Belluzzo falou demais, em Cuba, falou de menos

Já disse e repito: o economista Belluzzo, como economista obteve muito menos repercussão do que como presidente do Palmeiras. E nesta condição, foi grosseiro, violento, indesculpável, não podia dizer do árbitro 1 por cento do que disse. Embora o árbitro tenha errado mesmo.

Em 1987, seminário sobre
“dívida” externa, ficou calado

Nesse ano, realizou-se em Cuba o mais importante debate sobre a dependência dos países por causa da “dívida que não deviam”. Da América do Sul e Central, eram 4 mil (isso mesmo) convidados. Do Brasil incluíam o sindicalista Luiz Inácio Lula da Silva, já candidato a presidente, e mais 61 pessoas de diversos partidos. Belluzzo e este repórter, entre os 62 do Brasil. Só falaram: Luiz Carlos Prestes e este repórter. Belluzzo ninguém conhecia, ainda não era presidente do Palmeiras.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *