Bolsonaro conseguirá resistir aos lobbies, que já começaram a assediá-lo?

Resultado de imagem para lobby charges

Charge do Samuca (Arquivo Google)

Raquel Landim
Folha

Se as pesquisas de intenções de voto se confirmarem, Jair Bolsonaro (PSL) será eleito presidente do Brasil no próximo domingo (28). Ele chegará a cargo máximo do país com uma agenda antiga, conservadora e até perigosa na educação, na segurança, no meio ambiente, etc., mas, de certa forma, revolucionária na economia.

Digo revolucionária, porque é algo nunca testado com vigor por essas bandas. Recém-convertido ao liberalismo, Bolsonaro promete — sem dar detalhes de como fará isso — abrir a economia, reduzir impostos, privatizar estatais, ajustar as contas públicas.

E OS LOBBIES? – Supondo que ele esteja disposto a cumprir os ensinamentos de seu guru, o economista Paulo Guedes, a tarefa não será fácil. Bastou a imprensa sinalizar quais seriam as medidas do futuro presidente para que os lobbies se movimentassem.

Na segunda-feira (22), o candidato se reuniu com um grupo de empresários no Rio de Janeiro. Estiveram presentes representantes de alguns dos setores mais protecionistas do país: indústria química, máquinas e equipamentos, automotivo, aço, têxteis, entre outros.

Na reunião marcada pelo deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS), que Bolsonaro já anunciou como seu futuro ministro da Casa Civil, os industriais reclamaram do custo Brasil, da falta de competitividade da indústria brasileira, e dos riscos de uma abertura da economia.

VOLTOU ATRÁS  – Conforme o relato de pessoas que participaram do encontro, Bolsonaro ouviu respeitosamente e até com humildade, mas não disse quase nada além de agradecer. Falou apenas que uma nova reunião deve ser marcada após a eleição.  Os empresários saíram de lá sem ter a menor ideia sobre o pensa o candidato.

Contudo, dois dias depois, receberam um aceno: Bolsonaro anunciou em transmissão ao vivo pelo Facebook que havia desistido de unificar os ministérios da Fazenda e da Indústria. Atendia assim uma demanda dos empresários, que temiam perder seu “advogado” dentro do governo, papel tradicionalmente exercido pelo ministro da Indústria.

Não vejo demérito algum em um presidente voltar atrás e rever uma posição. É muito pior aqueles que são tão convictos que não conseguem reconhecer um erro e mudar o rumo —Dilma Rousseff é o maior exemplo disso. O lobby empresarial, no entanto, é apenas um dos que Bolsonaro terá que enfrentar para implementar sua agenda liberal.

OUTRAS PRESSÕES – Ainda virão as pressões dos servidores públicos e dos militares, que parecem incapazes de compreender a necessidade de uma profunda reforma da Previdência, dos congressistas e dos juízes, que acham justo receber uma imensa quantidade de penduricalhos pagos com dinheiro público etc.

Até agora, Bolsonaro militou ao lado desse pessoal, defendendo seus interesses e privilégios, conforme demonstra seu histórico de votações no Congresso. Uma vez eleito, ele terá força suficiente para enfrentá-los, nem que seja para implementar reformas tímidas, mas que comecem a tirar o país do buraco?

13 thoughts on “Bolsonaro conseguirá resistir aos lobbies, que já começaram a assediá-lo?

  1. JOSÉ MAURÍCIO DE BARCELLOS
    Momentos finais
    O Brasil vive um momento singular e muito especial de sua trajetória. Este enorme País continente, agora, vem de ser chamado para se firmar em definitivo como líder inconteste da América do Sul, dando um exemplo de amor à Pátria, de democracia e de liberdade para a comunidade dos Países livres e soberanos.
    Com o último sufrágio destas próximas eleições gerais, o Brasil dirá para todas as sociedades dos quatro cantos da Terra que, depois de ter pago um preço altíssimo pelo maior erro de sua história que cometeu ao violar um princípio basilar das civilizações, escolhendo para liderá-la o mais sem origem, o mais desclassificado, inculto e sem valor de seus cidadãos, está dando a volta por cima para, mercê exclusivamente da vontade e da força de sua gente honrada, se levantar e se redimir voltando às origens que o levou a proclamar sua Independência em 1822. É isto que o povo está fazendo. Primeiro colocando o verme que tanto o enganou atrás das grades até apodrecer e, agora, varrendo da vida pública seus asseclas e comparsas.
    Fomos humilhados e desonrados perante os Países que, embora mais desenvolvidos, sempre – sempre mesmo – respeitaram e cobiçaram este gigante por sua própria natureza. Fomos roubados e espoliados pela esquerda covarde e delinquente e pela direita voraz e usurpadora, todas igualmente abomináveis. Fomos enganados e iludidos pelos traidores desta Pátria que, homiziados na máquina pública, se transformaram nos algozes da indigência deste povo em prol de seu código de benesses e regalias. Fomos surrupiados pelas sanguessugas do suor de nossa gente trabalhadora, que nunca permitiram sequer que pudesse ter uma chance de uma vida minimamente digna.
    Como é consabido, sofremos muito nestes últimos 30 anos de governos civis, nas mãos de uma trupe, pérfida, agnóstica e laicista. Da família de rapineiros do Maranhão até a corja mais repulsiva, petulante e ousada de ladrões do erário e da esperança de nossa gente humilde sofremos como poucos povos padeceram.
    Inobstante o mau ainda não foi vencido e, mesmo depois de 28 de outubro próximo ainda será dura a batalha para aniquilar ou pelo menos aprisioná-lo em seus domínios, já que erradicá-lo é humanamente impossível. Percebam como os vermelhos ainda se debatem, mesmo sabendo que sua hora está chegando.
    Todo dia que abro os jornais, mormente um lixo de São Paulo a serviço do PT e um jornalão do “Conglomerado Goebells da Comunicação” – habitué dos cofres públicos – fico indignado com a parcialidade e o facciosismo daqueles veículos de informação. Acho que este último antro de deformadores de opinião “maluqueceu” de vez.
    Realmente. Através das redes sociais, tomei conhecimento de um áudio anônimo, que teria sido produzido por um próprio empregado do referido veículo de comunicação, destinado a alertar o povão para o desespero que tomou conta da Alta Direção da dita empresa no sentido de: 1) determinar a todos seus milhares de empregados que descarreguem, nesta última semana, tudo quanto exista de notícia ruim para desconstruir o candidato Bolsonaro, tentando colar no mesmo as pechas mais infames que possam inventar; 2) veicular em suas repetidoras por todo Brasil a propaganda do candidato líder nas pesquisas muitas vezes menos que a do “ladrãozinho de Lula”, envolvido na Lava Jato; 3) buscar desesperadamente um fato político para tentar denegrir o candidato Bolsonaro nos últimas horas que antecedem o pleito. “È vero”. Qualquer cidadão que tiver um celular na mão e acesso ao território livre da Rede Mundial de Computadores poderá ouvir o áudio e certamente ficará estarrecido, porque o que ali se fala hoje resta publico e notório, ou seja, não depende de prova.
    A campanha do “Lacaio de Lula” criou um factoide recente. Seus compinchas da imprensa profissional saíram correndo para escandalizá-lo. Estão falando, com outras palavras, que o Deputado, filho do Bolsonaro, disse que pode fechar o STF num piscar de olhos. Conferi a origem do insignificante e inexpressivo incidente, transformado numa desprezível mentira pelo Editorial do jornalão do Rio de Janeiro. Constatei que tudo quanto o rapaz disse foi muito diferente do que falaram um ex-deputadinho do PT – que nem o respeito tem de seus colegas advogados – e também o bandidaço Zé Dirceu e o próprio “Ogro Encarcerado”, os quais aí no passado pregaram abertamente o fechamento do STF como instituição, sugerindo que perdesse seus poderes e fosse trocado de nome. O jovem Eduardo Bolsonaro – que a rigor não cometeu crime algum porque não divulgou nada e sim a petralhada covarde – apenas disse que se, porventura o Supremo para onde foram nomeados, por presidentes corruptos, abomináveis Mandarins vendidos à esquerda bandida e à direita ladra, viesse cassar arbitrariamente o candidato líder nas intenções de voto ou a encobrir uma propagada fraude nas eleições aí, nestes casos, o povo iria para as ruas e exigiria das Forças Armadas o afastamento dos velhacos que houvessem desonrado a Suprema Corte. Confesso aos caros leitores que eu próprio um dia cogitei desta hipótese e não me arrependo.
    Antes disso, outro factoide foi engendrado, objetivando criar uma situação de fato que permitisse impugnar a candidatura de Bolsonaro no Tribunal Superior Eleitoral. Não deu certo. Já se ferraram todos. Para se ter ideia do quanto tal celeuma artificial é idiota, basta que se leia o Editorial “Desespero” recém publicado pelo Estado de São Paulo, em 19 deste mês o qual, honrando o jornalismo Nacional com independência e coragem, põe a nu o procedimento abjeto dos petistas neste episódio. Diz com todas as letras que o PT, em pânico, quer taxar de fraudulento o maciço apoio do povo ao Bolsonaro, tudo distorcendo como “fez na tribuna do Senado a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, que lançou o seu J’accuse de fancaria”.
    Precisamos concluir a obra e dar início a nossa reabilitação como Nação livre, democrática e cristã, perante o Mundo que nos observa. Nem pensar em esmorecer nesta reta final. Cada brasileiro do bem, cada cidadão honrado e cada homem de família tem “aqui e agora” – como diria o saudoso repórter popular Gil Gomes – o dever de arregimentar mais um voto para esta causa e depois, com autoridade, lhe cumpre exigir a justa e correta punição para os traidores da Pátria.
    Ninguém quer dizimar aquela gente do mal ou exilá-la como está proclamando o cínico finório FHC com sua sórdida e covarde campanha para, de tabela, tentar salvar os comparsas tucanos, que com ele contribuíram para o caos moral, social e econômico em que nos encontramos. Muito pelo contrário. A lógica é de uma simplicidade franciscana, mas esses patifes não enxergam porque são socialistas ou comunistas safados ou meros agnósticos que pretendem destruir a família cristã e a nossa cultura tradicional, para pôr no lugar a cultura e a família modelo do partidão.
    Encaminho o pensamento. Um bom e consciente pai de família não premia o filho delinquente. Embora padecendo muito, tem que castigá-lo, depois resgatá-lo e dele cuidar para que não volte a delinquir, colocando nesta divina missão toda sua sabedoria e caridade. É desta forma que se procede em família e é desta maneira que a sociedade deve corrigir seu rumo e prumo. Avaliem os brasileiros o orgulho que teremos ao exibir para o Mundo nosso exemplo de superação e de vontade.
    Já pagamos muito caro por tudo que essa gente ruim fez a esta Terra de Santa Cruz. E não nos esqueçamos, ainda falta muito para que os ladrões presos e ou ainda os que estão em liberdade devolvam o que roubaram para si e para entregar aos sanguinários ditadores da América Latina e de África. Vamos às urnas mais esta vez. Nada pode desviar o povo de um firme propósito de punir quem o desonrou. Vamos às urnas. Em cada cidadão, em cada coração, um só pensamento que se vai repetindo baixinho até o encontro com a urna eletrônica: O Brasil nunca mais será dos vermelhos, somos a Nação Verde e Amarela que o bom Deus abençoou enchendo de riquezas naturais e entregou a um povo encantador.
    Jose Mauricio de Barcellos, ex Consultor Jurídico da CPRM-MME é advogado – email: bppconsultores@uol.com.br.

  2. Já que estamos no fim da campanha, vou aproveitar para fazer um desabafo em relação a uma parcela das pessoas que aqui fazem comentários. Minha esposa DANIELA muitas vezes postou comentários aqui, e muitas vezes os esquerdopatas aqui, que vivem acusando Bolsonaro de machista, foram eles os machistas, pois não a respeitaram em diversos comentários. Por isso parou de postar. Eu já não fui atacado nem de perto da mesma maneira que ela, nunca aliás. Isso vem a demonstrar quem é machista e quem não é. Por ser mulher, foi tratada diferentemente por alguns. O discurso dessas pessoas tidas por intelectuais, merece apenas o lixo. Passem bem.

  3. Como assim “o lula que era a o lula?”
    Alguém ainda acredita que alguma vez na vida esse pulha teve qualquer escrúpulo, que nao tenha sido desde sempre um bandido desqualificado e chefe de quadrilha?
    Tenha vergonha na cara, por favor!!!

    • Pois é, esses caras falam do Lula sem pedir desculpas – só o nome dele é palavrão. Foi o cidadão mais escroto que pariram no Brasil: o cara é grosso, rasteiro, ignorante, cachaceiro, ladrão e chefe de quadrilha. Chega, ou quer mais?
      E tem mais: é mais narcisista que o Deus Narcissus – só que o Deus Narcissus era apaixonado por sua beleza. Que beleza tem um cabeça chata, com olheira de abano e 9 dedos?

      • Lula foi eleito com o apoio do lobby do sarney que passou a apoiá-lo oficialmente em agosto, dois meses antes da eleição. Deixou a vice do Serra, que era do seu partido PMDB, abandonada no altar. Lula nunca resistiu a nada, sempre teve um lobby pra chamar de seu, desde Golbery na época do sindicato.

  4. Flavio ., Em nome de pessoas decentes na TI , sinto muito o que ocorreu com sua esposa, todos nos temos o direito de ter suas opinoes mesmo que elas sejam diferentes, erradas, ou certas ., o respeito e necessario independente de qualquer filiacao partidaria, quero pedir desculpas por certas pessoas que infelizmente escrevem nessa tribuna para ofender as outras pessoas como sua esposa , nao representam a nossa grande maioria de homens e mulheres que postam comentarios .

  5. Esperneia e chupa, foice de SP, imprensa vermelha, o choro é livre, não manipulam mais ninguém, credibilidade zero, somente está semana, dispensei 2 pesquisas do datafoice…”não respondo pesquisa de esquerdopata e globalista, redação lotada de viado, sapata, comuna e maconheiro”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *