Bolsonaro apoia decisão de Toffoli que beneficiou o filho e os chefes das facções criminosas

Resultado de imagem para bolsonaro charges

Charge do Duke (dukechargista.com.br)

Deu em O Tempo
(FolhaPress)

O presidente Jair Bolsonaro defendeu nesta sexta-feira (dia 19) a decisão do presidente do STF (Supremo Tribunal Federal) que suspendeu investigações que contenham dados compartilhados do Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras).

Na saída de culto evangélico na Igreja Sara Nossa Terra, ele ressaltou que o repasse de dados deve ocorrer mediante decisão judicial e que, uma vez tornados públicos os dados, esses contaminam o processo legal. A decisão beneficiou o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), filho do presidente.

“CONTAMINAÇÃO” – “Pelo que sei, pelo o que está na lei, dados repassados, dependendo para quê, devem ter decisão judicial. E o que é mais grave na legislação: os dados uma vez publicizados contaminam o processo”, disse.

O ministro atendeu a pedido de Flávio, em uma decisão que paralisou a apuração do Ministério Público do Rio de Janeiro e atingiu outros inquéritos e procedimentos de investigação criminal de todas as instâncias da Justiça.

A determinação tem potencial de afetar desde casos de corrupção e lavagem, como os da Operação Lava Jato, até os de tráfico de drogas.

RELATÓRIO DO COAF – A investigação sobre Flávio começou com compartilhamento de informações do Coaf – depois disso, a Justiça fluminense autorizou a quebra de sigilo bancário.

As suspeitas tiveram origem na movimentação atípica de R$ 1,2 milhão nas contas de seu ex-assessor Fabrício Queiroz entre janeiro de 2016 e janeiro de 2017.

A decisão de Toffoli é de segunda-feira (15). A defesa de Flávio alegava que, na prática, seu sigilo já havia sido quebrado antes da decisão judicial, pelo fato de a Promotoria ter obtido dados detalhados do Coaf.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Como dizia o Barão de Itararé, era só o que faltava. Para defender a impunidade do filho, o presidente da República defende uma medida que simplesmente interrompeu as investigações sobre lavagem de dinheiro no país e beneficia os mais implacáveis e perigosos criminosos do país, os chefes das facções tipo Primeiro Comando da Capital e Comando Vermelho, que comandam o crime organizado e o tráfico de drogas.

Bolsonaro é uma decepção para este país, a verdade é essa. Não pode abrir a boca que sai besteira. Nesta sexta-feira, disse que não há quem passe fome no país, chamou os governadores nordestinos de “paraíbas” e defendeu a impunidade do filho corrupto. Conforme previmos aqui, vai ser o pior presidente da História. (C.N.)  

 

22 thoughts on “Bolsonaro apoia decisão de Toffoli que beneficiou o filho e os chefes das facções criminosas

  1. “Exceto pela UTOPIA da RPL-PNBC-DD-ME, o novo caminho para o novo Brasil de verdade, porque evoluir é preciso, NÃO HÁ MAIS SAÍDA ALVISSAREIRA NENHUMA PARA O BRASIL, sob a égide do continuísmo da mesmice do sistema político podre, imposto pelo golpismo ditatorial, o partidarismo eleitoral e seus tentáculos, velhaco$, pela direita, esquerda e centro, pesadelo esse que já dura 129 anos. https://www.facebook.com/photo.php?fbid=260710404130114&set=a.113842952150194&type=3&theater

  2. Bolsonaro não compreendeu o que levou a pessoas a elegê-lo presidente, e vem se deixando levar pela arrogância e pela defesa de interesses pessoais. Ele não percebe que sua eleição foi só um instrumento para a indignação popular, não o ponto final dela. Seus eleitores poderão se voltar contra ele em breve.
    De qualquer forma, é bom lembrar que os santarrões do PT não parecem ter nenhuma queixa contra a obstrução do COAF. Isso deve ser recordado quando aparecerem com suas indignações éticas contra aquela parcela da humanidade que não milita nas suas fileiras.

    • Seus eleitores poderão se voltar contra ele? Poderão? Bota vontade nisso. Já ouvi de muitos o que o redator afirmou acima: ele é uma vergonha, uma decepção que não esperávamos. É um Lula em arrogância e ignorância e uma Dilma com suas burrices sem pés nem cabeça.
      Chega, Capitão Luiz Inacio Bolsonaro! Você traiu o povo!

  3. Alô, manada de quadrúpedes!!!! Xinguem o Bolsonaro agora!!!

    “Ainn, o meu Mito infalível agora está apoiando o Toffoli?????O meu Mito virou Cumunista!!!!!!”

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk xD

    • “Ainn, eu odeio o canalha, petista, ladrão, cafajeste, vagabundo, desgraçado, comunista, lulopetista, ixquerdopata, grobarista, incompetente, ignorante, pústula, escroto do Dias Toffoli!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Eu vô mandá xordadinho e cabo pra prender e fuzilar o Toffoli!!!!!!!!!!!!!! Mas agora o meu Mito Borxonaro concordou com a decisão dele!!!!!!!!! E agora, meu pai? Eu xingo ou não xingo o Borxonaro?????????????”

      (Escrito em MODO BOLSONETE HISTÉRICA E CONFUSA)

    • Francamente, Alex, depois dessa você perdeu todo o crédito que ainda poderia ter.
      Um tempo atrás, ainda pensava que você era um militante cegado por convicções ideológicas. Mas hoje vejo que ou você é um troll pensando que é engraçado, ou um propagandista pago. Porque se você realmente acredita no que escreve, então é ingênuo de dar pena.

    • Uai?, eu que sou eu ia detonar o bozo e oce tá elogiando?
      Em bom português ele cago na retranca, tiro no pé, vai custar caro pra ele.
      Mas nada que já não tinha sido feito pelos estadistas anteriores.
      Esse expediente não é novidade.
      Não existe virgens em casa de tolerância.

  4. Gzuis, nós tivemos um presidente que roubou bilhões, quebrou a economia, comprou a câmara, deu dinheiro para ditadores e assassinos…. mas o Bolsonaro é o pior presidente por que chamou os governadores de paraíbas!!

    • Infectados por ódio por quem? Acaso houve alguma oposição ao PT que este e seus propagandistas midiáticos considerassem digna de consideração? O Serra, o tartufo aborteiro? O Aécio cocainômano? A Marina capacho do Itaú? O Eduardo Campos que era um novo Collor – isso apesar do velho Collor ter se tornado um valoroso membro da base aliada? Quando foi que ser não-petista foi uma coisa normal numa sociedade democrática, e não uma aberração moral?
      Pelo contrário, ser contra o PT era ser racista, homófobo, machista, odiador de pobres que vão de avião à Disneylândia calçando sandálias havaianas. Ciro acertou quando disse que Bolsonaro era um monstro criado pelo PT. Os petistas empurraram o eleitorado para Bolsonaro, estigmatizando a oposição.

    • Pergunto, se quem votou no bozo estava infectado de ódio, quem não estava com ele estava infectado de amor?
      Ou só tentava manter o Status Quo da rapinagem?
      ?????/
      Ao contrario da turma que perdeu a boca e fazia amem a toda bandidagem ptista e pmdebista e assemelhados, a imensa maioria dos eleitores do bozo são críticos de asneiras e mal feitos por parte dos eleitos e não cúmplices do butim.

  5. Direita já se articula para eleições de 2020 no Rio
    Projeto do ex-ministro Gustavo Bebianno de disputar a Prefeitura do Rio, no próximo ano, acirra corrida por votos de eleitores bolsonaristas

    Caio Sartori, O Estado de S.Paulo
    20 de julho de 2019 | 05h00

    RIO – Com o interesse manifestado pelo ex-ministro Gustavo Bebianno em concorrer à Prefeitura do Rio em 2020, a direita inicia a disputa pelo eleitorado conservador da cidade. Na eleição do ano passado, o presidente Jair Bolsonaro – que rompeu com Bebianno – teve 58% dos votos dos cariocas no primeiro turno e chegou a 68% no turno seguinte, quando enfrentou o petista Fernando Haddad.

    LEIA TAMBÉM
    >
    Deputados eleitos devem cumprir mandato, afirma RenovaBR

    Gustavo Bebianno
    Ex-ministro Gustavo Bebianno articula se filiar ao DEM ou ao PSDB Foto: Ernest Rodrigues/Estadão
    Bebianno poderá ter como concorrente um deputado estadual identificado com o bolsonarismo.

    O PSL, partido do presidente, já anunciou a pré-candidatura de Rodrigo Amorim, que na campanha passada quebrou uma placa com o nome da vereadora Marielle Franco, assassinada em março de 2018.

    Visto como um aliado de Bolsonaro, mas tentando marcar posição para uma eventual disputa à Presidência em 2022, o governador Wilson Witzel (PSC) ainda não anunciou oficialmente apoio a nenhum nome. No episódio da quebra da placa, Witzel estava ao lado de Amorim.

    Segundo o jornal O Dia, o deputado foi convidado pelo governador, nesta semana, para deixar o PSL e se filiar ao PSC, mas recusou. Há ainda o próprio prefeito Marcelo Crivella (PRB), que, apesar das críticas à sua gestão, poderia se lançar à reeleição contando com a máquina pública e com o eleitorado evangélico.

    “Bolsonaro teve uma votação extraordinária na cidade. Bebianno talvez esteja tentando pegar um pouco desse capital político, e também o Amorim. Mas não vejo neles ainda uma candidatura competitiva”, afirma o cientista político Ricardo Ismael, professor da PUC-Rio.

    Mais ao centro, existe a possibilidade de o ex-prefeito Eduardo Paes (DEM) tentar voltar ao cargo. Nas redes sociais, ele tem feito críticas constantes a Crivella, que vão de comentários sobre atos administrativos à frente da Prefeitura até a suposta falta de “carioquismo” do prefeito – que já falou, por exemplo, em cortar recursos públicos para a o carnaval na cidade.

    Analistas chamam a atenção, porém, para o fato de o nome de Paes ter sido citado por delatores na Lava Jato, por supostamente ter recebido recursos de caixa dois para campanhas anteriores. Ele nega as suspeitas. A operação levou para a prisão todos os cacique do MDB fluminense, seu antigo partido.

    “Com o Paes na disputa, eu não tenho espaço (no DEM)”, afirmou Bebianno ao Estado. Ele deve decidir até outubro se vai se filiar ao partido de Paes ou ao PSDB, agora comandado no Rio pelo empresário Paulo Marinho. Também rompido com o governo Bolsonaro, Marinho tem tentado fortalecer os tucanos na cidade. “Gosto tanto do DEM quanto do PSDB”, afirmou o ex-ministro. Ele prega a união de candidatos com visões parecidas a fim de evitar a repetição de um segundo turno entre Crivella e o deputado federal Marcelo Freixo (PSOL), que pode concentrar o apoio dos partidos de esquerda.

    Hoje vereador, o ex-prefeito Cesar Maia, presidente do DEM no Rio, não confirma suas preferências para o pleito. “Há dois novos elementos que exigem se ter paciência. Um é a proibição de coligação na eleição de vereadores. Outro é março, quando serão abertas as janelas para as mudanças de partidos. Aguardemos”, disse.

    Cesar Maia
    Para Cesar Maia, veto a coligações vai influir em candidaturas

    Esquerda sinaliza aliança em torno de Marcelo Freixo

    A esquerda sinaliza uma aliança em torno de Freixo, que tenta chegar à Prefeitura pela terceira vez. Deve ser a primeira vez, porém, que ele deve contar com PT e PCdoB na sua base aliada. Das legendas de esquerda, o PSOL é a única que nunca compôs a coalizão de Paes ou do ex-governador Sérgio Cabral (MDB), hoje preso em Bangu 8.

    A aliança, no entanto, não é a opção favorita de siglas que se consideram mais moderadas que o candidato do PSOL, como o PSB e o PDT. A visão desses partidos é de que Freixo de fato tem um recall maior e partiria de um porcentual mais alto de votos. Mas, num eventual segundo turno, seria novamente um candidato fácil de ser derrotado.

    Pelo PSB, quem poderia entrar na disputa é o deputado federal Alessandro Molon, líder da oposição na Câmara. Entre os trabalhistas, a deputada estadual Martha Rocha, delegada da Polícia Civil, é a opção. Para Ricardo Ismael, o político do PSOL precisaria ir além da aliança com PT e PCdoB, e apostar também no eleitorado de centro e os evangélicos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *