Bastardos inglórios

Adolfo Fernandes:
“Helio, li a tua observação sobre o filme do Tarantino, não me animei a ir vê-lo. Mas a minha namorada insistiu, fomos ver. Desculpe, gostei do filme, apesar da habitual violência do diretor.”

Comentário de Helio Fernandes:
Fiquei satisfeito que você tenha visto e gostado, nenhum pedido de desculpa. Só não saí do cinema (quase vazio) porque estava muito escuro. Não sei como críticos e até cineastas, tenham dito e escrito: “O filme já nasceu clássico”.

Não nasceu, apenas morreu de forma mais do que compreensível. Quanto à apreciação, minha a tua, rigorosamente igual, apesar do contraste. Eu não gostei, você gostou, duas manifestações que não podem ser desprezadas, temos todo direito a isso, e lutamos pelo nosso sagrado poder de discordar. E pelo menos concordamos num ponto: a obsessão desnecessária, do Tarantino, pela violência.

 

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *