Bolsonaro elogia ditadores de 64 e diz que Forças Armadas são “âncora do governo”

Bolsonaro afirmou que militares vão ajudá-lo a mudar o Brasil

Daniel Gullino
O Globo

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira, dia 9, que as Forças Armadas são a “âncora” do seu governo e que vão ajudá-lo a mudar o Brasil. Bolsonaro participou de um almoço com oficiais-generais do Exército , da Marinha e da Aeronáutica .

“Senhores oficiais-generais, nós nada fazemos sozinhos. A grande âncora do meu governo são as Forças Armadas, que juntamente com outras classes, outras instituições, nos dão a certeza de que realmente podemos mudar o destino do nosso Brasil. A todos os senhores, minha continência e meu muito obrigado”, disse Bolsonaro.

ELOGIOS – No evento, Bolsonaro fez elogios a dois presidentes da ditadura militar: Humberto Castelo Branco (1964-1967) e Emílio Garrastazu Médici (1969-1974), por, respectivamente, fazer a Zona Franca de Manaus e ampliar o mar territorial do Brasil para 200 milhas.

“Rememorarmos algo de bom, ou de muito bom, feito por governos anteriores. Quando se fala da Amazônia Azul, devemos a passagem de 12 para 200 milhas do nosso mar territorial ao nosso eterno presidente Emílio Garrastazu Médici. Quando se fala em Amazônia, também vem em nossa mente a Zona Franca de Manaus. Também devemos a mesma ao nosso presidente Marechal Humberto de Alencar Castelo Branco. Feito esse que nos permite dizer que a Amazônia é nossa”, afirmou.

CALHA NORTE – Bolsonaro também elogiou Leônidas Pires Gonçalves, ministro do Exército durante o governo de José Sarney (1985-1990), por ter participado do programa Calha Norte, que promove a ocupação da Amazônia.

“A grande obra que devemos ao senhor Leônidas Pires Gonçalves foi a verdadeira efetivação do projeto Calha Norte, tão caro para nós tendo em vista o que representa a região amazônica”, disse.

Antes, o comandante da Marinha, almirante de esquadra Ilques Barbosa, também discursou e disse que Bolsonaro atuou contra “ameaças aos interesses nacionais”.

DESAFIOS – “Ao longo desse primeiro ano de governo, as ameaças aos interesses nacionais se apresentaram sob diversas perspectivas e, entre tantos desafios, destaco a instabilidade internacional, a guerra cibernética, as questões indígenas e ambientais manipuladas, os acessos ilegais aos conhecimentos das nossas Amazônias azul e verde, o tráfico de drogas e armas, ações de pirataria no nosso entorno estratégico, desastres naturais e crimes ambientas” disse, acrescentando:

“O senhor presidente, o senhor bem sabe, em resposta a cada ameaça supracitada e algumas outras, as Forças Armadas, sob coordenação do nosso ministro da Defesa e o comando do senhor presidente, reagiram prontamente”.

37 thoughts on “Bolsonaro elogia ditadores de 64 e diz que Forças Armadas são “âncora do governo”

    • Fico pensando,

      E se…
      …e se os ladrões que hoje, com internet e tudo, conseguiram roubar um trilhão nas barbas da população, tivessem tomado o poder em 1964?

      • Você está enganado, Sr. Francisco Vieira. Mesmo sem internet, os maiores ladrões da Petrobras eram os membros do golpe militar de 1964, de fazer inveja a Lula e sua gang de marginais petistas.

        Na Ditadura Militar se roubou mais da Petrobras desde o tempo em que foi criada por Getúlio Vargas.

        É só ler o depoimento de nosso editor, Dr. Carlos Newton, em sua matéria “Lava Jato avança e a pura o maior escândalo da Petrobras, a importação de combustíveis” , publicado em 25/11/2019 e que face à alta rotatividade dos artigos da TI, no momento está na página doze, e até no fim do dia irá para páginas mais distantes.

        O maior escândalo da Petrobras, por incrível que pareça, não foi perpetrado por Lula (e o que Lula e sua gang fizeram foi grave) mas sim na ditadura militar, menina dos olhos de Jair Bolsonaro. como relata nosso Editor na publicação acima citada. Veja:

        “Em tradução simultânea, faltou dizer na reportagem do G1 que enfim a Lava Jato está chegando ao maior escândalo da Petrobras, que envolve a compra de combustíveis no exterior.

        É um gigantesco foco de corrupção, que existe praticamente desde a criação da empresa e tem feito a fortuna de grande número de dirigentes, com destaque para o advogado Shigeaki Ueki, que deixou de ser ministro de Minas e Energia e preferiu assumir a presidência da Petrobras, onde reinou soberano de março de 1979 até o final de agosto de 1984, no governo João Figueiredo.

        Com os recursos desviados da Petrobras, Ueki se instalou no Texas, comprou grandes extensões de terra e se tornou produtor rural e explorador de petróleo, acumulando uma fortuna de fazer inveja à família Bush.

        ESQUEMA DE CORRUPÇÃO – Ueki foi o primeiro presidente civil da Petrobras. Na época, o esquema de corrupção era simples – bastava cobrar alguns cents por barril, a fortuna estava garantida, porque o Brasil era grande importador de petróleo e derivados.

        ‘O “japonezinho do Geisel”, como era conhecido, fugiu para os Estados Unidos, mas deixou seguidores dentro da Petrobras, que tiveram de ir aperfeiçoando o esquema, à medida em que o país aumentava a produção até se tornar autossuficiente.

  1. Para a esquerda, leia socialismo, como ela própria afirma, não pode existir nada fora dela, do socialismo.
    A história desta nefasta ideologia está com milhões de mortos, sem falar naqueles destruídos moralmente por suas sistemáticas calúnias.
    Nas redações dos jornais do país, que eram todas dominadas pela esquerda, não se censurava artigos de jornalistas que não compartilhavam seus dogmas, ela os eliminava demitindo-os.

    A Ku Klux Khlan, em matéria de preconceito e violência, se comparada à esquerda é uma ganguinha de pivetes de bairro.

  2. “…A grande âncora do meu governo são as Forças Armadas…”

    -Realmente é um escândalo!
    -Só que a Rede Esgoto não fala que até o final do ano passado, a âncora do governo era a Odebrecht!

    • Perfeito. Todos os presidentes que nos governaram após a ditadura, do Sarney ao Bolsonaro foram herança da ditadura, cada presidente fazendo a sua parte, isto é, endividando o país, levando o Brasil para o buraco e com IDH baixo até os dias de hoje
      Diferentemente desses presidentes, a ditadura visando o interesse nacional, não entregaram as estatais às multinacional.
      O Guedes não vende agora a Petrobras por inteiro, o Banco do Brasil e a Caixa Econômica, porque haveria uma reação geral.
      Ha conversas de que o governador Witzel pretende vender a CEDAE. O povo que se dane.

  3. Excelente matéria sobre o IDH. Quem sabe um dia isso vai incomodar o suficiente a quem tem o poder de mudar. Temos ai os presidentes que foram eleitos, quase todos respondendo ou com graves indícios de corrupção e os ditadores que não foram eleitos e saíram do governo com o que tinham. Um paradoxo que só um país latino como o Brasil poderia dispor. Mais um ensinamento que só os conscientes podem ver. No governo militar foram muitas as frentes. Nunca houve tanto avanço na implementação de infraestrutura do país. Lembro que a Ponte Rio Niterói foi toda construída no governo de Costa e Silva e ainda hoje só é cobrada a ida, não a volta. Valor que é uma fração do cobrado na Linha Amarela, irregular e caríssima, marca registrada dos patifes que vieram depois pelo “voto”, só como exemplo.

  4. Bolsonaro joga confete na instituição de onde se originou para ser deputado federal por várias legislaturas, até chegar ao Planalto.

    Elogiar os militares que atuaram em 64 e que derrubaram Jango porque havia a ameaça comunista, razão pela qual o título de contrarrevolução, obteve o apoio do povo na sua maioria absoluta, apesar de que hoje se constata que o inimigo à época não foi vencido, pelo contrário, o comunismo venceu no Brasil décadas depois e, seus personagens, surpreendentemente, comandaram o país por 16 anos!

    Portanto, travou-se uma guerra contra os simpatizantes de Fidel Castro, que hoje poder-se-ia afirmar que se tratou de uma vitória de Pirro, cujo preço que se pagou em vidas, torturas, perseguições, prejuízos, indiscutivelmente são irreparáveis.

    Dito isso, as nossas FFAA mudaram radicalmente de posição:
    Se antes eram defensoras da Ordem e do Progresso, atualmente se transformaram em defensoras da desordem, do atraso e, inacreditavelmente, de ladrões e corruptos!

    Decididamente os militares não merecem qualquer elogio, pelo contrário, devem ser duramente criticados pela omissão e irresponsabilidade de preservar uma falsa democracia, onde a sua característica maior e desprezível tem sido a impunidade, permissão para os poderes constituídos roubar, explorar e manipular o povo e país!

    Eu iria mais longe:
    Acuso as FFAA de traidoras, de cúmplices de criminosos, e culpadas diretamente pelo aumento da pobreza, da miséria, do analfabetismo, do desemprego, do endividamento de milhões de pessoas, enquanto protege as elites e as castas que nos arruínam, que nos dilaceram como nação, que extorquem do cidadão uma carga tributária injusta e insuportável!

    Se eu soubesse quando servi ao Exército há mais de cinquenta anos, que dediquei a minha juventude com todas as forças para merecer usar a farda e portar as armas que me confiavam na proteção de generais e de presidentes da República, do pais e do povo, função que era da PE, eu não teria servido, de modo que hoje eu não me envergonhasse de ter pertencido às FFAA brasileiras!

    Lamento profundamente ter de fazer esta declaração, mas não vejo razão alguma para elogiar os militares, nessas alturas.
    Defender e proteger ladrões e corruptos porém, desgraçadamente, permitir que o Brasil diminua até mesmo o seu índice de IDH, lá na metade de 180 nações analisadas, é uma vergonha, um escândalo, é um deboche e escárnio ao cidadão, ao trabalhador e ao ser humano que nasce nesta republiqueta, que ainda sustenta e remunera as castas do Legislativo e Judiciário com a maior faixa salarial e regalias do MUNDO!

    Para este tipo de proteção e manutenção, as FFAA se tornam o mesmo que o parlamento:
    Desnecessárias e ocasionando gastos que poderiam ser canalizados para as áreas mais carentes deste paiseco!

  5. Bela manchete.
    Bolsonaro elogia ditadores de 64 e diz que Forças Armadas são “âncora do governo”.
    Minha manchete.
    A esquerda elogia os terroristas de 65.
    Terroristas que pretendiam transformar o país numa Ditadura do Proletariado aos moldes da União Soviética, Cuba e Albânia.
    Perderam.

    • Pimenta,

      De que forma perderam, se voltaram depois como governantes, e hoje o comunismo que queriam no passado e que lutamos para que não se realizasse, o comunismo existe em todos os poderes constituídos?

      A miséria e a pobreza, típicos dos países socialistas e/ou comunistas, nos atingiu em cheio!?

      Não sei, não, penso que os derrotados fomo nós, e em grande estilo.

      Abraço.

      • Questão de ponto de vista, respeito o seu mas não concordo que a culpa seja deles.
        Por ter estado lá como você, aprendi a identificar os inimigos e sei que não são eles que devemos combater.
        A situação atual não está boa, sabemos disso, mas observe que a mídia, o meio político e até o STF não deixa o cara governar.

        • Talvez eu não tenha me feito entender:
          não peço para combater as FFAA, até porque delas fiz parte, no Exército.

          Critico a omissão dos militares diante desses descalabros, desmandos e desfaçatez, dos poderes Legislativo e Judiciário que cometem contra o povo e país, impunemente!

          Se as FFAA não tomam as rédeas do Brasil, para que voltemos a progredir, e tirar milhões de pessoas da miséria e da pobreza, lamento, mas não me resta outra opção que não seja protestar e reclamar dessa omissão criminosa.

          Até por que pergunto:
          O povo teria condições de impedir que os roubos, a exploração e manipulação que sofre?
          E, se Bolsonaro não pode governar, no que concordo contigo, mais uma razão para que a ordem volte a ser estabelecida, eliminando os inimigos nossos que desejam a nação arruinada e povo abandonado.

          Sem dúvida alguma é o meu ponto de vista, mas qual seria a tua ideia de restauração?

  6. A maior prova de que Jango não intentava dar um golpe continuísta é que seu dispositivo militar não reagiu, embora pudesse e devesse tê-lo feito. Bastaria uma ordem ao Brigadeiro Rui Moreira Lima, herói da FAB na 2ª Guerra, comandante da Base Aérea de Santa Cruz, que as tropas de Mourão seriam pulverizadas na Rio Petrópolis. Outro mito é que a maioria da população apoiou, só se foi a maioria da classe média de Copacabana, Ipanema e os ricos. Há pesquisas do Ibope, recentemente encontradas no arquivo da Unicamp, que registram que, caso a reeleição fosse possível naquela ocasião, Jango seria reeleito. E mesmo com os trabalhistas proscritos, se tivesse havido eleição em 65, JK ganharia de lavada de Lacerda, mas foi perseguido implacavelmente pelos militares.
    Essa é a verdade histórica.

    https://www.camara.leg.br/noticias/429807-jango-tinha-70-de-aprovacao-as-vesperas-do-golpe-de-64-aponta-pesquisa/

    • Eu estava lá, Base Aérea do Galeão, a de Santa Cruz era a dos caças e o Moreira Lima tinha uma tendência de esquerda. Jamais entrariam na Ilha, mas em questão de horas a aderência foi quase total, ficou restrita com Brizola lá no sul que acabou fugindo vestido de prenda. Na época havia muitos agentes comunistas infiltrados nas Forças Armadas.
      Só vamos saber exatamente o que aconteceu num futuro distante, por enquanto a tal verdade está sendo divulgada ao sabor da esquerda.

  7. Eu morava em Brasília em 64.
    Vi as tropas de Minas tomando a capital federal, e se instalando na entrada das cidades satélites à época:
    Taguatinga, Núcleo Bandeirante, Gama e Sobradinho.

    Em nenhum momento, e no Brasil inteiro, com exceção dos movimentos de esquerda conhecidos, o povo apoiou a causa da revolução do proletariado à lá Cuba!
    Em hipótese alguma o povo deixou de apoiar o regime militar quando começou, e lutar com a esquerda contra o Exército!

    Não se trata de mito, mas uma realidade incontestável, a opção do povo em apoiar o regime de exceção, a começar pelo número de vítimas obtidas durante o enfrentamento com os que queriam implantar o comunismo, que teria sido muito maior se o povo se rebelasse!

    E foi assim em todo o país, a ponto que tivemos menos de 500 mortos de ambos os lados que se enfrentaram com armas de fogo ou terrorismo, como utilizados pela esquerda com sequestros, atentado ao aeroporto de Guararapes, e assassinato do soldado sentinela Mário Kozel Filho.

    Quanto à reeleição de JK em 65, admito como verdadeira, pois este presidente trouxe novos ares à República, além de desenvolvê-la através de um processo industrial nunca visto anteriormente, construção de rodovias, e instalações de montadoras de veículos no país, além de ter 37% das intenções de votos, contra 25% de Lacerda.

    Logo a verdade histórica mencionada por Alverga está pela metade.
    A primeira parte foi só opinião pessoal sobre o apoio popular, que não aconteceu em nenhum momento;
    A segunda, confere, que JK teria vencido as eleições não fosse a implantação do AI 2, extinguindo os partidos políticos, em razão de que havia governadores eleitos em 65, que se identificavam com Jango!

    JK foi cassado porque os militares não queriam resquício algum de líderes políticos antes de 64, pois outros nomes conhecidos nacionalmente e que apoiaram a contrarrevolução foram cassados posteriormente.

  8. Que 500 mortos de cada lado nada! Vc não sabe de nada! São cerca de 475 vítimas do Estado Terrorista de Segurança Nacional e 126 vítimas da guerrilha.
    https://pt.wikipedia.org/wiki/Desaparecidos_pol%C3%ADticos_no_Brasil

    E você se esquece dos atentados da extrema direita militar da 2ª metade dos anos 70: chacina da Lapa, assassinato do Herzog, assassinato do Fiel Filho, assassinato da Dona Lyda Monteiro na OAB em 80 e mais a cereja do bolo que seriam os cerca de 20 mil mortos caso o atentado do Riocentro em abril de 81 tivesse tido êxito. Sabe de nada e fica querendo posar de catedrático.

  9. Não poso de catedrático.
    Sem necessidade de ofensas e de tentar me humilhar porque atitude grotesca e mal educada.
    Mas és tu o catedrático, e não eu, surpreendentemente.

    Os quase 500 mortos citei como vítimas total do enfrentamento entre Exército e guerrilheiros.
    Os registros históricos existem à disposição, basta pesquisá-los.

    Mencionar uma hipótese como índice de mortos, o atentado ao Rio Centro, que não se concretizou, trata-se de um argumento pueril, desprezível, inócuo.
    Até porque a bomba que estourou no colo do sargento, que veio a falecer, teria levado pelos ares o próprio Rio Centro, e teria feito do Puma, carro que estavam o capitão e seu subalterno, poeira!

    O oficial não teria sobrevivido, e que se encontra vivo até os dias de hoje!

    Agora, é verdade, posso mesmo não saber nada.
    Mas, em compensação, caso eu soubesse um pouco mais, aquele que eu contestasse afirmando que se trata de um ignorante, eu provaria a minha afirmação, menos vociferar palavras e frases que passam ao largo de um bacharel em qualquer disciplina!

    Nessas alturas, bendita a minha falta de diploma universitário, pois para agir dessa forma, humilhando e ofendendo de quem discorda, sinceramente, mas que tempo perdido, e quanto dinheiro gasto desnecessariamente!

  10. A menos que a faculdade frequentada tenha sido de como agredir e humilhar as pessoas, principalmente aquelas que não possuem o conhecimento e cultura do catedrático!

    A faculdade seria de quê?
    “Coicelogia?”

  11. Provo o que afirmo:
    “Nessas variadas coleções, há discrepância nos números de mortos e desaparecidos computados; a CNV, em seu relatório final, reconheceu 434 mortes e desaparecimentos políticos entre 1946 e 1985, dos quais a maioria ocorreu no período da ditadura.”

    Mesmo eu não tendo faculdade, penso que 20.000 mortos para 434, há uma diferença palpável, mas posso estar errado no conceito de alguns catedráticos, claro.

  12. Logo, jamais posei ou poso de “catedrático”.

    Mas, percebo que muito catedrático pensa que sabe mas, na verdade, sabe bem menos do que imagina.

    Tais demonstrações de superioridade intelectual mesmo não reconhecidas, se denominam de arrogância, prepotência, preconceito, desrespeito e má educação!

  13. Me desculpe Bendl, minhas sinceras desculpas. Foi uma imbecilidade elitista escrita num momento de raiva. Peço ao moderador que apague este meu comentário infeliz. Como tive um familiar próximo envolvido nesse contexto às vezes fica difícil para mim manter o equilíbrio. Espero que me perdoe.

    Alverga.

  14. Alverga,

    Tu és um cavalheiro, um homem de bem!
    Eu te admiro muito pelo teu refinamento, posição política, conhecimentos e cultura.

    Claro que te desculpo, evidentemente que aceito as tuas desculpas.
    Digo mais:
    Mais ainda o meu respeito por ti cresceu, pois demonstraste ser uma pessoa magnânima, de um caráter irrepreensível, ao reconheceres que foste um pouco exagerado comigo.

    Eu não merecia tanto.

    Um forte e fraterno abraço, Alverga.
    Saúde, muita saúde e vida longa!
    (Caro Newton, se deletares o comentário do Alverga, faz o mesmo com os meus, por favor, e mal entendido resolvido como deve ser).

  15. Ah, seu mário jr, em certos momentos como gostas de mostrar os teus defeitos de caráter, de hombridade, de falta de civilidade!

    Desconheces o que vem a ser boas maneiras, respeito, pedido de desculpas e que estes sejam aceitos.

    A tua expressão com relação a mim e o Alverga foi deprimente, deplorável, mal intencionada, denotando que és nocivo a este espaço democrático, que não sabes conviver em paz com os demais comentaristas, então a tua distração é ofender, agredir e insultar!

    Desta vez comprovaste que não vales nada, mario jr, e que não vales sequer o que comes!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *