Base aliada de Bolsonaro terá mais de 300 parlamentares, diz Lorenzoni

Resultado de imagem para onyx lorenzoni

Lorenzoni, o coordenador, é da bancada ruralista

Deu em O Tempo
(Estadão Conteúdo)

O deputado federal Onyx Lorenzoni (DEM-RS), um dos coordenadores da campanha de Jair Bolsonaro (PSL), está otimista em relação à base aliada que um possível governo do capitão reformado poderá ter no Congresso. Segundo ele, o candidato do PSL teria uma base superior a 300 deputados, caso seja eleito. Em julho, Onyx afirmou que Bolsonaro teria uma base de 112 parlamentares, de diversos partidos de centro e direita, incluindo DEM, PSDB e MDB. Agora, ele afirma que essa base mais que duplicou para cerca de 350 com a formalização do apoio das bancadas evangélica, rural e da segurança.

Ele acredita que essa proporção deva se manter na próxima legislatura, principalmente devido à eleição dos 52 deputados do PSL. “A conta está sendo feita. Estou indo na quinta-feira para o Rio de Janeiro para fazer a projeção dos novos”, disse.

CASA CIVIL? – O deputado gaúcho, da bancada ruralista, é um dos parlamentares cotados a assumir posições de destaque em um eventual governo de Bolsonaro, podendo ficar com a chefia da Casa Civil.

“Eu vou cumprir o papel que o presidente me der. Se ele me disser vá lá para Câmara, é o que eu vou ser”, disse.

10 thoughts on “Base aliada de Bolsonaro terá mais de 300 parlamentares, diz Lorenzoni

    • O certo seria o PT não estar passando por essa derrota desmoralizante – o PT deveria ter sido fechado por ter roubado o país bilhões. Só para as duas campanhas da Dilmanta foram gastos quase de 2 bilhões de dinheiro ilícito.
      Chega de falar do PT e do seu chefe ladrão sem vergonha.
      O Brasil precisa de patriotas. Lugar de ladrão é prisão.

    • Pesquisas forjadas e urnas fraudadas.

      Com a delação e as provas de Palocci que a campanha dos vermelhos foram pagas com dinheiro de ditaduras do exterior tem que cassar imediatamente o registro do Partido dos Trambiques !!!

      Justiça JÁ !

  1. A cada eleição aparecem heróis inflados por artificialismos, depois de certo tempo cai a ficha que a diferença de uns para outros é o meio no qual se enturmam no Congresso Nacional (em especial na Câmara dos Deputados). Observo que as bancadas mais conservadoras, neste segundo turno, estão com Jair Bolsonaro como no anterior estiveram apoiando Aécio Neves. Quem duvida pesquise as correlações de forças e consequentes apoios nas eleições passadas ou nesta, analisando votos colegiados ou individuais em cada matéria posta nas comissões ou no plenário, assim como o perfil dos apoiadores de um lado e de outro. Afirmo ainda o seguinte, diante da importância desta etapa final das eleições presidenciais, as diferenças partidárias devem (ou deviam) ser melhor apuradas no primeiro turno a tempo de estabelecer alguma mudança como agora aparecem também refletidas na representação parlamentar que cada legenda conquistou. O resto é paisagem.

    Não é novidade que o deputado federal Jair Bolsonaro atua no meio de bases conservadoras e reacionárias da Câmara dos Deputados, há 28 anos, há dezenas ou centenas de parlamentares envolvidos em corrupção que já celebravam sua eleição à Presidência da República bem antes de se consagrar vencedor no primeiro turno, se espraiando para correlações de forças similares pelos estados e municípios. De forma que é falso manter o debate sobre essa ótica supostamente moralizante, como desde a velha UDN a direita e o conservadorismo costumam pautar. A propósito, devemos cobrar do Poder Judiciário que seja coerente e rápido na punição de envolvidos em escândalos e ao Congresso Nacional (Câmara e Senado, em cujas casas legislativas atuam ou atuarão esses 350 bolsominios parlamentares) que investigue com rigor os casos de corrupção enquadrando corruptores empresários ou corruptos políticos sejam de qual linhagem ideológica forem.

    A esquerda que tanto vem sendo responsabilizada por desleixos públicos e desmandos administrativos, como alguns costumam generalizar e por razões óbvias de sua natureza os grandes grupos midiáticos engrossam o coro, outra vez elegeu não mais do que 150 parlamentares contra esses aproximados e espantosos 300 (pra dizer o mínimo) representantes da direita. As políticas nacionalistas e sociais que saem do Congresso são meras concessões, a custo de muita luta, no mais prospera o entreguismo como quem vende a alma pelo preço de bananas. Então, vamos debater como Bolsonaro poderá agir no poder já amarrado com tais apoios? Combater corrupção só na conversa demagógica já tendo feito acordão com as bancadas da bala (Taurus), da bíblia e da bola que juntas teriam condições de moralizar o país e agem opostamente, não dá. Francamente!

    EM TEMPO: O deputado Onix Lorenzoni recebeu R$ 100 mil da empresa para pagar despesas de campanha e não declarou, crime eleitoral segundo acentua o ministro Luís Roberto Barroso: “Caixa 2 é crime, desvalor de conduta que precisa ser adequadamente punido na nossa legislação. É objeto de reprovação, não há dúvida alguma. Ele desiguala a disputa eleitoral. É abuso de poder, abre a porta para troca de favores. O caixa 2 em tudo é negativo, é nefasto para o processo democrático”. https://congressoemfoco.uol.com.br/especial/noticias/em-video-deputado-onyx-lorenzoni-admite-ter-recebido-dinheiro-de-caixa-2/

  2. Por que não sou ativista, nem partidário e posso mudar minha opinião?

    Simplesmente porque acima de nossas opiniões existe a verdade, a realidade que se impõe sobre tudo e todos.

    Vejam o que analistas falam sobre o resultado das eleições?

    Vejam o desastre das pesquisas eleitorais?

    Valorizo a opinião desde quando ela corresponda à realidade e gosto de ler bons artigos.

    O artigo do Congresso em Foco, por exemplo, revela esta realidade e o que virá pela frente.

    Jamais devemos nos contentar com uma opinião para formar uma visão da realidade.

    No mundo de hoje temos que conhecer todas as opiniões, inclusive as de quem não concordamos, para formar a nossa.

    • ” Por que não sou ativista, nem partidário e posso mudar minha opinião? ”
      Melhor não ser ativista pois o Bolsonaro prometeu acabar com o ativismo no Brasil…

  3. Quer dizer que PSDB (irmão gêmeo do PT) e (P)MDB (A prostituta da política brasileira) vão governar com Bolsonaro?

    Isso é sério mesmo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *