Bolsonaro é novamente desmentido em público. Desta vez, pelo Tribunal de Contas da União.

No Palácio Alvorada, Bolsonro mente com a maior convicção

Daniel Gullino
O Globo

O Tribunal de Contas da União (TCU) desmentiu o presidente Jair Bolsonaro e afirmou que não fez um relatório que apontasse que 50% dos óbitos atribuídos à Covid-19 no Brasil no ano passado não foram causados pela doença.

“O TCU esclarece que não há informações em relatórios do tribunal que apontem que ‘em torno de 50% dos óbitos por Covid no ano passado não foram por Covid’, conforme afirmação do presidente Jair Bolsonaro divulgada hoje”, disse o TCU, em nota divulgada na tarde desta segunda-feira.

DISSE BOLSONARO – De manhã, durante conversa com apoiadores no Palácio da Alvorada, Bolsonaro falou que estava divulgando “em primeira mão” a informação sobre o suposto relatório, que teria sido divulgado “há alguns dias”.

— Em primeira mão para vocês. Não é meu, é do tal do Tribunal de Contas da União, questionando o número de óbitos no ano passado por Covid. E ali o relatório final, não é conclusivo, mas em torno de 50% por Covid no ano passado não foram por Covid, segundo o Tribunal de Contas da União. Esse relatório saiu há alguns dias, logicamente que a imprensa não vai divulgar, vamos divulgar hoje aqui.

O Palácio do Planalto foi procurado para explicar a origem da informação, mas não respondeu até o momento. Desde o início da pandemia de Covid-19, no ano passado, Bolsonaro já questionou diversas vezes os números de óbitos pelo novo coronavírus, mas nunca apresentou evidências.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Mais um vexame. O presidente da República divulga uma fake news com a maior sem-cerimônia e tem esse constrangimento de ser desmentido publicamente. É impressionante a falta de decoro do atual presidente. Se ainda estivesse conosco, Noel Rosa perguntaria a Bolsonaro: “Quem é você, que não sabe o que diz? Meu Deus do céu, que palpite infeliz…”. (C.N.)

14 thoughts on “Bolsonaro é novamente desmentido em público. Desta vez, pelo Tribunal de Contas da União.

  1. Se o presidente disse que existe tal relatório do TCU deve ter alguma verdade nisso. Acho melhor esperar e não contar Vitória antes do tempo.

    • No relatório citado por Bolsonaro, técnicos do tribunal na verdade afirmam que as mortes por problemas respiratórios subiram no Brasil, bem como por problemas cardiovasculares para os quais a Covid-19 pode ter contribuído.

      A informação não permite trazer a conclusão apontada pelo presidente, afirmam técnicos em mensagem que circula entre integrantes do TCU.

      “Essa foi uma informação trazida para enriquecer o relatório, com dados de registros de óbitos de cartórios. Assim, não se trata de uma informação do TCU. Ademais, fala-se em uma possibilidade de óbitos em relação aos quais a Covid pode não ter sido a principal causa”, diz a mensagem.

      O relatório afirma que os números de óbitos em registros cartoriais mostram que entre 2019 e 2020 o registro total de mortes por doenças no aparelho respiratório aumentou em 157.976. E, por doenças cardiovasculares, em 175.009.

      Os números poderiam indicar apenas que a Covid-19 pode não ter sido a principal causa da morte, “tendo influenciado em óbitos causados por outras doenças”.

      Ou seja, além das mortes efetivamente causadas pelo novo coronavírus, a doença pode ter contribuído também para a morte por outras causas no país.

    • O ministro Benjamin Zymler, relator no TCU de assuntos relativos à pandemia, porém, desmentiu a informação a pessoas próximas. Uma mensagem que circula entre membros do órgão afirma que o relatório trata, na verdade, de óbitos que podem ter sido influenciados pela Covid, aliada a uma outra doença pré-existente.

      “Essa foi uma informação trazida para enriquecer o relatório, com dados de registros de óbitos de cartórios. Assim, não se trata de uma informação do TCU. Ademais, fala-se em uma possibilidade de óbitos em relação aos quais a Covid pode não ter sido a principal causa”, diz o texto.

      Nesse sentido, diferente do que afirma o presente, o documento corrobora o potencial de letalidade do vírus. O material aponta um aumento de 157.976 no registro de mortes por doenças no aparelho respiratório, e 175.009 por doenças cardiovasculares entre os anos de 2019 e 2020. Os números poderiam indicar apenas que a Covid-19 pode não ter sido a principal causa da morte, mas “tendo influenciado em óbitos causados por outras doenças”.

  2. Após a Covid 19 estão proibidos de morrer:

    doenças cerebrovasculares,
    infarto agudo do miocárdio
    pneumonia
    diabetes
    homicídios por armas de fogo
    tuberculose
    aids
    chicunguya, doença de chagas,
    acidentes de trânsito,
    câncer
    mortes naturais, etc. etc. etc..

  3. MORTE MISTERIOSA

    Cientista militar chinês morre após registrar patente de vacina contra peste
    Aliança internacional de inteligência investiga morte misteriosa de cientista do exercito chinês em 2020

    POR LUIGI MARNOTO em 07/06/2021

    Cientista militar chinês morre após registrar patente de vacina contra peste
    Segundo o jornal The Weekend Autralian, a aliança de inteligência Five Eyes – composta por agências de inteligência dos Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, Austrália e Nova Zelândia – está investigando a morte misteriosa do cientista do Exército de Libertação do Povo, Zhou Yusen

    O cientista militar conduziu a pesquisa em conjunto com o Instituto Wuhan, a Universidade de Minnesota e o New York Blood Center e foi o primeiro a registrar uma patente para a primeira vacina contra o Covid-19, em 24 de fevereiro do ano passado.

    O jornal australiano relatou que especialistas em segurança nacional disseram que esta é a prova de que o Instituto de Virologia de Wuhan estava engajado em “atividades militares secretas”.

    O pesquisador australiano Nikolai Petrovsky, médico da Flinders University, que está criando uma vacina contra o coronavírus, disse à publicação que, embora fosse tecnicamente possível que uma vacina pudesse ser desenvolvida em tão curto espaço de tempo, seria um “feito notável. Isso é algo que nunca tínhamos visto antes, o que pode sugerir que este trabalho pode ter começado muito antes”.

    Zhou morreu em maio de 2020, algumas semanas depois de ter depositado a patente da vacina.

    A reportagem do The Autralian diz ainda que, embora Zhou fosse um cientista militar premiado, sua morte não teve relevância na mídia chinesa, controlada pelo governo comunista.

    O único registro sobre seu falecimento foi uma menção passageira na divulgação de um artigo científico de dezembro onde constava a palavra ‘falecido’ entre colchetes após seu nome.

    A morte de Zhou Yusen está sendo tratada como incomum e é uma das primeiras linhas de investigação da Five Eyes sobre as origens do Covid-19, pedido feito recentemente pelo presidente Joe Biden.

    Com informações de Daily Wire e The Australian

  4. É o minto em ação.
    Os bolsonaristas convictos ficaram ainda mais enlouquecidos pela “notícia” do seu ídolo.
    Qualquer pessoa de bom senso se perguntaria : o TCU teria capacidade para investigar tal situação?

    A situação está piorando, as notícias falsas aumentando e os convictos acreditando em coisas absurdas.

    Com os convertidos, os argumentos chamando à razão não tem nenhum efeito. A fé impede que pensamentos contrários penetrem em suas mentes.

    • Está perguntando aqui para a pessoa errada.

      Veja já com os nomeados para o gabinete do ódio que ficam o dia todo retuitando e espalhando fale news além de perseguir críticos do Presidente Genocida.
      Aliás, você com esse comportamento parece um deles…

    • Eu não sei nem quero saber do seu horário de trabalho.
      O meu eu seio o que faço das responsabilidades.
      E me mantenho informado mesmo nos intervalos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *