Bolsonaro achava (?) que podia destruir Moro, mas estava totalmente enganado

Carlos Newton

Ao chamar o juiz Sérgio Moro para integrar o Ministério, logo após a eleição, Jair Bolsonaro deu um poderoso golpe de marketing e atraiu ainda mais apoio popular a seu governo. Na época, o presidente eleito ficou empolgadíssimo e deu entrevista coletiva dizendo que Moro cuidaria também da segurança nacional, com carta-branca para fazer todas as nomeações necessárias.

Foi ilusão à tona, diria Johnny Alf, e Bolsonaro logo se arrependeu, porque a presença de Moro fazia com que o governo perdesse o estratégico apoio dos parlamentares do Centrão, conhecidos também como “franciscanos”, porque defendem a tese de que “é dando que se refere”, celebrizada na Constituinte por um dos criadores do grupo, o deputado ruralista Roberto Cardoso Alves (PFL-SP).

CLIMA PÉSSIMO – Como dizem os meteorologistas, o clima foi piorando no decorrer do período, e o presidente começou a cortar as asas de Moro. Primeiro, tirou da pasta o poderoso Coaf (Conselho de Controle de AtividadesFinanceiras).

Moro reagiu, mas o presidente foi inflexível. Depois, retirou o apoio ao Pacote Anticrime no Congresso e até liberou sua bancada para aprovar um projeto a favor do crime – a Lei do Abuso de Autoridade.

Completamente esvaziado, Moro continuou no governo para dar seguimento à Lava Jato, mas o presidente começou a tentar interferir na Polícia Federal –  primeiro, para blindar os filhos e a si próprio; depois, para proteger parlamentares aliados e até os amigos.

COM OS PÉS NA LAMA – Preocupado desde sempre com a reeleição, Bolsonaro não percebeu que estava metendo os pés na lama. Na verdade, cometia o mesmo erro de Lula da Silva, ao se adaptar à velha política, ao invés de tentar renová-la.

Mas o ministro Moro resistia e a Lava Jato continuava com suas operações contra a corrupção, ameaçando chegar à família de Bolsonaro e a seus novos aliados. Com isso, Moro foi se transformando no maior problema do presidente, porque Lula já está neutralizado.

A gota d’água foi Moro ter recusado apoio à cloroquina e ao fim do isolamento. Bolsonaro então resolveu destruir o ministro. Foi o maior erro de sua vida. Com a grandiosa experiência jurídica, Moro está demolindo Bolsonaro sem dizer uma palavra, pois é o Supremo que está fazendo a faxina.

Procuradores, auditores e delegados já começaram a limpar o país e esse trabalho não será interrompido, apesar do esforço conjugado do Congresso, do Supremo e do governo.

###
P.S. –
O mais importante,é que a Lava Jato continua. A nova geração de procuradores, juízes, delegados e auditores está limpando o país, e  suas operações saberão mostrar o caminho certo aos brasileiros.

P.S. – Quanto a Bolsonaro e sua trupe, deviam pedir para sair e sofrer menos. Estão submetidos hoje a uma espécie de tortura chinesa, em que a cada dia a dor aumenta. Vamos ver até quando eles conseguirão suportar. (C.N.)

20 thoughts on “Bolsonaro achava (?) que podia destruir Moro, mas estava totalmente enganado

  1. CN quer criar uma narrativa que não tem como existir. Bolsonaro saiu mais forte do que nunca nessa história com o Moro. A tal reunião provou que não houve nenhuma interferência na PF, e o próprio Moro já tinha dado entrevista meses atrás confirmando isso. CN, a turma hoje está toda nas mídias digitais, a grande maioria da população não lê jornais, vai direto para as mídias. Hoje as vendas de jornais no Brasil não chegam a 10 milhões, contando com assinaturas. Não aposte no Moro CN, ele é filhote do PSDB, é o verdadeiro lobo em pele de cordeiro. Uma dica, dê uma pesquisada na vida da mulher dele, talvez você se choque.

  2. Só espero que não me inventem mais 171 eleitoral, pelo amor de Deus, para depois virem com aqueles arrependimentos pós-morte que funcionam como conselho depois do enterro. Já estamos velhos de mais para continuar entrando em mais roubadas.

  3. O impressionante é sabermos que o planalto não dá um minutinho só de atenção para a pandemia.
    O país caminha para o caos, as mortes passaram a ser, diariamente, mais de mil (só as oficiais) e parece que está tudo bem.
    É “imprecionante”, plagiando o ministro.

  4. Tomara que o jornalista CN tenha razão quanto a continuação da limpeza. Vamos ver se acontece no COVIDÃO.
    Escutei na Jovem Pan, o jornalista Augusto falar o seguinte: “O Lula falou que para esconder uma mentira, precisa de duas e para esconder duas, precisa de quatro e vai exponencialmente até o mentiroso se enrolar todo.” Se o 01 tivesse logo admitido as rachadinhas que todos fazem e assumido devolver o $; tudo se resolveria rapidamente. Mas não, começaram a mentir e agora não acaba nunca mais.

  5. No desdobramento o PR para defender o “pimpolho’; rasgou a principal bandeira de sua vitória que era o combate a corrupção.
    Fez o pacto com os Demônios do congresso e do stf e num decrescendo já está se entregando ao que pior existe na política brasileira.
    Lamentável, infelizmente.

  6. Desde o início do governo Bolsonaro, Carlos Newton já vinha nos alertando, nesta Tribuna, de que Moro estava desconfortável e insatisfeito dentro do governo.

    Muitos de nós, comentaristas já antigos deste democrático blog, contrariávamos o Carlos Newton dizendo: que não era bem assim, que ele estava sendo precipitado, e etc…

    Afinal o Sérgio Moro precisou deixar para trás, de forma definitiva, uma carreira na magistratura, construída com esforços imensos. E o fez acreditando num projeto de Bolsonaro para tornar o Brasil muito melhor, principalmente no campo da segurança pública e no do combate à corrupção.

    Lembro bem de que o comentarista Francisco Bendl era um dos que pensava como eu. Ou seja, que Moro se entenderia com o presidente, superando algumas pequenas diferenças, e no fim tudo daria certo.

    Estávamos redondamente enganados, e o editor completamente certo!

    Os meses de governo foram se passando e o Moro foi recebendo de Bolsonaro traições, grosserias, situações vexatórias, piadinhas…

    O presidente votava contra as sugestões do Ministro da Justiça e aprontava poucas e boas, conforme alguns episódios que estão citados no artigo.

    Até que chegou o momento onde Bolsonaro começou a exigir que esse seu subordinado cruzasse as fronteiras da ética, da legalidade e da moralidade, passando a ser um mero despachante das ordens presidenciais.

    Moro pede para sair, de forma brilhante, e sem quaisquer manchas vindas do bolsonarismo imundo.

    Mostrou-se indestrutível, e agora está colaborando firmemente para que o país conheça muitos dos crimes e artimanhas imorais desse presidente, e também da verdadeira quadrilha criminosa que o cerca.

    Muita água vai rolar, mas o Brasil tornar-se-á imensamente mais limpo. Só que para isso é fundamental retirar Bolsonaro do poder, pelos meios constitucionais, e apurar toda essa trama criminosa, cujos indícios aparecem por todos os lados.

  7. Meu caro amigo, Isac,

    Eu e tu não somos jornalistas.
    Nossas informações são fornecidas por esses profissionais.
    Se adulterarem a verdade, sairemos divulgando mentiras, e assim as fake news se alastram.

    Newton tem vários anos como comunicador.
    A sua carreira é brilhante, experiente, sem mácula, serve como avalista da TI, então a sua credibilidade, e um espaço inigualável para o cidadão brasileiro.

    Diante dessa capacidade de mensurar positivamente as situações atuais, ficar ao lado de Moro é natural, pois uma posição consciente, racional, de quem esperava que Bolsonaro fosse seguir as atitudes de Moro no combate à corrupção.

    Ledo engano.
    Bolsonaro segue o seu nariz, e o resto que se dane!

    A minha dúvida está em 2022, caso eu estiver vivo até lá:
    se a política petista hoje está arruinada pelos crimes cometidos e, a de Bolsonaro, decepcionou o povo, que tendência política iremos pender nas próximas eleições?!

    Direita e esquerda sem diferença alguma em prejudicar e causar danos ao povo e país, sobrará quem e o quê?!

    Que candidatos terão a confiança do eleitor?
    Que partidos poderão conduzir o povo?!

    Sarney, Collor, FHC, Lula, Dilma, Temer e Bolsonaro, juntos, arrasaram com o Brasil e sua população!
    Civis e militares contribuíram para essa destruição.

    Precisaremos de ETs para nos recolocar nos trilhos?
    O será necessário um time de anjos, arcanjos, serafins e querubins, para reordenar esta nação?

    Só sei, meu amigo, que a nossa realidade exige alguém que supere o ser humano, que esteja muito além da capacidade de uma pessoa, por mais que esta venha munida de boas intenções e vontade.

    Forte abraço.
    Te cuida, meu!

  8. É carlão ..lagarto velho dos tempos da TI ..anos 80 …. Abro devergencia meu caro ..CN …Tu sabes muito bem que nada está sendo limpo neste nosso Brasil …. Tudo continua como antes CN….como uma onda no mar ..(royalties para LuluSantos ..).

    A onde Carlão do alto de sua exp. vc está vendo essa limpeza ? Tem muita gente aqui e que te acompanha a anos com uns quinze anos a menos do que vc meu prezado …que não está vendo limpeza alguma meu nobre …com meus respeitos pare de sonhar Carlão, nosso Brasil foi projetado para dar errado em tudo … vc mesmo é testemunha ocular dos últimos 50 anos ..o nosso amigo HF… uns 80 anos …vcs dois juntos dá uns 130 anos de testemunho…e sejas sincero onde vc vê mudança ou limpeza …? Com o Moro ? com o Sr. Jair ? foi com o Sr. Luis Inácio ?…Foi com FHC..? Com o Collor ?…com Itamar ? …ETC…?

    Paz e saúde para vc Carlão …e toda sua casa …

    YAH SEJA LOUVADO SEMPRE …

Deixe uma resposta para celso Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *