Bolsonaro ameaça: “Chegamos ao limite e Forças Armadas estão ao lado do povo

Manifestantes pró-Bolsonaro agridem e ameaçam jornalistas em ato ...

Bolsonaro dá força às manifestações pela intervenção militar

Pedro do Coutto

Ao comparecer à manifestação que reuniu milhares de pessoas em frente ao Palácio do Planalto, organizada contra o ex-ministro Sérgio Moro, o Supremo e o Congresso, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que “chegamos ao limite, não aceitamos mais interferência”, acrescentando que as Forças Armadas estão ao lado do povo para assegurar a democracia. Essas afirmações causaram forte movimentação nos meios políticos, como era de se prever.

Reportagem completa da CNN focalizou a longa manifestação registrando que os protestos eram mais dirigidos contra o ex-ministro Sérgio Moro, o Supremo Tribunal Federal e o Congresso.

ATAQUE AO SUPREMO – Quando Bolsonaro se referiu ao fato de não aceitar mais interferência em seu governo, estava na realidade referindo-se ao Supremo Tribunal Federal. Disse que os Poderes são independentes e Harmônicos entre si e essa harmonia tem que ser observada.

Em seguida, anunciou que hoje, segunda-feira nomeará o novo diretor geral da Polícia Federal. Deixou mais ou menos implícito que deverá ser alguém da confiança de Ramagem, cuja posse foi impedida pelo Supremo.

MUITAS REAÇÕES – Na parte da tarde de ontem a Globonews colocou no ar reações que se fizeram sentir ao longo do dia. O pronunciamento de Bolsonaro foi fortemente rebatido principalmente pelos governadores de São Paulo e Rio de Janeiro e pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia.

Foi um final de semana movimentado em Brasília, e o Senado aprovou a ajuda financeira aos estados e municípios. Aprovou também o congelamento dos salários do funcionalismo federal até o final de 2021, modificando assim a matéria aprovada anteriormente pela Câmara. Os dois projetos voltarão para última discussão à Câmara Federal.

OUTRO ASSUNTO – Prosseguiu ontem a não observância da população quanto a cumprir as recomendações de governadores principalmente a não fazer aglomerações e uso de máscara. Aliás, um outro tema abordado por Bolsonaro foi o de culpar governadores pelo desemprego que voltou a crescer no  país. O que deu margem a esse enfoque foi a decisão de estender por mais tempo o isolamento social, tomada pela maioria dos governadores e prefeitos

Como se constata, o Palácio do Planalto ,ao adotar um tom ameaçador, contribui para ampliar a crise política, que, juntamente com o coronavírus, constitui uma séria ameaça no horizonte.

16 thoughts on “Bolsonaro ameaça: “Chegamos ao limite e Forças Armadas estão ao lado do povo

  1. A manifestação foi contra aquilo que o colunista omite dos seus leitores: o golpe de estado em andamento, contra o Presidente da República. O resto é blá blá blá de aliados do narco-socialismo tucano-petelho.

    • Historinha para boi dormir. Você é desses, que golpe só vale nos outros contrários a sua tosca idéia. Quando toca o suposto golpe vem seu admirador não vale. Só valia para o Collor e para a Dilma?
      Um pouquinho de coerência lhe faria bem.

  2. Sim deve usar as FFAA contra os amigos de bandidos que, em cargos não eletivos, detonam ações governamentais.
    Advogado de bandidos não deveria estar neste cargo.

  3. Por favor, Mansilia, escreva em minúsculas. Aqui não é preciso GRITAR. Caso contrário, terei de deletar seus comentários. Este aviso vale para todos os outros comentaristas.

    Grato,

    CN

    • CN, colocar em maiúscula não é gritar senão “colocar em evidência” essa parte de texto. Pelo demais você é dono do blog e pode retirar minha postagem como fez. Isso por casualidade não é censura? Não gostou das maiúsculas e interpretou como “grito”, problema seu?

  4. Quem tem noção do que é uma nação, percebe que Bolsonaro está se tornando um perigo à democracia.
    O presidente, está em forte campanha para se livrar o impeachment. Está fazendo acordos com que existe de pior no Congresso e ao mesmo tempo promovendo essas reuniões em Brasília com uns poucos milhares de adeptos, que mão representam a maioria do povo, e fazer discursos que subliminarmente é uma ameaça à democracia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *