Bolsonaro confirma que Brasil transferirá embaixada de Tel Aviv para Jerusalém

Resultado de imagem para israel hayom hebrew

A notícia foi dada em entrevista ao jornal “Israel Hayom”

Por G1

O recém-eleito presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, confirmou ao jornal “Israel Hayom” que transferirá a embaixada de Tel Aviv para Jerusalém. Ele também adotou uma postura dura com a Palestina, dizendo que não a reconhece como um país. Bolsonaro afirmou que sua ideia de mudar o endereço da embaixada brasileira em Israel – seguindo os passos dos Estados Unidos e da Guatemala – não era só promessa de campanha.

“Israel é um Estado soberano. Se os senhores decidirem qual é a sua capital, nós os seguiremos. Quando me perguntaram durante a campanha se transferiria a embaixada se fosse eleito presidente, respondi sim. Vocês decidem sobre a capital de Israel, não outros povos”, declarou em entrevista telefônica concedida ao jornal conservador.

POLÊMICA – A transferência da embaixada, que demonstra o reconhecimento de Jerusalém como capital de Israel, é uma medida polêmica. Os palestinos reivindicam Jerusalém Oriental como capital de seu futuro Estado. A comunidade internacional não reconhece a reivindicação israelense de Jerusalém como sua capital indivisível. Entenda.

Questionado pelo periódico israelense se pretende mudar o status da Embaixada da Palestina em Brasília, ele respondeu: “Quanto à embaixada da Palestina, ela foi construída muito perto do palácio presidencial. Nenhuma embaixada pode estar tão perto do palácio presidencial, então pretendemos mudar. Não há outro caminho, na minha opinião. Fora isso, Palestina primeiro precisa ser um estado para ter o direito de uma embaixada”.

TOM DURO – Não foi a primeira vez que Bolsonaro adotou um tom duro com os palestinos. Ainda durante a campanha, ele declarou ao jornal “O Globo”: “Essa embaixada palestina sairia dali. A Palestina é país? Nada contra o povo palestino. Quando estive em Israel, conversei com muitos palestinos, porque trabalham, ganham quatro vezes mais do lado de cá. Palestina não é um país”.

O Brasil reconhece o Estado Palestino como país desde dezembro de 2010, após carta enviada pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva para o presidente da Autoridade Nacional Palestina, Mahmoud Abbas.

A ONU também reconheceu a Palestina como um “Estado observador” após aprovação em Assembleia Geral em 2012, cuja capital seria em Jerusalém Oriental. Os palestinos querem se estabelecer como um Estado soberano que ocupe a Cisjordânia, a Faixa de Gaza e Jerusalém Oriental. Os territórios foram ocupados por Israel após a Guerra dos Seis Dias, em 1967.

APOIO NA ONU

No que diz respeito ao apoio de seu futuro governo a Israel em fóruns internacionais como as Nações Unidas, o político brasileiro afirmou que o país “pode contar com o nosso voto na ONU”.

“Sei que o voto é muitas vezes simbólico, mas ajuda a definir a postura que um país deseja adotar”, afirmou.

Após a recente vitória eleitoral, o premiê israelense, Benjamin Netanyahu, felicitou Bolsonaro por telefone na segunda-feira (29) e o convidou a visitar Israel. “Acredito que sua eleição levará a uma grande amizade entre os dois povos e ao fortalecimento dos laços entre o Brasil e Israel”, disse o premiê israelense a Bolsonaro, segundo a Efe.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
É preciso segurar o Bolsonaro, para não fazer bobagens. No caso de Israel e Palestina, a melhor posição para o Brasil é a neutralidade. Vamos voltar ao assunto. (C.N.)

27 thoughts on “Bolsonaro confirma que Brasil transferirá embaixada de Tel Aviv para Jerusalém

  1. A decisão do Lula em reconhecer a Palestina como Estado foi devido á sua tendència de aglutinar apoio de terroristas. O ditador libanês Muammar Gadaffi, executado pelo próprio povo, foi até chamado de irmão pelo nosso presidente ladrão.

  2. Um Nazista que quer mudar a embaixada para Israel ,um facista que quer diminuir o estado , um corrupto que chama Moro para ministro, um misógino que elege em votação histórica duas mulheres ( Janaína e Joice) , um racista que tem um sogro negro e impulsiona a maior votação do RJ ( Dep. Hélio Negão), um misógino que é casado e pergunta a mulher ,no discurso de posse, se ela quer falar alguma coisa,
    um ditador que está delegando poderes enfim..E outras coisitas mais…
    Pois é, as máscaras vão caindo, para desespero dos pessimistas, dos petistas e dos bandidos!
    Vem mais por aí!

  3. “NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG – É preciso segurar o Bolsonaro, para não fazer bobagens. No caso de Israel e Palestina, a melhor posição para o Brasil é a neutralidade. ”

    -PERFEITO! “Em briga de Jacú, nhambu não mete o bico!”

  4. UMA EXCELENTE PARCERIA!

    Na visita que fez ao presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), o embaixador israelense Yossi Shelley apresentou um projeto para solidificar parceria entre os dois países, segundo informações de O Globo.

    O diplomata de Israel anunciou a intenção do governo de seu país de bancar a instalação, na região Nordeste, de uma usina piloto de dessalinização de água do mar.

    Bolsonaro já havia falado sobre esta hipótese durante a sua campanha presidencial

  5. A melhor posição neste caso não é neutralidade, mas sim estabelecer uma sólida parceria com a única nação democrática no Oriente Médio, visando benefícios mútuos tendo em vista a posição de Israel como referência top de linha em tecnologia e sustentabilidade no cenário mundial, além da liderança israelense em defesa militar.

    • Exato, RM

      Cerca de 80% da água potável consumida pela população israelense é proveniente do mar.

      A busca por segurança hídrica levou o governo de Israel, em 2011, investir US$ 500 milhões para erguer a usina Soreq e aumentar a quantidade de água doce para abastecimento público no país, captando água do Mar Mediterrâneo.

      Localizada a 15 quilômetros ao sul de Tel Aviv, Sorek produz 624.000 m³ por dia de água doce, o que representa 7,23 m³/s, suficientes para abastecer uma cidade com população de mais de 2 milhões de habitantes.

      A usina foi erguida pela IDE Technologies, companhia israelense. E a tecnologia utilizada para dessalinizar a água é a de osmose reversa.

      Com essa tecnologia, podemos libertar o povo nordestino do Cativeiro, do voto de cabresto. Será o fim da Indústria da Seca. Esse Estado ainda terá a relevância que merece!

  6. Carlos Lacerda conta em seu “Depoimento”:

    “A minha tese era da abstenção ( …) Eu achava que o Brasil deveria se poupar,porque não tendo ou não podendo ser suspeitado de intuitos imperialistas,poderia futuramente até ser usado como um dos intermediários possíveis entre as partes litigantes,ao passo que, tomando partido, teria que sustentar os eu voto pelo resto da vida(…)”

    Lacerda conta que o Min. das Relações Exteriores, Raul Fernandes chamou-o ao Itamaraty e mostrou-lhe as instruções dadas ao embaixador do Brasil na ONU, Osvaldo Aranha: “Na questão da Palestina, deveis abster-vos de votar”.

    Lacerda continua:
    “Mas o fato é que o Osvaldo, envolvido pelo New York Times, envolvido pelo clima muito pró-judaico de Nova York, envolvido enfim por uma série de coisas,tornou-se assim,um dos heróis da nação israelita,porque mudou o voto do Brasil.”

    Carlos Lacerda, “Depoimento”,pág.97, 3a.edição.

    Os artigos do David Nasser em “Manchete” (revista que apoiava israel, sem qualquer disfarce) também deveriam ser buscados por quem gosta de dar palpite no assunto, colhendo argumentos apenas na árvore que se inclina para Israel.

    Acusarão, os apoiadores de Israel, Carlos Lacerda de esquerdista, de um propagandista soviético, de um crítico vulgar dos Estados Unidos que tomasse a posição de distanciamento de Israel por mero cacoete ideológico? Ou David Nasser de esquerdista de cervejada de diretório acadêmico?

    O Brasil deveria se manter afastado deste problema do Oriente Médio, tendo já sua coleção particular de problemas.

    Bolsonaro terá muitas guerras internas a enfrentar; buscar envolvimento neste conflito trará qual vantagem ao Brasil e ao projeto que Bolsonaro encarna? Muitos dos que votaram nele não se interessam por este assunto. E deveriam?

  7. Se eu deixar meu câmbio automático no N meu carro não anda.

    Diplomacia de neutralidade leva a irrelevância que sempre caracterizou o Brasil perante o mundo.

    O Brasil tem que ter lado e assumir seu papel de destaque internacional ao se unir aos melhores.

    Viva Israel!

    • A Bíblia diz: ” A verdade é esta: a teimosia do povo de Israel não durará para sempre, mas somente até que o número completo de não judeus venha para Deus. É assim que todo o povo de Israel será salvo. Como dizem as Escrituras Sagradas:
      “O Redentor virá de Sião
      e tirará toda a maldade
      dos descendentes de Jacó.
      Eu, o Senhor, farei esta aliança
      com eles, quando tirar os seus pecados.”
      Os judeus rejeitaram o evangelho e por isso são inimigos de Deus, para o bem de vocês, os não judeus. Mas, pela escolha de Deus, eles são amigos dele, por causa dos patriarcas. Porque Deus não muda de ideia a respeito de quem ele escolhe e abençoa.” (Romanos 11:25-29)

      • Um jornalista americano fez uma breve visita para Israel e descobriu que evangélicos apoiam e financiam o estado de Israel porque acreditam numa profecia-dispensação que prega que Israel precisa controlar todo o território da Palestina histórica para acionar o Armagedom-Apocalipse-Fim do Mundo-Arrebatamento, onde Jesus voltará. Os judeus morrerão ou serão convertidos. Os únicos que se salvarão serão aqueles cristãos que forem “nascidos de novo” – ou seja, evangélicos. Os cristãos da palestina, que fazem parte da população nativa daquela terra, também estão sendo lentamente cerceados e expulsos de suas terras pelo estado israelense, mas os evangélicos recomendam que eles aceitem tudo e se resignem a se preparar para o Fim do Mundo. Os evangélicos são a maior base de apoio político de Israel nos Estados Unidos e no mundo, assim como de forte apoio financeiro.

        https://www.youtube.com/watch?v=KCg6aJGyeoA

  8. Um jornalista americano fez uma breve visita para Israel e descobriu que evangélicos apoiam e financiam o estado de Israel porque acreditam numa profecia-dispensação que prega que Israel precisa controlar todo o território da Palestina histórica para acionar o Armagedom-Apocalipse-Fim do Mundo-Arrebatamento, onde Jesus voltará. Os judeus morrerão ou serão convertidos. Os únicos que se salvarão serão aqueles cristãos que forem “nascidos de novo” – ou seja, evangélicos. Os cristãos da palestina, que fazem parte da população nativa daquela terra, também estão sendo lentamente cerceados e expulsos de suas terras pelo estado israelense, mas os evangélicos recomendam que eles aceitem tudo e se resignem a se preparar para o Fim do Mundo. Os evangélicos são a maior base de apoio político de Israel nos Estados Unidos e no mundo, assim como de forte apoio financeiro.

    https://www.youtube.com/watch?v=KCg6aJGyeoA

  9. Caríssimo Carlos Newton. Neutralidade?
    Já passou da hora. Esse discurso, se discurso, de neutralidade, é justamente o viés pelo qual um estado que não é Estado, algo no mundo que não é nem matéria e nem gasoso, tem usado para ser ‘reconhecido’ entre as nações.

    A Palestina vota, vota como membro da ONU, como o voto do Brasil? Ou seu status é de ‘non-member observer state’ apenas, sem direito a voto?

    Votar em uma reunião da UNESCO é muito diferente, e não se igualam.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *