Bolsonaristas mantêm 9 contas bancárias para financiar atos antidemocráticos, diz o UOL

POR QUE A POLÍCIA FEDERAL DEVE SER INDEPENDENTE - NOVO

Polícia Federal está investigando os financiadores dos atos

Deu no Sputnik

Procuradoria-Geral da República e Polícia Federal acompanham o financiamento das manifestações no 7 de setembro. As contas servem para contratar ônibus, comprar faixas e alugar helicópteros. Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) mantêm pelo menos nove contas bancárias para financiar atos antidemocráticos no feriado de 7 de setembro, informa o portal UOL neste domingo (5).

Os apoiadores do presidente dizem que as manifestações são democráticas e que não visam a um golpe de Estado, mas Bolsonaro recentemente vem fazendo diversas ameaças à realização das eleições de 2022, com ataques aos outros Poderes, dizendo que é preciso “enquadrar” ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e fazer uma “ruptura”.

VALORES ARRECADADOS – Integrantes da Polícia Federal (PF) e da Procuradoria-Geral da República (PGR) informaram que acompanham o financiamento dos atos e que os valores arrecadados não foram revelados pela maioria dos organizadores.

As contas usadas para financiar os atos servem para contratar ônibus e banheiros químicos, comprar faixas, cartazes, pagar alimentação e energia e até helicópteros estão sendo alugados.

No Supremo existe um inquérito que investiga justamente os financiadores dos protestos antidemocráticos organizadospelo presidente Bolsonaro e seu “Gabinete do Ódio”.

ZÉ TROVÃO AINDA SOLTO – O grupo de Zé Trovão, o caminhoneiro Marcos Antônio Pereira Gomes, que convoca a população para os atos e pede o “impeachment” dos 11 ministros do STF, disse à mídia que espera ter 500 mil pessoas em Brasília e um milhão em São Paulo.

Zé Trovão é alvo de uma ordem de prisão após convocar “atos violentos de protesto” para o 7 de setembro, mas no sábado (4) publicou vídeo em suas redes sociais afirmando que estará na Avenida Paulista, em São Paulo, durante a manifestação programada para o feriado.

A ordem de prisão contra o caminhoneiro foi expedida na sexta-feira (3) no âmbito do inquérito aberto para investigar a organização de manifestações violentas no feriado. A mesma investigação resultou na prisão do blogueiro bolsonarista Wellington Macedo de Souza.

6 thoughts on “Bolsonaristas mantêm 9 contas bancárias para financiar atos antidemocráticos, diz o UOL

  1. Embora a palavra do ‘tosco’ não valha quase nada, veja as bandeiras de campanha que foram para o lixo, nada pode ficar sem resposta firme e clara.
    Parabéns para o ministro Moraes.

  2. Tai no que dá a passividade intencional do PGR com os crimes do governo que o indicaria para o STF: um presidente irresponsável e criminoso e sem limites.
    Vende-se a alma por tão pouco…

  3. Paira no ar um frisson, de certa forma compartilhado por bolsonaristas e antibolsonaristas, sobre qual será a imagem de maior impacto no período de 7 a 12 de setembro —vale dizer, a foto com mais manifestantes, como se isso retratasse a maioria dos brasileiros.

    Trata-se de um equívoco flagrante.
    A ciência da pesquisa, como no levantamento conduzido pelo Datafolha em junho de 2020, mostra que a maioria esmagadora de 75% dos brasileiros é favorável à democracia —e que para 78% o regime militar foi uma ditadura da qual não há saudades.

    Não importa o quão fanaticamente os bolsonaristas apoiem seu chefe e o quanto os opositores estejam menos mobilizados ainda em respeito à crise sanitária; nada muda o fato de que Jair Bolsonaro erra, mais uma vez, ao apoiar atos golpistas repudiados pela imensa maioria que não irá às ruas.

    Repudiados também pelos setores organizados da sociedade que, a despeito de preferências e interesses heterogêneos, compreendem que só o ambiente de livre manifestação do pensamento e respeito ao Estado de Direito permite a apresentação de demandas e a busca por justiça e prosperidade.

    Tal entendimento se espelha na representação política. Entre governadores, prefeitos e parlamentares inexiste massa crítica a encorajar ensaios de ruptura. A sustentação fisiológica ao governo no Congresso não faz mais do que levar adiante projetos econômicos e evitar o impeachment.

    As instituições, ainda que imperfeitas, se encontram amadurecidas por mais de três décadas de democracia —o período mais longo de normalidade na história republicana— e consolidação dos freios e contrapesos a serem respeitados por todos os Poderes.

    Está claro para todos que o alarido provocado por Bolsonaro deriva de sua incapacidade de governar e da perspectiva de ser mandado para casa pelos brasileiros em uma eleição livre e justa, como têm sido todos os pleitos realizados no país.

    O mandatário usa a data nacional para uma demonstração de suposta força. Conta, não é novidade, com o apoio de parcela minoritária, mas ainda expressiva, do eleitorado. Mas só aprofundará seu fracasso ao insistir na arruaça e na truculência golpista.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *