Bolsonaro diz achou “pouco ainda” o crescimento de 90% na venda de armas em 2020: “Tem que aumentar mais”

Charge do Paixão (Gazeta do Povo)

Gustavo Maia
O Globo

Entusiasta do armamento da população brasileira, o presidente Jair Bolsonaro disse nesta segunda-feira que achou “pouco ainda” o crescimento recorde de 90% de novos registros de armas de fogo em 2020, em comparação com o ano anterior — o primeiro do seu governo.

Ele também afirmou que deve editar dois ou três novos decretos favoráveis aos Colecionadores, Atiradores e Caçadores (CACs) ainda esta semana. E falou da expectativa de pautar um projeto enviado em 2019 à Câmara dos Deputados que facilita o porte de armas no país, após a eleição para a presidência da Casa.

DECRETO – As declarações ocorreram em conversa com apoiadores na chegada ao Palácio da Alvorada, no fim da tarde. Um homem perguntou se o governo faria algum decreto “dos CACs, alguma coisa assim” e Bolsonaro confirmou. “Vai. Tem três decretos pra sair. Eu acho que sai essa semana. Dois ou três… Eu não posso ir além da lei. Vai facilitar mais coisa pra vocês aí “, respondeu o presidente.

Em seguida, ele comentou o aumento na venda de armas. Dados da Polícia Federal mostram que o país fechou o ano passado com 179.771 novas armas registradas. Trata-se do maior patamar desde 2009, início da série histórica da PF. Em 2019, esse número foi 94.064, que já foi 84% maior que a do ano anterior.

“Nós batemos recorde ano passado, em relação a 2019, mais 90% em venda de armas. Tá pouco ainda, tem que aumentar mais. Porque o cidadão muito tempo foi desarmado”, afirmou.

EXPECTATIVA – Quando o apoiador contou que é caminhoneiro e transporta cargas como cervejas e equipamentos eletrônicos, Bolsonaro disse que, se dependesse apenas da sua decisão, ele teria porte de arma “há muito tempo”. E então falou da expectativa para a votação do seu projeto com um novo chefe na Câmara dos Deputados.

“Nós temos um projeto lá na Câmara. Mudando a mesa agora em fevereiro, de acordo com o novo presidente, porque ele que é dono da pauta, vamos ver se ele bota em votação. E daí vamos ver o que acontece. Vamos respeitar a opinião da maioria dos parlamentares”, declarou Bolsonaro.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
O que esperar de um mandatário que ignora a Educação, pensa (?) que pesquisadores e universitários são dispensáveis para o crescimento do país, que dá as costas para mais de 200 mil pessoas mortas em virtude de uma pandemia, que receita cloroquina até para avestruz em sinal de deboche às famílias que perderam seus entes, e que a cada dia se mostra incapaz? Logo, ver o ainda presidente clamar por mais armas, não espanta. Afinal, o que esperar de um alucinado que há muito tempo deveria estar medicado em uma clínica especializada, com uma camisa de força? (Marcelo Copelli)

9 thoughts on “Bolsonaro diz achou “pouco ainda” o crescimento de 90% na venda de armas em 2020: “Tem que aumentar mais”

  1. Pena que um defensor do direito da posse legítima de armas seja este imbecil. Ainda não tenho arma e nunca pensei em ter uma, mas como as coisas estão indo, de mal a pior vou tratar de exercer o meu direito constitucional de ter uma.A violência não até agora não está vinculada à posse ou não de armas, mas ao clima de impunidade que reina neste País, onde o criminoso é tratado como vítima e a vítima quase que acusada pela própria morte. Temos até ONGs quase que dedicadas à defesa da gente do mal

  2. Fui bom atirador no exército. Nunca tive arma. Mas estou morando no Rio. Passou a ser item de primeira necessidade. Aqui deveria ter preços promocionais e curso gratuito. A milícia se aliou ao tráfico. A PM não dá mais conta. Salve se quem puder.

  3. Quer armarna população porque sabe que quem quer e tem dinheiro para frequentar escola de tiro, comprar arma, é o eleitor com poder aquisitivo – aquele que mais votou em peso no Bolsonaro. O fanático. O Psicopata. A familícia. E fora os zumbis que passaram por processo de alienação, robotização.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *