Bendine teve de ser transferido para no se encontrar com seus delatores

Resultado de imagem para bendine preso charges

Charge do Sponholz (sponholz.arq.br)

Renato Souza
Correio Braziliense

O juiz Srgio Moro, da 13 Vara Federal de Curitiba, autorizou a transferncia do ex-presidente do Banco do Brasil e da Petrobras, Aldemir Bendine, para o Complexo Mdico Penal de Pinhais, na regio metropolitana de Curitiba. Bendine estava detido na Superintendncia da Polcia Federal. De acordo com o magistrado, a “permanncia na Carceragem da PF depende de condies excepcionais, por conta do local ser apenas um centro de passagem”.

A transferncia foi solicitada pela Polcia Federal, para que Bendine fique afastado dos delatores da Lava-Jato, como o ex-presidente da construtora Odebrecht, Marcelo Odebrecht. A medida tambm distancia Bendine dos publicitrios Andr Gustavo Vieira e Antnio Carlos Vieira, apontado pelo Ministrio Pblico como operadores do esquema criminoso no qual ele est envolvido.

OPERAO COBRA – Andr e Antnio continuam na Carceragem da PF. Bendine foi preso na 42 fase da Operao Lava-Jato, que foi batizada de Operao Cobra, em referncia ao apelido do ex-gestor nas planilhas da Odebrecht, acusado de ter recebido R$ 3 milhes em propina.

O Completo Mdico Penal de Pinhais tem 104 cubculos e 18 celas de segurana mxima. Os polticos enviados ao local ficam em crceres de 12 metros quadrados, com duas ou quatro camas de concreto em cada cubculo. As necessidades bsicas dos presos so realizadas dentro da prpria cela, por meio de um vaso turco.

###
NOTA DA REDAO DO BLOG
A Lava Jato j se estendeu tanto que est difcil separar os criminosos. Do jeito que as investigaes e as prises se multiplicam, eles acabam formando quadrilhas dentro dos presdios. (C.N.)

One thought on “Bendine teve de ser transferido para no se encontrar com seus delatores

  1. Caro Newton
    Fazendo uma reflexo sobre a (perfeita) Nota da Redao do Blog…
    O maior exemplo da dificuldade de separar os criminosos e a conseqente formao de quadrilhas o prprio Congresso Nacional.
    Abraos,
    Yulo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.