Bellucci: a esperança desperdiçada, desesperançada

Helio Fernandes

Começou bem, falavam: “É o novo Guga”. Ele mesmo acreditava, muito justo. Ano passado era o número 27. Agora, 14 meses depois, é o número 30, geralmente fica no primeiro jogo. Agora na Austrália, que decepção. Precisou de 5 horas ganhar de outro brasileiro, número 77.

Ontem, jogou (não quero dizer enfrentou) com um adversário número 241, eliminado impiedosamente. Novamente quase 5 horas contra alguém que veio do torneio de classificação.

Alto, forte, com boa devolução, sacando bem (tanto que contra o 241 venceu dois sets, ambos no tiebreak. Deve parar com 30 ou 32 anos, como número 30 do ranking. E trocando de técnicos, acaba demoralizando até o competente Larry Passos.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *