Bolsonaro anuncia indulto para deputado Daniel Silveira e agrava crise institucional

Bolsonaro confronta STF e anuncia decreto que dá indulto a Daniel Silveira | VEJA

Bolsonaro desafia o Supremo e anuncia o decreto de indulto

Carlos Newton

Era uma possibilidade concreta, mas não se cogitava que o presidente da República decidisse intervir na condenação do deputado federal Daniel Silveira (PTB-RJ), julgado na véspera pelo Supremo Tribunal Federal, que lhe aplicou a pena de oito anos e nove meses de prisão, com cassação de seu mandato e multa pecuniária.

O presidente Jair Bolsonaro anunciou na tarde desta quinta-feira (dia 21), em transmissão ao vivo por uma rede social, que está concedendo indulto ao parlamentar. Esse tipo de perdão a criminosos pode ser baixado pelo presidente da República por meio de decreto, mas nas últimas décadas só tem ocorrido no Natal, beneficiando quem já tenha cumprido parte da pena, com bom comportamento.

DIÁRIO OFICIAL – Na comunicação pela rede social, Bolsonaro afirmou que o ato será publicado na edição do Diário Oficial da União desta sexta-feira.

Com isso, agrava-se a crise institucional entre dois Poderes da República, com a circunstância de que o ato do Judiciário condenando o parlamentar está sendo contestado também pelo Legislativo.

Aguarda-se a reação do Supremo, que está sendo afrontado e desmoralizado pelo chefe do governo. O momento é delicado e requer muita calma. O presidente Jair Bolsonaro tem dado inequívocas demonstrações de que procura o apoio das Forças Armadas para assumir poderes excepcionais. Como dizia o Barão de Itararé, cautela e caldo de galinha não fazem mal a ninguém.

40 thoughts on “Bolsonaro anuncia indulto para deputado Daniel Silveira e agrava crise institucional

  1. O pilantra do presidente se interessa por um político inexpressivo, mas não se importa em comprar vacinas.

    É, ou não é, bandido?

    A rua é nossa salvação!

    VAGABUNDO!

  2. O tosco não percebe que com essas marrinhas ele só mantem os votos do gadão amestrado e se afasta de quem tem mais de um neurônio.

  3. E, mais, o tosco se antecipou a um caso ainda não definido

    É MUITO BURRO!

    Se não tiver com relógio, em regra, não sabe qual é a mão esquerda.

    É o pior. Dona Micheque, a múmia, estava ali lado acendendo com a cabeça. Ô, país!

  4. Mais é uma prerrogativa garantida na constituição ao presidente. Certo ou errado ele pode conceder indulto a quem sofrer pena privativa de liberdade. Ele jogou nas quatro linhas e agora vão dizer que esse artigo é inconstitucional 32 anos depois?

  5. Se viúva do miliciano Adriano Nóbrega delata Bolsonaro, sua vida acaba, diz suposto sócio do Escritório do Crime.

    “Imagina se ela denuncia o Bolsonaro”, alerta Bernardo Bello, ex-presidente da Vila Isabel, em áudio obtido pelo BdF

  6. Tal como redigido, o decreto é inválido. E precisa ser retificado. Inválido porque no artigo 1º o presidente CONCEDE a Graça.

    Já no artigo 2º diz que a Graça “será concedida”. Não pode existir dúvida. E como está redigido, a última oração do 2º artigo anula a graça concedida no 1º artigo, ao afirmar que a graça “será concedida”. Se “será concedida” é porque não foi. Ou se foi, o próprio decreto a anula e oficializa sua concessão no futuro: “será concedida”.

  7. Patético e inverossímil.

    Esse poço não tem fundo.

    Se esse Absurdo vingar, todos os advogados deveriam pedir o perdão para os crimes de seus clientes, sob o argumento da Isonomia de tratamento.
    Soltem todos, indiscriminadamente.

  8. O direito é uma beleza.

    Parabéns para que o exerce. Exerce sem compromisdo com a realidade.

    Tem até assassino solto porque a “lei” é dúbia.

    Vamos que vamos para o calabouço.

    Interpretações e interpretações.

    Tô pra ver coisa mais esdrúxula do que o direito. Tudo depende. PQP!

  9. Se tivermos um tsunami no Brasil o que o advogado vai fazer? Nada.

    Mais o engenheiro, médico, enfermeiro, pedreiro, eletricista, etc.

    Estão vendo a importância do advogado?

  10. Quer dizer que de agora em diante qualquer um que tiver foro privilegiado pode afrontar o STF?

    Pode intimidar?

    Pode xingar?

    Pode ameaçar?

    Pode pedir o AI-5?

    Vai virar festa?

    Se isso não é antidemocrático, o que seria?

    Não cabe neste momento dizer se o STF é bom ou ruim.

    O que interessa é que os togados são a máxima expressão da justiça.

    Até um vereador de M. poderá afrontar o STF?

    O que o estúpido do Daniel Silveira disse é grave, sim!
    Inclusive com ameaças diretas ao Alexandre de Moraes.

    Ontem mesmo se deu ao luxo de xingar o ministro no plenário, pouco antes do seu julgamento.

    “Daniel Silveira faz apologia ao AI-5, mais duro instrumento de repressão da ditadura militar, e defende a destituição de ministros do Supremo Tribunal Federal, o que é inconstitucional”.
    Fonte: O Globo.

    Isso não significa nada, Senhores tribunários?

    O demônio está procurando por uma ruptura institucional.
    Este câncer que habita no Planalto tem que ser EXTIRPADO de qualquer maneira.

    Uma reeleição do demônio, levará o Brasil à loucura!
    Vamos sofrer com este endemoniado.

    José Luis.

    • Caro Espectro, você está certíssimo.

      Quem é Daniel Silveira? O que ele representa politicamente?

      Por ser um deputado de merda pode xingar e ofender um ministro do STF?

      E depois o incompetente lhe dá a “graça”? Graça é o garaio!

      Mas virão os “entendidos” da lei e dirão que a decisão do STF foi arbitrária.

      Estamos f.. e mal pagos!

      Melhor é abrir mais uma sem depender desses pilantras.

  11. A verdade é essa: Hoje quem defende a democracia e a liberdade do povo é o Presidente Jair Bolsonaro. Basta observar a realidade com isenção e sem histeria.
    Abraço a todos.

  12. Falta quanto tempo mesmo para colocarmos esse senhor porta à fora do Alvorada? Se houver mesmo a polarização no segundo turno entre o que rouba mas faz x o que rouba e não faz, meu voto irá para o 9 dedos.

  13. Gregório Fortunato foi condenado,pelo Tribunal do Júri, como mandante do crime de homicídio contra o major Rubens Vaz e de tentativa de homicídio contra o jornalista Carlos Lacerda.
    A pena foi reduzida há 20 anos por Juscelino Kubitschek e há 15 por Jango.

    • Uai! Há 20 anos estávamos em 2002 e o Juscelino já estava, infelizmente, morto. E há 15, também lamentavelmente, o Carlos Lacerda também já estava morto.
      Parece-nos muito claro que o crime compensa, quando se é amigo do rei.

      • Obrigado,Luís Roberto!
        Copiei e colei do Portal das Missões,que em vez de “a”escreveram”há”.
        O certo é:
        Gregório Fortunato foi condenado,pelo Tribunal do Júri, como mandante do crime de homicídio contra o major Rubens Vaz e de tentativa de homicídio contra o jornalista Carlos Lacerda.
        A pena foi reduzida a 20 anos por Juscelino Kubitschek e a 15 por Jango.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.