Barragem rompeu porque a Vale retomou a atividade da mina, mesmo sem ter licença

Resultado de imagem para fabio schvartsman

Schartzman mandou ativar a mina sem a licença estar valendo

Carlos Newton

Aos poucos, a verdade vai surgindo sobre o rompimento das barragens da empresa Vale S/A em Brumadinho, cujo enredo é muito pior do que se imaginava e envolve a proteção ambiental do Parque Estadual da Serra do Rola-Moça. Abrangendo áreas dos municípios de Belo Horizonte, Nova Lima, Ibirité e Brumadinho, é o terceiro maior parque em área urbana do país, abrigando mananciais que são indispensáveis ao abastecimento de água a Belo Horizonte e a municípios vizinhos.

A criminosa tragédia não ocorreu por mera coincidência e tudo começou no dia 19 de novembro, quando o Conselho Consultivo do Parque Estadual da Serra do Rola-Moça se reuniu para decidir sobre licenciamento para atividades de mineração nessa importantíssima reserva ambiental. E adivinhem qual foi o resultado?…

APROVAÇÃO – Por expressiva maioria, o Conselho Consultivo votou a favor da operação de três mineradoras nessas áreas protegidas por legislação ambiental, na região de Casa Branca/Brumadinho. Duas solicitações se referiam a jazidas na chamada “zona de amortecimento do Parque” – as minas “Córrego do Feijão”, da Vale, e “Jangada”, também da Vale, em associação com a MBR (Minerações Brasileiras Reunidas). E a terceira licença era em pleno Parque Rola Moça – a mina “Casa Branca”, da MGB (Mineração Geral do Brasil).

Além de pretender minerar numa área de proteção ambiental, o projeto da MGB prevê a abertura de uma estrada, em meio ao parque, a fim de escoar sua produção, vejam a que ponto de desfaçatez empresarial chegamos…

REAÇÃO DO MP – Como era de se esperar, o Ministério Público de Minas Gerais, por meio da 1ª Promotoria de Justiça de Brumadinho e da Coordenadoria Regional das Promotorias de Justiça do Meio Ambiente das Bacias dos Rios das Velhas e Paraopeba, recomendou ao diretor-geral do Instituto Estadual de Florestas (IEF), no dia 17 de dezembro, que não concedesse ou expedisse – ou que anulasse, caso já tivesse concedido ou expedido – qualquer autorização para atividades minerárias ou de transporte de minério projetadas para ocorrer dentro dos limites do Parque Estadual do Rola Moça, citando especificamente a empresa Mineração Geral do Brasil S/A.

Segundo a Recomendação, assinada pelos promotores de Justiça William Garcia Pinto Coelho e Francisco Chaves Generoso, o Parque Estadual da Serra do Rola Moça “consolida Unidade de Conservação de Proteção Integral, onde são possíveis apenas ações relacionadas a pesquisas científicas e ao desenvolvimento de atividades de educação e interpretação ambiental, de recreação em contato com a natureza e de turismo ecológico, não sendo permitidas atividades minerárias ou quaisquer outras que comprometam a integridade dos atributos que justificam a sua proteção”.

VALE DESCUMPRIU – A empresa Vale já tinha se adiantado e apresentara pedido de licença para reabrir a mineração no córrego do Feijão e reaproveitar os rejeitos do minério. E a Secretaria Estadual do Meio Ambiente, no dia 11 de dezembro, aprovou a licença por 8 votos a 1., mas com reservas – a Vale não poderia reativar a mineração antes de resolver as pendências existentes.

É inacreditável, mas rigorosamente verdadeiro. Na certeza da impunidade, o presidente da empresa, Fábio Schartzman mandou reativar a mina antes de cumprir as exigências, embora o representante do Ibama na Secretaria do Meio Ambiente tivesse advertido para o altíssimo risco de rompimento da barragem.

Portanto, Schartzman está mentindo ao afirmar que a mina estava desativada. Ao contrário, na verdade a atividade de mineração tinha sido reativada, com centenas de trabalhadores atuando no local, e foi justamente isso que causou o rompimento da barragem, cujos rejeitos estavam sendo revolvidos para reaproveitamento do minério.

UM CRIMINOSO – Não resta dúvida de que o executivo Fábio Schartzman é um criminoso vulgar e merece ser preso, conforme sugere a advogada Rosângela Moro, mulher do ministro da Justiça. Se a mina estava desativada desde 2015, o que explicaria a presença de centenas de trabalhadores da Vale, inclusive terceirizados, e eram tantos que 300 deles estão desaparecidos? Se a mina estava desativada, como alega Schartzman, como justificar no local a presença de uma médica especializada em Medicina do Trabalho, a doutora Marcelle Porto Cangussu, a primeira vítima a ser identificada?

O presidente da Vale está mentindo para não se tornar réu confesso, porque a licença para retomar a atividade da mina ainda não estava valendo. E se Shartzman continuar impune, é sinal de que nada mudou, este país continua o mesmo e as promessas anunciadas por Jair Bolsonaro eram apenas mais uma farsa. E nós não merecemos isso. Exigimos ter um governo decente, do qual nos orgulhemos. É um direito da cidadania.

27 thoughts on “Barragem rompeu porque a Vale retomou a atividade da mina, mesmo sem ter licença

  1. Pelo o que entendi até agora, a primeira fase é resgate das vítimas e impedir que a lama química contamine rios e águas. A segunda etapa é de investigação,avaliação e produção de relatórios técnicos do desastre. A terceira é julgar e punir os responsáveis por esta tragédia. Tem que ter uma punição exemplar para que sirva de exemplo para os demais. Se eu fosse o governo cancelaria a concessão e privatizaria novamente com novos termos.

  2. [Encaminhada]: Muitos olhos “inocentes” assistem os Israelenses e “equipamentos” serem desembarcados. Em breve precisaremos de tecnologia americana. Isto não é um fato isolado. Conhecem contexto e lógica? Então.

    [Encaminhada]: Vejam isto: Fabio Schvartsman é o presidente da Vale, empresa responsável pelo crime ambiental em Brumadinho. Filho do médico e filantropo Samuel Schvartsman e da advogada Clair Dejtiar Schvartsman, ambos formados na USP e falecidos. Irmão de Claudio Schvartsman, “médico do Hospital Israelita Albert Einstein, onde é Reitor da Faculdade Isaraelita de Ciências da Saúde”. https://youtu.be/wpPNOjJ7ZEo

    É muita coincidência para uma só lama. Diante de tanta canalhice estrangeira com a cumplicidade de autoridades e omissão dos órgãos de fiscalização, a retomada dessas áreas pela União sairia barata como reparação pela exploração predatória e pelos danos causados nos últimos vinte anos, além do que vemos e das consequências ainda por ocorrer entre as centenas de barragens erguidas com os rejeitos.

  3. Realmente, nós somos um bando de idiotas projetados pelos políticos. Será que outros países aceitariam que uma empresa arruinasse seu povo e seu território? Será que o alemão Schartzman, presidente da Vale, agiria na Alemanha do modo que o fez aqui no Brasil? Schartzman já estaria preso juntamente com a diretoria. Ministério Público está apurando a responsabilidade – e precisa? A responsabilidade direta é da Vale, sem contar das responsabilidades indiretas dos agentes públicos venais. Espero que o Bolsonaro que veio para mudar CASSE a concessão da Vale, mas não espero muito dos políticos, como Lula veio para fazer diferente e fez o que fez! Os políticos em todas as esferas não amam seu povo e tudo faz para prejudicar e defender o que Vale – a ganancia do lucro. Bolsonaro se cala?

  4. 1) Pensamento do dia;

    2) “No final das contas, o valor de um Estado é o valor dos indivíduos que o compõem” = John Stuart Mill (1806-1873) filósofo e economista inglês. Considerado um dos mais influentes pensadores da língua inglesa no século XIX.

  5. O poema de Drummond aborda, com melancolia, a possibilidade de esgotamento dos veios minerados na cidade e seu abandono previsível quando não houver mais o que tirar do coração da terra:

    O maior trem do mundo
    Leva minha terra
    Para a Alemanha
    Leva minha terra
    Para o Canadá
    Leva minha terra
    Para o Japão

    O maior trem do mundo
    Puxado por cinco locomotivas a óleo diesel
    Engatadas geminadas desembestadas
    Leva meu tempo, minha infância, minha vida
    Triturada em 163 vagões de minério e destruição
    O maior trem do mundo
    Transporta a coisa mínima do mundo
    Meu coração itabirano

    Lá vai o trem maior do mundo
    Vai serpenteando, vai sumindo
    E um dia, eu sei não voltará
    Pois nem terra nem coração existem mais.

    De acordo com a pesquisadora Letícia Malard, autora do livro No Vasto Mundo de Drummond (Editora UFMG, 2005), a “corrosão” é uma metáfora forte e recorrente na poesia de Drummond: “uma corrosão no sentido literal, socioeconômico – a serra sendo corroída pela retirada do minério – e uma corrosão metafórica – a alma corroída do itabirano, uma vez que procura a ‘sua’ serra, a qual lhe parecia eterna, e não mais a encontra.”
    Estamos vendo a repetição da tragédia de Mariana em nossa Minas Gerais. Sabe o que houve? impunidade. Vejo culpa nos três poderes, federal, estadual e municipal. que faltam com a fiscalização devida. Além disso, há que se contar o interesse econômico acima de centenas de vida.

    Aqui há impunidade. Preciso fiscalizar as barragens, que não parecem seguras.

    • No coração da nossa terra, estas serão as memórias de trabalhar duro e viver quebrado no pais mais rico do Mundo

      Não vão prender o principal responsável, muito pelo contrário, encenam, sobrevoam, decretam, compra-se R$350.000,00 de segundos no horário nobre do JN para pedir ‘desculpas’, enrolam e somem….

      Diz daí Mariana….

      ESTAVAM TODOS TRABALHANDO!
      NÃO ESPERAVAM NENHUMA ASSISTÊNCIA!
      TOMARAM-LHES A VIDA, O LABOR E A DIGNIDADE ….

      O trem de lama segue, serpenteando…

  6. Newton esteve muito bem neste artigo. Foi didático, mostrou que realmente é um grade profissional. Ninguém precisa mais de informações sobre o que infelizmente aconteceu em Brumadinho. Foi tudo esmiuçado.

  7. O que se pode dizer do DECRETO Nº 8.572, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2015? Com a qualidade de nossos políticos e governantes é quase um milagre ainda sermos do mesmo tamanho. Bolsonaro terá muito, muito trabalho pela frente.

  8. Sobre a tragédia de Brumadinho: O que inspirou Fábio Schartzman a irresponsalvelmente ordenar o trabalho depois da proibição? Eu não vou dizer o que penso porque sou suspeito. Mas muito antes houve promessas de acabar com a burocracia sobre exploração de minérios se as coisas mudassem. Nada justifica porém,a irresponsabilidade criminosa de Scharteman.

  9. De Hélio Fernandes

    Helio Fernandes
    1 h ·
    BRUMADINHO NO RASTRO DE MARIANA
    HELIO FERNANDES
    A PGR, Rachel Dodge, foi direta e certeira:” O MP tem que ser mais
    duro com os responsaveis pela tragedia”. Em Mariana e agora com a
    reincidencia da Vale.
    Do presidente da Vale, ao tomar posse no cargo;”Mariana, nunca mais”.
    Agora, com ele na presidencia, a tragedia muda de nome, mas se repete.
    Ele dá entrevistas, “não sei o que aconteceu”. Apesar dos alertas da
    ANA, ninguem sabia.

    O embaixador e ex-ministro do Meio Ambiente, Rubens Ricupero, em
    entrevista;”Faltou fiscalização”, Sem fiscalização, tambem sem
    punição.Provada em Mariana. Provavel agora em Brumadinho. Mas tudo
    pode ser revertido. Mariana e Brumadinho são crimes dolosos, não
    prescrevem.Não podem eternizar
    a impunidade.
    O presidente da Vale, confuso e querendo imitar o Chacrinha,(“eu vim
    para complicar”) diz em longa entrevista:”A barragem de Brumadinho
    estava desativada desde 2015″. Desativada ou abandonada? Não quis ou
    não soube explicar.Não, ele não deixará o cargo.Não será demitido, nem
    pedirá demissão.
    A Justiça bloqueou 6 bilhões, que a Vale tinha em conta corrente. A
    empresa recorreu no mesmo dia. Foi multada em 250 milhões. Nem se
    incomodou. 24 vezes menos do que o bloqueio, uma ninharia.
    Afinal, depois de 3 dias sendo anunciado, chegou a ajuda-socorro de
    Israel á tragedia de Brumadinho.Já está no Brasil,(mas não em
    Brumadinho), o avião tão esperado.Falam em 16 toneladas de
    equipamento. 140 soldados. Quase 100 especialistas precisamente no que
    aconteceu. Agradecemos.
    Só que Israel nunca ligou pro Brasil. Já teve até um embaixador que o
    Brasil recusou por falta de credenciais.O Primeiro Ministro está
    interessado na mudança da embaixada, que Bolsonaro prometeu,mas está
    mudando de ideia .O vice eleito é contra.
    Perguntinha ingenua, inocua, inutil;por que ha 3 anos e 2 meses
    Nataniahu não se impressionou com a tragedia de Mariana?Porque ninguem
    imaginava que Trump fosse presidente dos EUA.E que a localização de
    uma embaixada fosse elevada á condição(burra) de geo-politica.

  10. A esclarecedora análise do CN apenas se esqueceu de um fato fundamental: a PL 2946/2015 do governo MG, centralizadora, anti-democrática e anti-ambiental.
    De autoria do governador Pimentel foi ela que permitiu tudo o que CN narra. Portanto tem que ser minuciosamente apurada como foi sua aprovação pela AL de Minas e se esta decisão teve distribuição de “recursos não contabilizados” no meio.
    Quem não conhece a PL, aí vai um link sobre: http://www.falachico.org/2015/10/pl-29462015-do-governo-mg.html
    E não adianta querer colocar no colo do novo governo de 25 dias a responsabilidade. Punição envolve primeiro investigação, e estamos diante de mais de uma década de governos PT, destruindo como lama tóxica tudo que vê pela frente para saciar seus objetivos partidários e de seus militantes.
    Que tal começar as investigações verificando as movimentações financeiras de todos que participaram da aprovação desta PL? O Coaf pode fazer isso sem autorização judicial… não é mesmo?

  11. Mais uma vez se constata o quanto o povo é ludibriado pelo governo e empresas poderosas!

    Explicações, justificativas, discussões sobre os responsáveis pela tragédia, multas aplicadas que engordarão os cofres da União, medidas a serem tomadas, críticas pela repetição da tragédia de Mariana, entretanto, a de sexta-feira passada é muito mais grave porque terá um número de mortos assustador, movimentos de idas e vindas, entrevistas, cobranças, mas, as vítimas ou os familiares dos mortos e desaparecidos …
    NADA!

    NEM HOTEL PARA HOSPEDAR AS PESSOAS QUE VIERAM EM BUSCA DE INFORMAÇÕES DOS PARENTES, a Vale disponibilizou!

    O poder público se solidariza com a empresa.
    E não se ouve absolutamente nenhuma palavra com relação aos imolados pela irresponsabilidade e descaso com o ser humano!

    Projetos estão engavetados no antro de venais, de ladrões, corruptos, VAGABUNDOS, estelionatários, que melhorariam a segurança dessas barragens.

    A Justiça se mostra injusta e menospreza o cidadão, que lhe paga salários milionários, aceitando que a Vale postergue as ações contra ela indefinidamente.

    O pessoal morto e os que perderam tudo em Mariana, NADA RECEBERAM, mesmo após três anos daquela primeira tragédia!

    Rápidos, céleres, sem qualquer perda de tempo, a Justiça é ágil em reivindicar penduricalhos e creditá-los imediatamente em seus salários milionários, enquanto o povo vítima da incúria governamental pela falta de fiscalização adequada e necessária, permanece à espera por longos anos pela compensação de perdas de vidas humanas e materiais!

    Os canalhas e porcos imundos dos parlamentares, desgraçados, gente da pior espécie, a ralé deste país, a casta de infames – para encurtar, filhos da puta! -, recebem verbas para se mudar para Brasília e ainda ajuda de custo!!!!
    Simplesmente a quantia de R$ 67.400,00 para cada cretino, safado, crápula!

    O povo?
    Que se dane!

  12. E se Shartzman continuar impune, é sinal de que nada mudou, este país continua o mesmo e as promessas anunciadas por Jair Bolsonaro eram apenas mais uma farsa.

    Com toda certeza vai continuar como antes, pois as leis vigentes são as mesmas.

  13. A tragédia de Brumadinho é mais uma prova de que no Brasil , por pior que seja o desastre , a indignação coletiva é episódica.Passados as primeiras semanas , basta um novo assunto nacional e as cobranças diminuem até se extinguirem completamente.Sem pressão , as autoridades afrouxam o rigor e, aos poucos, , vai ficando tudo como eram antes no quartel de Abrantes .É preciso que se mude essa mentalidade.

    Já está mais do que provado que o instinto de sentinela tem que ser perene.O Congresso é responsável pelas leis .Só o povão, atento e vigilante, pode fazer frente às pressões de lobistas, que muitas vezes defendem interesses de quem só se preocupa com o lucro fácil e predatório .É preciso acompanhar e cobrar permanentemente .Senão estaremos sempre a chorar sobre o leite derramado.

  14. Agora, convenhamos, mas quem foi o responsável que ergueu a administração da Vale referente a esta barragem, imediatamente abaixo dela??!!

    Assisti a vídeos que a onda de lama soterrou as casas com gente dentro, e dos que estavam fugindo da enxurrada e que não tiveram tempo, pois ficaram embaixo dos entulhos em seus veículos!!!

    Inacreditável os erros da Vale, e todos colocando a vida humana em risco de morte iminente!

    A lamentar, reclamar, protestar, berrar, exigir, que o presidente e diretores da mineradora devam estar na cadeia!

  15. Secretário de Meio Ambiente reduziu critérios de risco de barragens e acelerou licenciamento ambiental em MG
    Por Daniel Camargos | 26/01/19
    Norma assinada em dezembro de 2017 por Germano Vieira reduziu etapas do licenciamento ambiental. Vale se beneficiou da medida para fazer alterações na barragem da Mina de Córrego do Feijão, que rompeu ontem em Brumadinho deixando 34 mortos e 256 desaparecidos

    TINHA SIDO NOMEADO NO GOVERNO DO PT EM NOVEMBRO DE 2017. ELE É O ATUAL SECRETÁRIO DE MEIO AMBIENTE NO GOVERNO DO PARTIDO NOVO, QUE O MANTEVE NO CARGO.

    • Vejam só! O super-onipresente Germano Vieira consegue trabalhar mais de 70 horas por semana… Está no seu currículo, feito por ele mesmo:

      2012 – Atual
      Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável
      Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Integral, Carga horária: 40

      2012 – Atual
      Instituto Mineiro de Gestão das Águas
      Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Procurador-Chefe, Carga horária: 30

      O Brasil nunca vai dar certo. É muita fraude e fazdeconta.

  16. As mineradoras deveriam contratar estes “especialistas em análise de risco”, que, toda vez que ocorre uma tragédia, são entrevistados pela imprensa, e, sabendo tudo, de tudo, dizem o que deveria ter sido feito, e outras coisitas mais. Não teríamos mais tragédias.

  17. Sr. CN, não sei se é de seu conhecimento, mas o IRB, instituto de reseguros do Brasil, empresa que atua no ramo desde. Década de 40, não quis renovar o seguro com a Vale,,pois já sabiam do alto risco .

    (Fonte: revista exame)
    Abraço

  18. O exercito de Israel já está no Brasil pra ajudar acobertar os crimes desse Fábio Schartzman, globalista sionista que manda na Vale. Mas claro, eles vieram pra nos ajudar. Podem acreditar, eles são bonzinhos e caridosos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *