA eram formados pelos ajustes sucessivos de propina no esquema do BNDES e do esquema-gêmeo, que funcionava no âmbito dos fundos PETROS e FUNCEF;
    QUE esses saldos somavam, em 2014, cerca de 150 milhões de dólares; QUE…”

    LULA , HOMEM MAIS HONESTO DO BRASIL…
    DILMA, A INCORRUPTÍVEL…

  2. “O grande dilema no labirinto

    Está o Brasil em condições de conhecer a verdade profunda do poder político?”

    *Flávio Tavares, Estadão 19.05.2017 | 03h03

  3. “…a corrupção é indiscutivelmente a razão da crise econômica.”

    Não. As causas da crise econômica vêm bem mais de longe e são consequência direta do modelo político que domina o país, que é um modelo de dirigismo econômico (keynesiano) realizado pelo Estado.

    Enquanto o país for dominado pelo pensamento esquerdista que se esconde por detrás do falso argumento nacionalista, quando, por exemplo, defende estatais, sem penetrar na realidade delas, nada mudará.

    Toda o arranjo fisiológico do estamento estatal e todo o imbricamento de recursos públicos com recursos privados, com os políticos se servindo de “doações” de empresas privadas beneficiadas com empréstimos de recursos públicos a juros subsidiados e de reservas de mercado garantidos por esses mesmos políticos, ou dos desvios de recursos de empresas estatais que servem apenas para cumprir o papel de alimentar com recursos os grupos de poder; todo esse arranjo econômico esquerdista é que desencadeia e que continuará desencadeando a calamidade econômica em que o Brasil se encontra.

    O resto é tergiversação.

  4. “A direita se assanha para levar um personagem não-político ao Poder Central ou então fabricar um ditador para solapar a nossa democracia e a liberdade de expressão. Mas as aventuras totalitárias, à esquerda e à direita, devem ser rechaçadas. ”

    Caro Roberto Nascimento,

    O parágrafo acima poderia ser perfeito, se não fosse tu mencionares a democracia solapada, pois eu te perguntaria respeitosamente, que democracia é esta?!

    Faz trinta anos que as eleições repetem infalivelmente um processo altamente danoso e prejudicial ao povo e país.

    Posso repetir à exaustão que, independente de sermos uma população inculta e incauta, analfabeta funcional e absoluta em alto grau, um povo sem senso crítico e consciência política, idiotizado e imbecilizado por formadores de opinião e por uma substancial parcela da imprensa tendenciosa e comprada, que esta democracia falsa, enganadora, pois o voto é obrigatório, os partidos agem totalitariamente, a impunidade está cada vez mais instituída no Brasil, o parlamento somente legisla em seu favor, o povo permanentemente condenado a pagar pelos prejuízos ocasionados pela incompetência e corrupção de seus governantes, escravo por seis meses ao ano para saldar a carga tributária que lhe verga as costas, com o Sistema integrado pelos Três Poderes aliado à elite mais perniciosa que temos, a dos banqueiros, que não temos democracia, mas um teatro, um desfilar de gente que deposita o seu voto em urnas inconfiáveis, e a cada legislatura os crimes não só continuam como seguem céleres e protegidos em busca de seus objetivos!

    Uma democracia engendrada para atender interesses e conveniências escusas, desde que garantisse a permanência no poder do mesmo grupo que tinha intenções de se locupletar de qualquer forma, mesmo sacrificando milhões de vítimas nessas últimas três décadas e imolando outro tanto de inocentes!

    Esta democracia falsa tem sido muito pior que a ditadura última que tivemos, tanto pela insegurança quanto pela saúde pública deficiente, que dizimou milhões de brasileiros nesses trinta anos, onde a alegação absurda era sempre a “falta de verbas”.

    Não tenho a menor ideia, Roberto, e talvez tu também, do quanto fomos roubados nessas três décadas por esta democracia abjeta e deletéria!

    Quatrilhões, quintilhões de reais, certamente muito mais.

    Corrupção, desvios de verbas, planos econômicos, inflação, hiper-inflação, mega-inflação, super-inflação, ultra-inflação, quanto que o poder aquisitivo do povo não foi perdido, enquanto os poderes protegiam seus salários e aquisições, e nós votando em canalhas, ladrões, gente da pior espécie!

    A minha ideia de solução agora, diante deste caos sem precedentes é fechar o Congresso, e intervenção no Planalto.

    Até 2018, quando seria promulgada eleições diretas e gerais, os intervencionistas implantariam as mudanças e reformas urgentes e necessárias politicamente, pois apenas com esta medida e a economia melhoraria muito!

    Enfim, o maior perigo reside nesta esquerda nacional, onde o ladrão do Lula é o risco que temos se eleito neste momento, através de um golpe parlamentar, que rasgue a Constituição, e abandone o artigo que reza quando os cargos de presidente e vice se tornam desocupados.

    Aplaudo o teu brilhante artigo com esta ressalva minha, particular, que não considero um mero processo eleitoral e vicioso como se vivêssemos em democracia porque decididamente não é verdade, diante das minhas explanações acima e indiscutíveis.

    Um grande abraço.
    Saúde e paz.

    • Bendl! Você está absolutamente certo e esse é um texto que eu gostaria de ter escrito. Agora, já que os militares disseram que não adianta chamá-los, quero que apontem quem irá fechar o Congresso e dar um pé na bunda daquela gente dos Três Poderes?

  5. Ninguém conseguirá governar esse ou qualquer outro país tendo que “negociar” com 27 partidos políticos com representatividade na Câmara, dos 35 existentes. E se alguém acha que nessa sopa de letras tem alguém interessado em outra coisa que não seja se locupletar de alguma forma, mesmo que seja apenas com o dinheiro do fundo partidário, está sendo ingênuo demais. Toda essa excrescência surgiu com o fim dos governos democráticos militares e não vai mudar nas mãos das ratazanas de terno e gravata.

  6. A maior ameaça a frágil democracia que temos é incentivar e apoiar a volta do corrupto-mór, centro de todas as maracutaias que se sucederam nos últimos 15 anos. Apoiar ditadura é negar que o grupo que se reelegeu foi com corrupção e para isso destruiu a economia do país. Lula, Dilma, Temer, Renan, Sarney, tudo junto e misturado, pessoas especiais. Até Maluf, o coroné lula foi beijar a mão para eleger seu poste paulista. E o dinheiro suado do trabalho do brasileiro se esvai. Primeiro com a falência do “campeão” Eike Batista e agora com a fuga de capital dos irmãos Batista. Se beneficiaram do capitalismo de estado aonde quem entrou com o capital foi o povo (através do BNDES e leis arranjadas) e quem lucrou e lucra é o empresário e suas hienas políticas que ficam ao lado comendo as carcaças.
    Aonde estão os dois maiores campeões nacionais do governo do PT? Na terra do Trump e na prisão domiciliar.

  7. Aventuras totalitárias de direita ou esquerda ocorrem quando as elites governantes arrastam seus países a uma situação de colapso de tal órbita que o sistema perde toda a credibilidade. Para ser mais claro, totalitarismos só chegam quando o sistema político anterior já se autodestruiu.

  8. Válido o texto do Roberto Nascimento, ponderando o alto grau de vulnerabilidade da nação em face da total bagunça e corrupção que emana dos poderes da República.

    A meu ver, os brasileiros aguardam sem ver a hora o surgimento de um estadista que tome as rédeas para colocar o país em seu eixo, ou dependendo das circunstâncias, até das Forças Armadas para nos livrar desse caos com jeito de buraco negro… sem volta.

    Mas, porém, contudo, todavia, dureza mesmo é assistir esse espetáculo grotesco do nós contra eles, ser manipulado e dirigido por empresários e suas fortunas, comprando altas figuras da política nacional.

    O máximo em surrealismo tropical…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *