Bolsonaro anuncia linha dura na segurança e o fim dos privilégios dos presos 

Imagem relacionada

Bolsonaro defende maior rigor na legislação penal

Carlos Newton

Jair Bolsonaro, candidato do PSL à Presidência da República, afirmou neste sábado (13) que o melhor plano de saúde é ter emprego. Ele passou o início da manhã em casa, na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio. Às 9h20, o candidato saiu para gravar participações no horário eleitoral, no bairro do Jardim Botânico, na Zona Sul. No fim da manhã, Jair Bolsonaro interrompeu as gravações de campanha para conversar com os jornalistas. Entre as propostas de governo, o candidato do PSL falou sobre saúde.

“Você tem que combater a corrupção, exatamente para que sobre recursos para aplicar onde interessa. Eu estou com uma bolsa de colostomia aqui do meu lado. São mais ou menos 200 mil pessoas no Brasil que tem o mesmo problema que eu tenho no momento. E eu sou um privilegiado. Como é que você ataca esse problema? Alguém que realmente tenha amor pela saúde para ocupar um ministério e determinar que se trabalhe para o bem da população e não para atender interesses político-partidários, que é uma regra. Agora, o melhor plano de saúde que se pode ter é emprego. E uma pessoa desempregada está propensa a frequentar, com maior intensidade, os hospitais”, destacou.

VIOLÊNCIA – Bolsonaro falou também sobre o que pretende fazer para combater a violência. “Primeiro é escalar o time, é dessa forma. A outra, um pacote de medidas para que nós possamos, em um primeiro momento, diminuir a violência em nosso Brasil. Eu tenho uma máxima: eu não quero ninguém sofrendo, sendo torturado, passando necessidade em uma cadeia. Mas no que depender de mim, a polícia no encarceramento se fará presente. E o conselho que eu dou agora para quem quer fazer maldade: se não quiser ir para lá, não faça maldade. Passa por aí”, disse, acrescentando:

“O ser humano só respeita o que ele teme. E nós temos que mostrar para o ser humano que, se ele cometer um crime, ele vai pagar. E no que depender de mim também e do parlamento, obviamente, não teremos progressão de pena, muito menos saidões”.

Depois, em uma rede social, o candidato disse que o Brasil gasta pouco no ensino básico em relação ao superior. E que o alto índice de alunos sem noções mínimas de leitura e escrita nas faculdades reflete esse mau investimento. O candidato disse que é preciso priorizar a base, qualificando o ensino para capacitar e formar grandes profissionais no futuro.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOGBolsonaro foi o primeiro candidato a sair em campanha, há  dois anos. De lá para cá, desenvolveu uma impressionante capacidade de dizer o que o eleitor quer ouvir, no melhor estilo Jânio Quadros, que era grande mestre nessa prática. (C.N.)

22 thoughts on “Bolsonaro anuncia linha dura na segurança e o fim dos privilégios dos presos 

    • Ah, seu Nazareno, time para combater a violência existe no país – há sim especialistas capazes e caberá naturalmente a um ministro da área organizá-lo. É assim que funciona.
      O que há de novo é o comprometimento do candidado em combater o crime, a corrupção, tornar o governo mais eficiente e privilegiar o ensino básico. Já é um prato cheio.

  1. E o fim dos privilégios dos políticos?

    E o fim do auxilio moradia para quem tem casa?

    E a redução da quantidade de políticos em todos os níveis?

    E a limitação na quantidade de mandatos para cada cargo eleitoral?

  2. Está mais do que provado que 25% da população brasileira detesta Lula. E vai votar contra ele.
    Bolsonaro, como dizia Brizola, montou no cavalo que passava encilhado.
    É claro que tudo que diz que irá fazer somente o fará com o apoio dos demais Poderes da República.
    Por ora, como diz o eminente presidiário de Curitiba, são só bravatas.

      • São 147,5 mi de eleitores.
        Bolsonaro teve 49 mi de votos no primeiro turno ou 47% dos votos válidos que foram 107 mi.
        Se toda a população ou 202 mi votasse, 75% seriam 150 mi.
        Então, até agora só 25% dos 202 mi de brasileiros demonstrou ser antilula. Não adianta querer torturar a matemática.

        • Então eu desenho:
          Bolsonaro se elegerá com um pouco mais de 85 mi, mas terá que governar um país com 202 milhões.
          Quer dizer que, ao menos, outros 85 milhões podem ter outras convicções.

  3. Lembrar que Jânio Quadros teve um governo que durou 7 meses, ou seja nem o tempo de uma gestação. E começou com muita bobagem, proibindo misses de desfilarem com maiô, criou modelos de uniformes que os funcionários públicos deveriam usar etc etc

  4. OFERTA IMPERDÍVEL PARA PETISTAS E CONGENERES:

    O empresário Luciano Hang, dono da rede de lojas Havan, mais conhecida pelas réplicas gigantes da Estátua da Liberdade, resolveu fustigar de novo o eleitorado lulopetista.

    “Hang passou a oferecer passagens aéreas apenas de ida para a Venezuela, com 50% de desconto, tudo pela sua agência de viagem. Só podem ser candidatar passageiros filiados ao PT, Psol, PCdoB e PSTU. O empresário paga a diferença.

    O embarque será via Manaus, dia 29, um dia depois das eleições, as 3h da manhã.”

    Que delícia de viagem!

  5. Pelo que li nos comentários há mais frustados com a situação eleitoral do 1º turno para Presidente.

    Uma pena, prova incontestável que aqueles que desejam que a fuzarca continue com a malversação do Erário Público ainda proliferam, depois do estrago feito nas contas brasileiras.

    Esperemos o 28/10/2018 e torçamos para que as urnas sejam favoráveis aos que votaram por um Brasil mais decente, ou seja, contrários ao PT e seus agregados.

  6. O Bolsonaro sempre diz o que pensa. Ele sempre foi assim. O sucesso dele é porque ele é igual a nós. Nós nos sentimos representados no poder. Por isso ele não precisa fazer campanha. Nós fazemos por ele, com vigor, sem agressão. Queremos os comunistas fora. Vão encolher até voltarem ao que sempre foram. Nunca mais chegarão ao poder. Para completar, ainda veremos os povos da Venezuela, Bolívia, Cuba e Nicarágua libertados do fascismo e nazismo dos ditadores.
    A fala do Bolsonaro não é aquele papo mariquinha bem comportada de fitinha no cabelo do Geraldo Alkmin, nem aquele tom patriarcal que engoliu um pé-de-porco do Meirelles, nem a fala de débil mental fugido do hospício do Ciro Gomes, nem a fala do ventrílogo que engoliu um radinho de pilha do Haddad. Os que ainda pensam e trabalham e confiam em Deus votarão no Bolsonaro como se fosse uma força, uma atitude, uma determinação, um chute na cara dos ladrões.

  7. Linha dura na Segurança? Se eleito, por acaso ele vai colocar a Polícia Federal (e as FFAA) nas ruas para o policiamento preventivo?
    Imagino que terá que abrir muitas vagas para os cargos da DPF e demorará três anos para começar a ver o resultado.
    Isso porque o orçamento do próximo ano já está comprometido. O orçamento do ano seguinte (2020), sim, será de sua total responsabilidade e do no Congresso.
    No caso dele optar por colocar as FFAA na Segurança, precisará mudar a Constituição e também aprovar medidas orçamentárias.
    Enfim, tudo falácia desse fanfarrão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *