Barroso esculhamba o PMDB, sem saber que estava sendo gravado

Barroso falou demais e depois mandou parar a gravação

Deu em O Tempo

Em meio à discussão do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff pelo Congresso, o ministro do Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal, afirmou nesta quinta-feira (31) que o país enfrenta falta de alternativa na política e citou o PMDB, partido que desembarcou nesta semana do governo.

O ministro fez referência à foto de lideranças do PMDB que registrou o anúncio do rompimento e estampou a capa dos principais jornais do país. Estavam na imagem nomes como o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), o senador Valdir Raupp (PMDB-RR), o ex-ministro Eliseu Padilha (Aviação Civil), entre outros.

“Quando, anteontem, o jornal exibia que o PMDB desembarcou do governo e mostrava as pessoas que erguiam as mãos, eu olhei e: Meu Deus do céu! Essa é a nossa alternativa de poder. Eu não vou fulanizar, mas quem viu a foto sabe do que estou falando”, disse o ministro.

SEM ALTERNATIVA

“O problema da política neste momento eu diria é a falta de alternativa. Não tem para onde correr. Isso é um desastre. Numa sociedade democrática, a política é um gênero de primeira necessidade. A política morreu. Talvez eu tenha exagerado, mas ela está gravemente enferma. É preciso mudar”, completou.

Barroso conversava com Alunos da Fundação Lemann e, antes da declaração, deixou claro que falava como em um ambiente acadêmico, como se estivesse falando seus alunos.

O ministro não sabia que o evento estava sendo transmitido pelo sistema interno do Supremo e, após ser alertado, pediu para não gravar mais.

SISTEMA DESASTROSO

Na conversa, o ministro defendeu a mudança no sistema eleitoral do país, que classificou de desastre.

“Temos um modelo político em que a eleição para a Câmara é feita em eleição por voto proporcional em lista aberta. É um desastre. Custa caríssimo porque todos os candidatos fazem campanha em todos os Estados”, disse.

“Portanto o provimento das vagas é basicamente por transferência de votos dos partidos. Menos de 10% dos candidatos são eleitos com votação própria. Nesse sistema, o eleitor não sabe quem ele elegeu, porque 90% dos eleitos não foram eleitos com voto próprio. E o eleito não sabe quem o elegeu pela mesma razão. É um sistema em que o eleitor não tem de quem cobrar e o eleito não tem a quem prestar contas, não pode funcionar”, reforçou.

MANHÃ CAUTELOSA

Na manhã desta quinta, em uma palestra aberta em uma universidade de Brasília, o ministro defendeu cautela nos debates sobre impeachment.

“Nesse momento de paixões exacerbadas e de ânimos exaltados, um pouco de racionalidade, de doçura na hora de expressar o próprio ponto de vista nos fará muito bem. O Brasil está vivendo momento de excessiva aspereza. Claro que impeachment é um momento dramático em qualquer país do mundo seja qual for o resultado, mas não precisamos tornar isso pior”, afirmou.

Para o ministro, “as pessoas deveriam debater ideias sem compulsão de desqualificar as opiniões dos outros. Não precisa dizer que quem pensa diferente é mal intencionado, está a serviço de causa escusa ou coisa pior. Um choque civilizatório no debate público brasileiro faria muito bem a todos”.

FORO PRIVILEGIADO

Barroso criticou o foro privilegiado no país e defendeu que seria melhor criar uma vara da Justiça Federal em Brasília para cuidar dos casos de autoridades, mantendo no Supremo apenas presidente, vice e presidentes da Câmara e do Senado.

“Foro amplo por prerrogativa de função é um desastre para o País e é um mal para o Supremo. O foro por prerrogativa de função deveria alcançar o presidente da República, o vice-presidente da República, os presidentes de poder e mais quase ninguém. É péssimo modelo. É péssimo o modelo brasileiro e ainda por cima estimula a fraude à jurisdição”, disse.

31 thoughts on “Barroso esculhamba o PMDB, sem saber que estava sendo gravado

    • O ministro do STF Luis Roberto Barroso, autor do voto vencedor do rito do impeachment de Dilma Rousseff, se pôs a fazer considerações sobre política em conversa com alunos da fundação Lemman.

      Ao se referir à foto da reunião em que o PMDB anunciou o desembarque do governo, Barroso exclamou: “Meu Deus do céu! Essa é a nossa alternativa de poder. Eu não vou fulanizar, mas quem viu a foto sabe do que estou falando”.

      Quem viu a foto sabe que ali estavam Eduardo Cunha e Romero Jucá, por exemplo. O primeiro, presidente da Câmara, é réu em ação penal no Supremo que Barroso terá de julgar. O segundo pode ser denunciado na mesma operação Lava-Jato.

      Publicidade

      Barroso, portanto, não precisa fulanizar para que se entenda que ele fez o que se critica, por exemplo, em Gilmar Mendes: emitiu um juízo político e, de certa forma, antecipou o que pensa do impeachment e dos políticos que terá de julgar.

      O desabafo de Barroso coincidiu com a decisão do STF que manteve em Brasília as investigações sobre o ex-presidente Lula. Nela, o relator da Lava jato, Teori Zavascki, voltou a dar um puxão de orelhas no juiz Sergio Moro.

      O gozado é que Moro, tão criticado por petistas e, agora, pelos ministros do Supremo, não foi nunca flagrado criticando a falta de alternativa política em eventos públicos. Afinal, é lícito supor que, para Barroso, se as alternativas são ruins, melhor é ficar como está, certo?

  1. Ricardo Lewandowski se pronunciou há pouco sobre o que entende como “multiplos abusos” dos juízes de primeira instância na autorização de interceptações telefônicas, “subtraindo ou se imiscuindo” na competência do Supremo.

    ESTAVA FALANDO ISSO COM SANGUE NOS OLHOS.

  2. É assim sempre. “Macaco costuma não olhar para o próprio rabo”. Ministro o sr. está mesmo, de verdade, qualificado para o cargo que o PT lhe entregou de bandeja?

  3. BANDITI$MO DEMENTE, EM ESTADO BRUTO, É O QUE RESTOU REVELADO SOBRE A DISPUTA POLÍTICA, NO BRASIL, APÓS 126 ANOS DE REPÚBLICA 171, criada e governada pelo partidarismo-eleitoral e o golpismo-ditatorial, velhaco$, a qual, não obstante tudo, conseguiu chegar a esta idade, porém completamente doente, praguejada, bichada, sucumbida e tragada pela corrupção, e, de quebra, disputada a pancadarias em plena luz do dia e golpes de foice no escuro por facções e organizações criminosas, que se digladiam pela posse da chave do cofre-mor, guerra essa que não descarta o acesso ao erário-mor até mesmo pelo arrombamento das portas dos fundos. Guerra essa, por poder, dinheiro, vantagens e privilégios, sem limites, que a todas as mentes ainda sãs e conscientes, da banda ainda sadia da sociedade, deve encher de vergonha e inibição quanto à possível tomada de partido. E num ambiente desse, veículos de comunicação tomando partidos prestam um gigantesco desserviço à descoberta da verdade e, sobretudo, à boa informação e possível reeducação das nossas crianças e das novas gerações, que são o que ainda nos restam de esperança no sentido de conseguirmos como sociedade e país virarmos essa página de 126 anos da nossa história. A LUTA da banda boa da sociedade, ainda sadia, porém dominada por psicopatas apaixonados por dinheiro, poder, vantagens e privilégios, sem limite$, não será nada fácil, para não dizer impossível sem Deus na Causa. RPL-PNBC-DD-ME, Saudações.

  4. SÃO OITO FILHOS DA P… E COM LULA, NOVE !

    Fora Dilma Rousseff.

    PARA COMPLETAR A VITÓRIA FALTA O IMPEACHMENT DE UM MINISTRO COMUNISTA DECLARADO E MENTIROSO DO STF CUJA PETIÇÃO DE IMPEACHMENT (AFASTAMENTO) ESTÁ NO SENADO

    Ednei Dutra de Freitas
    1 de abril de 2016
    ·
    Mesmo com dados fatuais e mais outros que vou destacar, várias infrações do ministro à Lei 1079/50, o presidente do Senado também resolve infringir a Lei 1079/50 ao provocar a obstrução de minha petição, obstruindo os trabalhos legislativos e contraria frontalmente o artigo 44 da Lei 1079/50, em crime de responsabilidade continuado, pois artigo 44 da Lei 1079/50 que prescreve : “Art. 44. Recebida a denúncia pela Mesa do Senado, será lida no expediente da sessão seguinte e despachada a uma comissão especial, eleita para opinar sobre a mesma.” Este artigo da Lei é cogente e não admite qualquer juízo ou exame prévio da petição pelo presidente do Senado. Sua obrigação é protocolar e mandar ler na sessão do dia seguinte ao protocolo.

    Todos os senadores conhecem a minha petição, porque lhas enviei por e-mail, inclusive a Renan Calheiros. Todos estão sendo cobrados por mim para que não sejam cúmplices no crime de responsabilidade de Renan Calheiros ao descumprir o artigo 44 já citado. Mas acho que só a força popular pode mobilizar aquela casa legislativa, e por isso estou pedindo apoio a todas as pessoas de bem para que enviem e-mails de protesto a todos os senadores, inclusive Renan. A Casa de Leis não está cumprindo a Lei.

    Eis aqui o e-mail de todos os senadores (exceto do PT e do PCdoB) para que se dirija o protesto. Não é preciso digitar os e-mails, é só copiar e colar na barra de endereços do e-mail.

    acir@senador.leg.br,
    aecio.neves@senador.leg.br,
    aloysionunes.ferreira@senador.leg.br,
    alvarodias@senador.leg.br,
    ana.amelia@senadora.leg.br,
    angela.porlela@senadora.leg.br,
    angela.portela@senadora.leg.br,
    antonio.anastasia@senador.leg.br,
    antoniocarlosvaladares@senador.leg.br,
    aristides.oliveira@senador.leg.br,
    benedito.lira@senador.leg.br,
    blairomaggi@senador.leg.br,
    cassio.cunha.lima@senador.leg.br,
    cristovam.buarque@senador.leg.br,
    dalirio.berger@senador.leg.br,
    davi.alcolumbre@senador.leg.br,
    douglas.cintra@senador.leg.br,
    edison.lobao@senador.leg.br,
    eduardo.amorim@senador.leg.br,
    elmano.ferrer@senador.leg.br,
    eunicio.oliveira@senador.leg.br,
    fernandobezerracoelho@senador.leg.br,
    fernando.collor@senador.leg.br,
    flexa.ribeiro@senador.leg.br,
    garibaldi.alves@senador.leg.br,
    gladson.cameli@senador.leg.br,
    heliojose@senador.leg.br,
    ivo.cassol@senador.leg.br,
    jader.barbalho@senador.leg.br,
    jose.agripino@senador.leg.br,
    jose.maranhao@senador.leg.br,
    josemedeiros@senador.leg.br,
    jose.serra@senador.leg.br,
    joao.alberto.souza@senador.leg.br,
    joao.capiberibe@senador.leg.br,
    Lasier Martins ,
    lidice.mata@senadora.leg.br,
    lucia.vania@senadora.leg.br,
    magno.malta@senador.leg.br,
    marcelo.crivella@senador.leg.br,
    marta.suplicy@senadora.leg.br,
    omar.aziz@senador.leg.br,
    otto.alencar@senador.leg.br,
    paulo.bauer@senador.leg.br,
    raimundo.lira@senador.leg.br,
    randolfe.rodrigues@senador.leg.br,
    reguffe@senador.leg.br,
    renan.calheiros@senador.leg.br,
    ricardo.ferraco@senador.leg.br,
    ricardo.franco@senador.leg.br,
    roberto.requiao@senador.leg.br,
    robertorocha@senador.leg.br,
    romero.juca@senador.leg.br,
    romario@senador.leg.br,
    ronaldo.caiado@senador.leg.br,
    rose.freitas@senadora.leg.br,
    sandrabraga@senadora.leg.br,
    simone.tebet@senadora.leg.br,
    sergio.petecao@senador.leg.br,
    tasso.jereissati@senador.leg.br,
    telmariomota@senador.leg.br,
    “valdir.raupp@senador.leg.br”
    vicentinho.alves@senador.leg.br,
    waldemir.maka@senador.leg.br,
    wellington.fagundes@senador.leg.br,
    wilder.morais@senador.leg.br,
    freitas.ednei@gmail.com
    edneifreitas@globo.com

    Eis aqui uma sugestão genérica de e-mail para ser enviados em um só e-mail a todos os senadores:
    Senhores Senadores da República, sabem V. Exas. que o presidente da Casa, Senador Renan Calheiros, ao arrepio do que é prescrito no artigo 44 da Lei 1079/50, está obstruindo desde 12 de fevereiro a petição feita pelo Dr. Ednei José Dutra de Freitas ao Senado reivindicando o afastamento do ministro do STF Luís Roberto Barroso.

    Ao praticar obstrução ao trabalho legislativo e ao ferir também o art. 44 da Lei do Impeachment, o Senador Renan Calheiros fica ele mesmo vulnerável ao impeachment por estar praticando crime de responsabilidade. Como está em flagrante delito, se as instituições estivessem funcionando bem, deveria ser dada voz de prisão ao Senador Renan.

    Por oportuno, os demais senadores, sabedores de que o presidente da casa está praticando um crime de responsabilidade, passam a tornar-se cúmplices do Senador Renan se não intervierem nesta ação ilegal.

    Como todos sabem, a Lei 1079/50 faculta a todo cidadão de posse de todos os seus direitos e obrigações civis peticionar o impeachment de ministro do Supremo Tribunal Federal, e convém lembrar que o artigo 44 da mencionada Lei é cogente e dispensa prévio exame de admissibilidade: “Recebida a denúncia pela Mesa do Senado, será lida no expediente da sessão seguinte e despachada a uma comissão especial, eleita para opinar sobre a mesma”. Renan Calheiros não tem, portanto. qualquer direito de obstruir a leitura da petição do Dr. Ednei, não tem qualquer direito de fazer juízo prévio ou triagem da petição e está prevaricando.

    Há um necessário soerguimento moral dos Três Poderes, especialmente do Legislativo, mas estamos desejosos que a prática da moralidade comece no Congresso Nacional e que V.Exas. tenham uma conduta proba. Mas sabendo que o presidente da casa está praticando uma obstrução, uma ilegalidade e um crime de responsabilidade, seus pares se não reagirem a isso e ficarem passivos passam a ser cúmplices de Renan Calheiros, o que nenhum de nós queremos para outro senador.

    O Senador Renan Calheiros já tem um inevitável encontro ou com o ministro Teori Zavaski ou mesmo, talvez, com o Juiz Sérgio Moro. Não desejamos isso para nenhum outro parlamentar. Desejamos um Congresso Nacional honrado.

    (Como é um e-mail, aqui cabem várias assinaturas)

  5. “””Quando, anteontem, o jornal exibia que o PMDB desembarcou do governo e mostrava as pessoas que erguiam as mãos, eu olhei e: Meu Deus do céu! Essa é a nossa alternativa de poder. Eu não vou fulanizar, mas quem viu a foto sabe do que estou falando”, disse o ministro.

    A foto em questão tem o dito cujo ,homem de deu$$$ e grande religioso seguidor do Livro Sagrado. e com vários propósitos, um deles é ajudar o próximo..
    A proposito, o mesmo dito cujo pode ser Presidente do Páis.
    Ainda bem que é um político probo, honesto, defensor dos pobres e oprimidos deste País tão desigual.
    Dizem também que seu vice será o Tele-pastor-Bispo-Caixa-Eletrônico $ila$ Maracutaia….

    Acho que vou embora para Paris……

    • O FHC ja esta ´por la a mais de 13 anos, para morar na Cidade Luz voce precisa ter algumas contas em bancos tipo Paribas, e seria bom que voce tivesse um apartamento de algum amigo para morar deitar e rolar por la, não é necessario ter filho com amante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *