Bolsonaro decide nomear outro nome para comandar Ministério da Educação

Decotelli em entrevista após a conversa com o presidente Bolsonaro

Carlos Alberto Decotelli nem chegou a assumir o Ministério

José Carlos Werneck

O presidente da República tem consigo mesmo e com o País a honrosa incumbência de nomear um novo ministro da Educação, para dirimir quaisquer dúvidas que pairem sobre o nome que lhe foi indicado. Será uma excelente oportunidade para escolher um cidadão com todas as qualificações necessárias para ocupar um dos cargos mais importantes do Gabinete.

Assim, o presidente poderá optar por uma pessoa que reúna todos os predicados exigidos para integrar este importante cargo. O Ministério da Educação já abrigou nomes da envergadura de Gustavo Capanema, Roberto Lyra, Francisco Campos, Pedro Calmon, Abgar Renault, isto só para citar alguns dos inúmeros titulares, que além de vasta cultura, inteligência e erudição, reuniam independência política, coragem pessoal, desapego a vaidades, além da tão recomendada e necessária honestidade intelectual.

MINISTROS FRACOS – O próximo indicado deve reunir todas essas qualidades, para superar quaisquer desgastes, que tão importante Pasta possa ter sofrido, nos últimos tempos.

Num momento em que o Governo, com pouquíssimas e honrosas exceções está carente de grandes nomes e abriga em seus quadros representantes medíocres e personagens, no mínimo, exóticas, cabe ao mais alto dirigente da Nação indicar um nome que realmente esteja à altura do cargo.

O Ministério da Educação, ao longo de sua história, tem dado à comunidade acadêmica, através de seus ocupantes, exemplos pujantes de respeito e gosto pela nobre missão. Para manter este padrão de excelência, precisa sempre abrigar em seus quadros, o melhor dos melhores, para que o nível de qualidade seja o mais elevado e atenda às altas atribuições que o cargo requer.

Tudo isso o presidente Jair Bolsonaro deverá levar em conta, porque acredito que nos próximos dias irá rever essa equivocada indicação e escolher outro nome para ser o titular da Educação.

16 thoughts on “Bolsonaro decide nomear outro nome para comandar Ministério da Educação

  1. Sr. Newton, veja que interessante esta matéria, direto do Tucanistão.

    Do jeitinho que os comunistas adoram,”proibir, multar, arrebentar, prender, e depois se não estiver com a causa,vai para o famoso paredão do Castro.
    OBS. Quero ver o Desgovernador Doriana Castro multar todos os Zédroguinhas da Cracolândia……

    https://g1.globo.com/sp/sao-paulo/noticia/2020/06/29/governo-de-sp-vai-multar-em-r-500-pessoas-sem-mascaras-em-areas-publicas-a-partir-de-1o-de-julho.ghtml

  2. Fico triste com essa situação do “quase” ministro da educação. Estava até mesmo com uma simpatia grande pelo Sr. Decotelli, uma figura realmente simpática e dando mostras de ser um pacificador, um homem de dialogo, qualidade que falta na maioria das pessoas que estão no governo. Infelizmente a situação do Decotelli como ministro que nem chegou a tomar posse é praticamente insustentável.
    Na verdade, estamos mesmo presos, como é natural, é quase como a lei da gravidade, diria, estamos realmente presos a esses assuntos provincianos, apesar de muito importantes.
    Mas muitas coisas estão acontecendo pelo mundo. Me chama demais a atenção o que está acontecendo principalmente nos EUA. Dizem que Seattle é uma cidade que praticamente rompeu com o establishment americano, algo como a decretação da comuna de Seattle. Trump não sabe o que fazer. A fonte dessas informações é o jornalista Pepe Escobar. Segundo ele a civilização anglo americana caminha para a 4ª guerra civil. A 1ª foi no século XVII com a revolução inglesa. 2ª a revolução derivada da independencia americana no século XVIII. A 3ª, grande guerra civil do século XIX, basicamente guerra entre escravagistas e capitalistas não escravagistas do norte. E essa de agora, aparentemente entre o pessoal do “black lives matters” e os americanos da “deep America” os “red necks” em sua grande maioria eleitores do Trump. O assunto é por demais extenso para ser tratado em poucas linhas, mas acho que valeria a pena ser lido, discutido e tratado em artigos e estudos.
    Detalhe principal, pouco está sendo dito e estudado sobre esse assunto, principalmente na grande imprensa. Por Quê?

  3. Se o Carlos Denotelli foi indicado pelos militares, imagine como seria um governo genuinamente militar – porque o atual é apenas um “ensaio técnico”.
    – e o pessoal pedindo nas ruas a volta da Ditadura…

  4. Tanta gente boa… Marcola tá preso, mas se levarmos em conta os méritos de cada um, acho que ficaria bem cotado até numa lista quádrupla para presidente (Lula, Dilma, Bolsonaro, Marcola). Pick one!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *