Bancada de Bolsonaro na Câmara já tem quinze deputados que vão trocar de partido

Resultado de imagem para bolsonaro charges

Charge do Duke (dukechargista.com.br)

Deu em O Tempo
(Agência Estado)

Na Câmara, Jair Bolsonaro (PSC-RJ) tem uma “tropa de choque”, com cerca de 15 deputados de diferentes partidos: DEM, PR, SD, PSD, entre outros. Parte do grupo está esperando uma decisão de Bolsonaro sobre qual partido vai para poder acompanhá-lo. Se ele confirmar a ida para o PEN com seus aliados, o partido vai conseguir ultrapassar a cláusula de desempenho, aprovada na reforma política.

Ainda assim, Bolsonaro enfrentaria um problema: a troca pela janela partidária, em março de 2018, garante a manutenção do mandato, mas não o tempo de TV e recursos do Fundo Partidário. Ou seja, ele faria campanha presidencial com menos dinheiro e menos tempo de TV.

MAJOR E DELEGADOS – Um dos parlamentares desse grupo é Major Olímpio (SD-SP), que diz já ter recebido um convite do PEN e pode disputar o governo paulista pela sigla. “O Bolsonaro é um candidato muito viável. Vejo a candidatura dele crescendo a cada dia e posso me alinhar com ela”, disse.

Delegado Éder Mauro (PSD-PA) afirmou que o presidente da sua sigla, ministro Gilberto Kassab, já está ciente de sua movimentação para acompanhar Bolsonaro. Já Delegado Waldir (PR-GO) disse que é “100% Bolsonaro” e vai trabalhar até mesmo em sua campanha presidencial. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Bolsonaro e sua bancada teriam de trocar logo de partido, para sua candidatura ganhar maior espaço no horário eleitoral, mas isso só vai acontecer em março, quando se abre a “janela” partidária. No entanto, não fará diferença. Do jeito que as coisas estão indo, Bolsonaro vai subir nas pesquisas e muitos partidos farão uma coligação com a legenda a que o candidato estiver filiado em março, ampliando seu tempo na TV e no rádio. A repulsa dos eleitores com os políticos cresce sem parar, beneficiando Bolsonaro, que terá apoio até mesmo da cúpula das Forças Armadas, que ainda faz muitas restrições a ele. Se for eleito, os generais terão de bater continência diante dele. (C.N.)

18 thoughts on “Bancada de Bolsonaro na Câmara já tem quinze deputados que vão trocar de partido

  1. Esse Bolsonaro ignaro será o avatar de homens públicos, bizarros, que já passaram pelo governo brasileiro.
    Assim como Joaquim Murtinho: ministro da fazenda do presidente Campos Sales: ele, o ministro, ateou fogo no dinheiro do tesouro nacional, para evitar deflação. E outras tantas figuras burlescas da vida pública nacional…..

  2. Como disse um comentarista, Bolsonaro é um bálsamo se comparado com.os ultimos presidentes civis. Na minha opinião ( bota modesta nisso) Bolsonaro, se nao.levar no.primeiro, vai com Doria para o seegundo turno. Isso se as urnas tiverem.voto impresso..

  3. Mas se Bolsonaro não é político, o que ele faz em cargo político há 26 anos ? Só carreirista do velho continuísmo da mesmice,ambientado ao ecossistema, consegue permanecer lá por tanto tempo.

  4. Ele foi boicotado na Câmara por não fazer parte da panelinha e seus projetos, na maioria, ficaram engavetados. Em 25 anos não se corrompeu e como presidente, não teremos corruptos ocupando cargos. Se algum meter a mão no dinheiro, ele afasta. Então é nossa unica chance. O aparato da esquerda é gigante. São movimentos, artistas que se alimentaram da lei Rouanet, sindicatos, ongs, radios comunitárias, intelectuais pagos, professores gramscianos. Eles tem uma maquina gigante. Assim como o saudoso dr. Enéas, fazem de tudo para ridiculariza _lo. Mas quanto mais batem, mais ele cresce. Quando acontecerem os debates será bastante intetessante, pois poderá falar abertamente, sem obedecer pauta de nenhum programa. E assim vai o Brasil. Se ele é o menos pior, que venha o menos pior. Até agora, só a nata dos piores vingou….

  5. Caro C.N.! Sua colocação não caiu bem! Se os generais prestam continência para ministros comunistas, qual seria o entrave fazê-lo diante de um capitão presidente da república, conservador?

  6. Guarde-se bem tantas bobagens que lemos para que, a partir de primeiro de janeiro de 2019, não se diga que a culpa é do Zé Povinho…
    Em 2014, Aécio era rei, aqui na Tribuna da Internet…

    • O que é isso, companheiro Cazé? A Tribuna da Internet nunca teve rei nem apoiou ninguém. Você devia escrever assim: “Em 2014, Aécio era rei, para alguns comentaristas aqui na Tribuna da Internet…”

      Abs.

      CN

      • Prezado Newton,

        Acabei de ler seu retoque. Fizeste-o bem, porque foi exatamente essa minha intenção: estou me referindo aos comentaristas, nenhuma dúvida. ” Apanhei ” bastante à época, como uma voz praticamente solitária contra os dois: nem psdb nem pt. Escrevi à exaustão pela abstenção e, hoje, friamente falando, constatamos o quanto nenhum dos dois valia nada. Se a eleição em 2018 fosse novamente entre os mesmos de 2014, como votariam os comentaristas da Tribuna da Internet?
        Mas só uma correção: não eram alguns não; era a maioria, e uma simples consulta aos arquivos prova isso. E, claro, democraticamente, tinham o direito de votar em quem quisessem, embora — e aqui se explica, talvez, a predileção pelo fascista tropical — não reconhecessem os poucos que, como eu, pensavam diversamente.
        Abs,
        Cazé.

  7. Se não é bom pra Globo é bom pro Brasil ! Além do lixo de sempre, acharam pouco e querem o empregado Luciano Huck .Vê se eu aguento ? É Bolsonaro sempre.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *