Barroso diz nos EUA que a luta da Lava Jato contra a corrupção não tem volta

Imagem relacionada

Reação contra a Lava Jato é natural, diz o ministro

Vinicius Mota
Folha

O ministro Luís Roberto Barroso, do STF, disse durante palestra na Universidade Stanford (EUA) que as mudanças iniciadas pelas grandes operações anticorrupção representam uma “refundação do país que não tem volta”, apesar de hoje haver uma reação oligárquica contra elas. Barroso fez a fala de abertura do seminário “Estado de Direito na América Latina”, que ocorre nestas quinta (7) e sexta (8) na universidade da costa oeste dos EUA.

“O retrato hoje é devastador, mas o filme é claramente bom”, afirmou Barroso. Ilustrou o “retrato” para uma audiência composta também por pesquisadores estrangeiros, mencionando a quantidade de políticos citados em delações, processados e condenados no Brasil recentemente.

REAÇÃO NATURAL – Além disso, o ministro brasileiro identifica um “pacto oligárquico” na base do que chamou de reação natural contra os avanços da Lava Jato. “Essas pessoas têm aliados por todos os lados”, disse.

Sobre o “filme”, relembrou conquistas do país nas últimas três décadas: estabilidade institucional e monetária, além da redução da pobreza em magnitude “talvez só menor que a da China no período”.

O filme deve prevalecer sobre a foto, segundo Barroso, porque a sociedade está sintonizada com a luta contra os privilégios e porque há independência de fato nas organizações de controle, como o Judiciário, o Ministério Público e a Polícia Federal.

INCLUSÃO SOCIAL – Para o futuro, Barroso recomendou uma agenda calcada numa reforma política que aproxime o eleitor de seu representante e baixe o custo das campanhas. Também defendeu a ampliação da inclusão social, citando descaso com a educação e o saneamento básico, e a liberalização da economia.

A sociedade brasileira está “viciada em Estado”, que se tornou uma entidade apropriada pela oligarquia, afirmou. “Reduzir o Estado é a atitude progressista correta a tomar”, disse Barroso, que defendeu também a reforma na Previdência para ajustar as contas públicas ao perfil demográfico do país.

7 thoughts on “Barroso diz nos EUA que a luta da Lava Jato contra a corrupção não tem volta

  1. Barroso que há mais de 3 meses pediu um posicionamento do MPF e aguarda a atual PGR, Raquel Dodge que foi a escolhida de Temer, fazer a 3ª denúncia contra Temer no caso da MP do porto de Santos.

    Infelizmente com ela e Fernando Segovia, a denúncia nunca ocorrerá de fato !

  2. Como diria o Patropi: ” O ministro Barroso tb, parece que não sei, pô “. De repente começa a fazer cursa sinuosa em plena retidão. Não tem essa de baratear as campanhas, na seara do $istema político apodrecido, impossível esse “acordão” com o $istema podre, isso não existe, e ficou muito clara resposta do congresso ao STF quanto a tentativa de vetar o financiamento privado das campanhas dos me$mo$ que, aliás, não valem sequer o caviar que comem às nossas custas. Não obstante o financiamento privado, agora, liderados pelo Juca, o Caju da Odebrecht, elle$, os indecentes, inventaram tb o “fundão público de campanha”, além do fundão partidário, uma verdadeira “Ilha da Fantasia”, da qual só conseguiremos tirá-los de lá no pau, Juvenal, via Revolução Redentora. Portanto, é melhor que o Barroso opere apenas na sua seara, e deixe a Política para o Comando Revolucionário fazer o que de fato e de direito tem que ser feito, há muito tempo. Vamos zerar as campanhas, custo zero para a população. Aliás, vamos inverter essa lógica, ao invés da achacar o erário e população elas serão rentáveis, via Democracia Direta, com meritocracia eleitoral, aberta à participação de todos. Em 20 anos, elevaremos o Brasil à condição de melhor nação do mundo para se viver, com o IDH n. 1 do Planeta. Palavra de Leão. E tenho dito. RPL-PNBC-DD-ME, saudações.

  3. Apoia a reforma da previdência, desde que não mexa no salário dele. Apoio também, desde que todos, mas todos sem exceção ganhe pelo teto do INSS. Aí quero ver que defende apoia esse teto sem penduricalhos nenhum.

  4. Apoia a reforma da previdência, desde que não mexa no salário dele. Apoio também, desde que todos, mas todos sem exceção ganhe pelo teto do INSS. Aí quero ver quem apoia a reforma com esse teto sem penduricalhos nenhum.

  5. Jornal sensacionalista informa que Cabral e mulher foram aprovados no vestibular para teologia, qualquer um passa neste vestibular da igreja Batista, tudo isto para reduzirem suas penas, agora só falta abrir uma igreja e seduzir fiéis para enriquecerem como tantos outros pastores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *