BNDES tem de explicar empréstimo de R$ 1 bilhão à Venezuela

Lula pediu e Chávez pagou o que devia à Odebrecht

Thiago Bronzatto E Filipe Coutinho
Época

Duas semanas após ter prestado depoimento no Senado, o economista Luciano Coutinho, presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, o BNDES, tem outras explicações a dar. No dia 7 de maio, quinta-feira da semana passada, o núcleo de combate à corrupção da Procuradoria da República em Brasília – a mesma turma que investiga Lula em outro processo – enviou um ofício a Coutinho.

No documento, o procurador Cláudio Drewes José de Siqueira pede explicações sobre o empréstimo concedido pelo banco, no valor de US$ 747 milhões, para a construção de duas linhas do metrô de Caracas e Los Teques, na Venezuela, obra tocada pela construtora Odebrecht.

Após a publicação de reportagem de Época sobre o caso, no mês passado, em que se revelou que o financiamento do metrô venezuelano era alvo de questionamentos de auditores do TCU num processo sigiloso, o MPF resolveu iniciar uma investigação própria.

“FATO CRIMINOSO”

No jargão do MPF, ela começou a partir de um procedimento conhecido como “notícia de fato criminoso”, em que se apurarão as suspeitas de irregularidades em torno da operação de crédito do banco estatal. Coutinho terá de informar quais foram as taxas de juros cobradas nesse financiamento e as garantias apresentadas para a liberação do dinheiro dos cofres do BNDES para o governo venezuelano. Além de Coutinho, também serão notificados o TCU e o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, o MDIC – o banco é oficialmente subordinado à Pasta. Todos deverão apresentar nas próximas semanas documentos, inclusive os sigilosos, referentes ao empréstimo concedido para a construção das linhas do metrô venezuelano.

Uma das linhas desse metrô foi financiada pelo BNDES ainda no governo do tucano Fernando Henrique Cardoso.

O empréstimo de US$ 747 milhões sob investigação foi negociado em maio de 2009, quando o então presidente Lula se encontrou em Salvador, na Bahia, com o líder venezuelano Hugo Chávez, morto em 2013. Naquela ocasião, Chávez, que passava um sufoco financeiro devido à queda do preço do petróleo internacional, pediu ajuda do Brasil para expandir as obras do metrô de seu país. Mesmo diante do risco da operação, o BNDES liberou o dinheiro em parcela adiantada, segundo documentos de diligências feitas pelo TCU, obtidos por Época.

LULA ENTRE EM AÇÃO

Dois anos depois, em junho de 2011, já fora do governo, Lula viajou para a Venezuela, num voo bancado pela Odebrecht. O petista, na condição de palestrante contratado pela construtora brasileira, reuniu-se com empresários e também com Chávez, que estava em dívida com a Odebrecht. Após o encontro entre os dois colegas, a conta foi acertada.

Em 2014, auditores do TCU observaram que o BNDES antecipou em 2010 cerca de US$ 201 milhões “sem justificativa na regular evolução da obra” da linha Los Teques. De janeiro a abril de 2010, a Odebrecht só havia gastado 8,15% do valor total da obra. Mesmo assim, recebeu adiantados os recursos do BNDES. Atualmente, o banco estatal é credor da Venezuela em US$ 1 bilhão. Esse valor será pago ao longo dos próximos dez anos. Em 2010, no último ano do governo Lula e quando a Venezuela recebeu o dinheiro para a construção do metrô de Caracas e Los Teques, o volume total de repasses do banco de fomento a Hugo Chávez aumentou seis vezes, para US$ 315 milhões, o segundo maior destino internacional dos financiamentos do BNDES, atrás apenas da Argentina.

9 thoughts on “BNDES tem de explicar empréstimo de R$ 1 bilhão à Venezuela

  1. E tem gente que ainda acha que Lula, Dilma, PT, são ingênuos, trapalhões, incautos, e desconhecem seus limites. É só manchete, vai durar meses, muitas ilações, talvezes, e se? De concreto mesmo nada errado vai se apurar. Como sempre.

  2. O BNDES emprestou dinheiro aos países mais caloteiro do planeta: Cuba, Venezuela, Cuba, Angola. Parece que foram escolhidos a dedo. Aliás, nove dedos…. E as garantias? Ora, a única garantia, no caso, foi o Aval Telefônico do Lulla (apud Hélio Fernandes)…

  3. É indiscutível a condição hedionda da personalidade dessa gente que está no poder há 12 anos.
    Com tanta gente aqui no Brasil passando as mais diversas necessidades e esses criminosos no poder a rouba seus recursos para entregar para ditadores de outros países.

  4. Muitos podem até discordar de minha avaliação. De meu entendimento.
    Mas, mas, que falta fazem um Carlos Lacerda, Leonel Brizola e alguns outros, e muitos
    outros daqueles tempos. Claro, citei dois extremos, sim.
    Lógico, tinham seus prós e contra, qualidades e falhas, mas, o saldo era positivo.
    E quantos ingressavam na vida pública, às vezes até ricos, e saiam pobres.
    E hoje ? E hoje ???

  5. No Wikipedia:

    O BNDES é uma entidade componente da administração pública indireta e vinculada ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, tendo como objetivo apoiar empreendimentos que contribuam para o desenvolvimento do Brasil. Desta ação resultam a melhoria da competitividade da economia brasileira e a elevação da qualidade de vida da sua população.

    Gostaria de saber porque este dirigentes não seguem os ojbetivos para os quais este banco foi criado e aplicam no dinheiro nestas republiquetas da América Latina e África.

    Para a América Latina já existe um banco BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) que foi criado em 1959, cujo principais objetivos era promover a integração da América Latina e Caribe.

    Vejam: 20 obras que o BNDES financiou em outros países.

    http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1985

    Como visto acima é um absurdo o que estes petralhas estão fazendo com o Brasil. Enquanto temos carências em diversas áreas eles ficam usando nosso dinheiro para obras públicas em outros países.

  6. Inegavelmente os empréstimos concedidos pelo BNDES para o exterior contém graves irregularidades, e nos moldes dos que foram descobertos na Petrobrás!
    Nada me convence que, diante de tantas dificuldades que temos em áreas cruciais ao desenvolvimento do nosso País, que verbas importantes tenham sido desviadas para financiamentos de obras no estrangeiro, enquanto que continuamos a penar por falta de estradas para escoar a nossa produção agrícola.
    A fabulosa quantia DOADA para Cuba, na construção de seu porto, nos serviu para quê?
    Exportamos através da ilha caribenha o quê?
    E para quem?
    Da mesma forma as concessões à Venezuela, que de nada adiantaram, pois os venezuelanos continuam com seus problemas e, a maioria, insolúvel, salvo mudanças drásticas no governo.
    O comportamento do nosso banco em transformar tais empréstimos em “secretos”, sem que saibamos os reais valores emprestados, como irão nos pagar, e as taxas de juros aplicadas, comprova a existência de práticas desonestas, e com desvios de verbas bilionárias.
    A soma desses escândalos, dos crimes cometidos contra o erário público, os danos ao povo e prejuízos imensuráveis ao Brasil, dão conta das razões pelas quais o PT não admite deixar o poder, jogando sujo nas eleições, alterando seus resultados, ameaçando o bolsista caso votar na oposição, e não somente para continuar roubando de todas as formas possíveis e imagináveis, mas pelo medo de um presidente eleito de outro partido investigue a fundo os delitos cometidos, e venha a público quem eram verdadeiramente Lula, Dilma, e os dirigentes do PT!
    Agora, uma simples pergunta:
    O que faz o Congresso, aquele antro de corruptos, desonestos, inúteis e perdulários, que não elaborou uma CPI a respeito?
    (Ué, acho que respondi a minha própria pergunta!)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *