Questionado sobre Queiroz, Bolsonaro ameaça jornalista: ‘Vontade é encher tua boca com porrada’

Sem argumentos, Bolsonaro apela para a ameaça e a violência

Pedro Ladeira e Renato Onofre
Folha

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou neste domingo, dia 23, ter vontade de agredir um repórter do jornal O Globo após ser questionado sobre os depósitos feitos pelo ex-policial militar Fabrício Queiroz na conta da primeira-dama Michelle Bolsonaro.

Durante uma visita de cinco minutos a ambulantes da Catedral de Brasília, o jornalista questionou o presidente sobre os motivos para o ex-assessor do seu filho Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) e sua mulher terem repassado R$ 89 mil para a conta de Michele.

PELA TANGENTE – Inicialmente, o presidente rebateu perguntando sobre os supostos repasses mensais feitos pelo doleiro Dario Messer à família Marinho, proprietária da Rede Globo. Segundo a revista Veja, em depoimento no dia 24 de junho, Messer disse que realizou repasses de dólares em espécie aos Marinhos em várias ocasiões a partir dos anos 1990. A família nega qualquer irregularidade.

Após a insistência do repórter sobre os pagamentos à primeira-dama, Bolsonaro, sem olhar diretamente para o repórter, afirmou: “A vontade é encher tua boca com uma porrada, tá?”. A Folha presenciou o episódio. A imprensa questionou o presidente sobre a fala, mas Bolsonaro não respondeu. A quebra do sigilo bancário de Fabrício Queiroz revelou novos repasses à primeira-dama Michelle Bolsonaro.

De acordo com a revista Crusoé, os extratos colocam em dúvida a justificativa sobre empréstimos apresentada até aqui pelo presidente. Entre as transações de Queiroz, até o momento se sabia de repasses que somavam R$ 24 mil para a mulher do presidente. Desde então, Bolsonaro não havia se manifestado sobre o assunto.

DEZ CHEQUES – Em 2018, em entrevistas após a divulgação do caso Queiroz, Bolsonaro disse que o ex-assessor repassou a Michelle dez cheques de R$ 4.000 para quitar uma dívida de R$ 40 mil que tinha com ele (essa dívida não foi declarada no Imposto de Renda).

Também afirmou que os recursos foram para a conta de sua mulher porque ele “não tem tempo de sair”.A Folha confirmou as informações obtidas pela revista Crusoé e apurou que o repasse foi ainda maior. Queiroz depositou 21 cheques na conta de Michelle de 2011 a 2016, no total de R$ 72 mil. De outubro de 2011 a abril de 2013, o ex-assessor repassou R$ 36 mil à primeira-dama, em 12 cheques de R$ 3.000. Depois, de abril a dezembro de 2016, Queiroz depositou mais R$ 36 mil em nove cheques de R$ 4.000.

A reportagem também apurou que a mulher de Queiroz, Márcia Aguiar, repassou para Michelle R$ 17 mil de janeiro a junho de 2011. Foram cinco cheques de R$ 3.000 e um de R$ 2.000. Assim, no total, Queiroz e Márcia depositaram R$ 89 mil para primeira-dama de 2011 a 2016, em um total de 27 movimentações. Até o momento, o presidente não se manifestou sobre os depósitos à primeira-dama. Bolsonaro parou na Catedral após almoçar no apartamento de um amigo em Brasília.

PROVAS – Após trechos da delação de Messer serem revelados, em nota, a família Marinho negou as acusações do doleiro e ressaltou que ele não apresentou provas. “A respeito de notícias divulgadas sobre a delação de Dario Messer, vimos esclarecer que Roberto Irineu Marinho e João Roberto Marinho não têm nem nunca tiveram contas não declaradas às autoridades brasileiras no exterior. Da mesma maneira, nunca realizaram operações de câmbio não declaradas às autoridades brasileiras”, afirma a nota dos Marinho.Assinantes podem liberar 5 acessos por dia para conteúdos da Folha.

24 thoughts on “Questionado sobre Queiroz, Bolsonaro ameaça jornalista: ‘Vontade é encher tua boca com porrada’

  1. Quanta nobreza!
    Quanta riqueza de vocabulário!
    Quanta autoridade presidencial!
    Quanto porte de grande estadista!
    Logo hoje, véspera dos 66 anos em que um grande estadista imolou sua vida para entrar na História.

  2. Sei que o senhor Jair Messias não é um cavalheiro inglês vitoriano, mas chegar a esse nível é um absurdo. Isso é coisa de moleque. Prefiro não acreditar que tenha acontecido.

  3. WOOOOOOOOOOOOOOOW !!!

    Ah, Imbrochável!

    Imbrochável, Imbrochável !!

    Para com isso, homem! Esses arroubos não levam a nada!

    Demonstrar valentia e ameaçar gente mais fraca é fácil, né?

    Na única vez que Vossa Excelência, armado, teve a oportunidade de demostrar coragem e macheza diante de quem realmente merecia levar uma lição, sabemos o que aconteceu no Rio de Janeiro em 1995: Vossa Excelência ficou mansinho, mansinho e entregou tudo que o bandido queria….

    E no dia seguinte ainda choramingou:

    “mesmo armado me senti indefeso”

    “Bolsonaro ao ser assaltado em 95: “mesmo armado me senti indefeso” ”

    https://revistaforum.com.br/brasil/bolsonaro-ao-ser-assaltado-em-95-mesmo-armado-senti-indefeso/

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk xD

    • Como se vê, esse pseudo-voluntarismo que o Imbrochável tenta demonstrar não passa de teatrinho pra agradar e enganar sua claque de quadrúpedes….

      “Ainnnnnnnnnnnnnnnnnn, como meu Capitãozinho Imbrochável é MACHOOOOOOOOOO !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!”

      kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk xD

  4. O fato é que eu percebo, com muita clareza, que o problema dos que atacam Bolsonaro nunca teve a ver com o que ele fez ou faz. O problema é quem o Bolsonaro é. Porque, se as pessoas fossem honestas e fizessem as devidas comparações entre o governo atual e os que se passaram, constatariam que não há paralelos possíveis.
    Os inimigos de Bolsonaro se dividem em corruptos e invejosos. Aqueles querem ter o direito de roubar, como sempre, estes querem ter o direito de ser enganados, mas com refinamento, como sempre.
    É por isso que fingem exigir dele uma pureza que não exigiriam nem de seus próprios filhos, nem de seus padres e pastores. Por isso, em qualquer insinuação de erro (ainda que esses erro seja uma besteira qualquer), tratam-no como se fosse um ser desprezível. Tudo é desproporcional e falso.
    O pior é que, se Bolsonaro fosse substituído, não haveria a mesma exigência de pureza de qualquer outro que assumisse o poder. Os esquemas certamente voltariam e as pessoas fingiriam que sequer existem, ou, seriam bem mais complacentes com eles.
    O problema nunca foi o que Bolsonaro fez ou faz. O problema é o próprio Bolsonaro. Aqueles que o criticam, se não forem os que estão impedidos de se beneficiar dos esquemas tradicionais de corrupção, são os que não aceitam que alguém como ele: simplório, sincero, direto, meio tosco, sem refinamento, muito semelhante a qualquer homem comum, esteja no posto máximo desta nação.

    • Sem refinamento? O cara é Barraqueiro. A família toda é barraqueira. Se fosse a primeira vez, tudo bem. Liste todas as groirias q ele já aprontou. Não apenas c jornalistas mas com altas personalidades estrangeiras também.

    • Com simples cidadã brasileira, que votou no Bolsonaro, digo: o problema não é ser “simplório, sincero, direto, meio tosco, sem refinamento, muito semelhante a qualquer homem comum” (características que eu mesma tenho). O problema é a ameaça, o “coice”, a falta de um mínimo de educação, de não saber usar o silêncio, de não saber lidar com situações constrangedoras e não saber lidar com o dinheiro…principalmente. .
      Por quê o picareta depositou esse dinheiro na conta da primeira dama?

  5. Na mais recente entrevista concedida pelo Lula, o malfadado ex-presidente teria admitido a hipótese de, pessoalmente, apoiar Jair Bolsonaro, rumo à reeleição.
    Para nós que somos extremamente vingativos, atrevemo-nos a sondar o que se passa pela área de Hórus (deus da vigança entre os egípcios) do cérebro de Lula.
    Durante o governo do líder petista, grande parte: da Mídia, do Ministério Público, Judiciário e; individualmente, Sérgio Moro, fizeram da vida de Luiz Inácio um inferno. E são justamente sobre esses segmentos e indivíduo, que Bolsonaro vem destilando o seu furor, na tentativa de enfraquecê-los e desmoralizá-los. Senta a pua, Naro!

  6. Cercado de seguranças é fácil bancar o machão Bozo.

    Eu quero ver você falar isso sem se esconder atrás de seguranças e do cargo de presidente…

  7. Enquanto o enrustido e atual presidente não sair do armário, sua necessidade doentia de tentar provar uma macheza (inexistente) será cada vez maior e frequente.

    Como várias pessoas já abordaram questões éticas e legais, digo da leitura corporal de quando o boçal ameaça o jornalista. Mais especificamente das mãos. Sua mão esquerda se eleva desmedidamente a chamar atenção. Sua mão direita, a da agressão verbalizada, demonstra que é tão bom para “socar” quanto o é nas “flexões de pescoço”: com o pulso no ângulo da ameaça, caso a concretizasse, o mais provável é que fraturaria mão/pulso.
    (Isso me lembra fato antigo, quando teve sua moto e sua pistola roubadas num assalto no Rio de Janeiro. Ali teve oportunidade de dar vazão à sua alardeada macheza. Não o fez, claro. Até porquê, sua “macheza” é fruto tão somente da sua mente patologicamente mentirosa.)
    .
    PS. Link para uma reportagem sobre o caso do assalto ao boçal boquirroto:

    Reportagem de Bruno Abbud, Época, Globo, de 17/08/2018

    https://epoca.globo.com/homem-que-negociou-devolucao-de-moto-arma-roubadas-de-bolsonaro-em-1995-conta-detalhes-ineditos-22984179

    Testemunha conta que entregou os pertences ao deputado após negociar com um traficante.

  8. O que o estúpido poderoso de plantão fez é intolerável, indigno e indesculpável. Robôs podem relinchar a vontade. Jamais o bom senso tolerará reações grosseiras de um homem público que, pelo cargo que ocupa, deve dar bons exemplos aos cidadãos. Também colossal imbecilidade de capachos alegando que Bolsonaro ‘é assim, não vai mudar”. Tenho pavor de puxa-sacos. Especialmente dos engravatados.

Deixe um comentário para vicente limongi netto Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *