Bolsonaro enquadra PSL e faz acenos ao Centrão para formar a base aliada

ONYX LORENZONI

Lorenzoni articula a formação da maioria na Câmara

Pedro Venceslau e Tulio Kruse
Estadão

Depois de começar a campanha sem praticamente nenhum apoio partidário e sob a desconfiança do mundo político, o deputado Jair Bolsonaro , candidato do PSL à Presidência nas eleições 2018, chega à reta final do segundo turno projetando construir uma ampla base parlamentar, na hipótese de ser o eleito no domingo.

Em nome da governabilidade, o capitão reformado tenta agora enquadrar a base do PSL, que conta com 52 deputados eleitos, enquanto faz acenos ao Centrão, que perdeu força, mas segue sendo um bloco com poder de fogo na Câmara. Com 142 deputados eleitos – 22 a menos que na legislatura anterior –, o grupo integrado por DEM, PP, PR, Solidariedade, PRB, PSC e PTB quer manter o controle de postos-chave da Casa, entre eles a presidência.

BASE ALIADA – Para ter um ponto de partida confortável e acalmar o DEM, que elegeu 29 deputados federais, Bolsonaro promoveu a primeira intervenção direta na bancada do PSL ao afirmar, na quinta-feira passada, que o partido não vai disputar o comando da Câmara. Anunciado como chefe da Casa Civil caso Bolsonaro seja eleito, o deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS) tem feito a ponte com o DEM, que articula a reeleição de Rodrigo Maia (DEM-RJ) à presidência da Casa.

O movimento do presidenciável parte de duas constatações. A primeira delas é que, se quiser tirar do papel algumas de suas propostas de campanha, terá de garantir apoio confortável na Câmara. Para uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) ser aprovada pelo plenário em dois turnos, por exemplo, são necessários os votos de 3/5 dos deputados (ou 308 votos).

A outra constatação é que, seja quem for o novo presidente, ele terá de lidar com um Congresso mais pulverizado – uma dificuldade extra para costurar apoios.

MINISTÉRIO – Além da sinalização de apoio a Maia, visto pelo presidente do PSL, Gustavo Bebianno, como um “bom nome”, Lorenzoni tem conversado com caciques do DEM sobre eventual participação do partido na Esplanada dos Ministérios.

Derrotado na disputa por uma vaga no Senado por Pernambuco, o ex-ministro da Educação Mendonça Filho (DEM-PE), que é conselheiro da campanha de Bolsonaro, é cotado para reassumir a pasta.

Outro partido que já se aproxima de Bolsonaro é o PSD. A sigla ficou neutra no segundo turno, mas o ministro das Comunicações, Gilberto Kassab, que comanda a legenda, declarou apoio a Bolsonaro. Segundo ele, a maioria do partido segue essa linha e a neutralidade foi declarada a pedido dos diretórios da Bahia e de Sergipe, que apoiam Fernando Haddad (PT).

MAIORIA AMPLA – Com esses dois apoios, Bolsonaro começaria sua eventual gestão com um núcleo duro de 144 deputados governistas: 52 do PSL, 10 do PTB, 8 do PSC, 34 do PSD, 29 do DEM e 11 do Podemos. Tirando o PSD e o DEM, os demais partidos já declararam apoio ao presidenciável do PSL. Quando começou seu mandato em 2003, Lula tinha cerca de 230 deputados na base de apoio.

A projeção do PSL é superar esse número. “Acredito que teremos uma maioria ampla. Bolsonaro não fará braço de ferro pela presidência da Câmara”, disse ao Estado o senador eleito Major Olímpio, presidente do PSL de São Paulo.

Pelas contas dos operadores políticos de Bolsonaro, ele deve contar com uma base superior a 300 deputados, caso seja eleito. Essa projeção foi feita após a formalização do apoio das bancadas evangélica, rural e da segurança.

JOICE CRITICA – Reeleito por São Paulo, o deputado Eduardo Bolsonaro, filho do presidenciável, chegou a ser lançado pela sigla como candidato a presidente da Câmara. Outro nome que foi colocado na bolsa de apostas foi o do fundador do PSL, Luciano Bivar.

“Em função da cláusula de barreira, 31 parlamentares ficarão sem partido. Pelo menos 15 deles devem vir para o PSL. Com isso, seria natural disputar a presidência da Casa. Manter o Rodrigo Maia seria manter o mesmo rosto”, disse a deputada eleita Joice Hasselmann (SP).

Ela defende o próprio nome para a liderança do governo, Luciano Bivar na presidência da Câmara e a procuradora e deputada eleita Beatriz Kicis no comando da comissão mais cobiçada da Casa, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

20 thoughts on “Bolsonaro enquadra PSL e faz acenos ao Centrão para formar a base aliada

  1. “O movimento do presidenciável parte de duas constatações.
    A primeira delas é que, se quiser tirar do papel algumas de suas propostas de campanha, terá de garantir apoio confortável na Câmara.

    Para uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) ser aprovada pelo plenário em dois turnos, por exemplo, são necessários os votos de 3/5 dos deputados (ou 308 votos).”

    -Sem essa base, o próximo governo não fará nada, A NÃO SER preparar o terreno para A VOLTA DO PT AO GOVERNO. Portanto, os petistas devem ser contra tais acordos.

  2. Olha o golpe aí, gente. B171 já sentou no colo do centrão. Cambada de sem-vergonha, tudo farinha do mesmo saco podre. Guerra de quadrilha, armada e desarmada, é nisso que vocês transformaram a política ?

      • Esperar o quê da dupla Lorenzoni e Rodrigo Maia, senão apenas mais dos me$mo$ ? Não é de hoje que estou observando com muita atenção a movimentação de vossas demências, desde junho de 2013, quando vocês se infiltraram nas ruas, com as segundas intenções agora reveladas, deturpando toda a nossa luta idealista, em prol do projeto novo e alternativo de política e de nação, que explodiu nas ruas em 2013, sobre o qual vocês cresceram o Zoião. Mas vocês tb vão pagar, naturalmente, o preço pela deturpação e o retardamento de uma causa nobre abençoada por Deus.

  3. Bolsonaro viveu 28 anos de sua vida na Camara de Deputados. Ele conhece muito bem o “metier” .
    Tem a assessoria do deputado Onix Lorenzoni que também é muito experiente na casa. A principio pode parecer estranho e até mesmo “nojento” procurar acordos com o Centrão. A Dilma logo no inicio do seu 2º mandato quis partir para o confronto na disputa pela presidencia da Camara e foi atropelada pelo Cunha. Inviablizou o seu 2º mandato logo no tiro de partida.
    Se Bolsonaro preferir não criar atrito logo de cara e principalmente aglutinar forças para conseguir o mais importante que será aprovação de emendas constitucionais e de leis que assim seja.
    È de se esperar que ele saiba o que está fazendo, na verdade é mais um bom sinal que vai querer governar dentro das regras democráticas de harmonia entre os poderes, no caso entre executivo e legislativo. Isso tudo é mais positivo que negativo, embora a principio para deputados de 1ª viagem possa parecer o contrário.

    • Os PETISTAS são contra tais ACORDOS.

      Mesmo depois de passarem TREZE ANOS no quarto de motel com o Sarney, o Barbalho, o Lobão, o Jefferson, o Joesley, o … etc… …etc… e o TEMER, ainda se julgam PURITANOS o suficiente para criticar acordos alheios com base no caráter dos parlamentares que, até o ano passado, faziam parte da BASE ALIADA PETISTA.

      O importante não será com quem se faz acordo.
      O importante é POR QUANTO sairá esse acordo.
      O preço a ser pago pelo Bolsonaro ainda não sei.
      Mas o PREÇO PAGO PELO PT foi a corrupção generalizada.

      Esperemos, portanto.
      Daqui a dois anos teremos novas eleições.

    • E a encenação anti-$istema apodrecido, era tudo fake ? O que vc está sugerindo é o pior do mais dos me$mo$, mais continuísmo da mesmice raso e seco, que, segundo o Dr. Ayres Britto, é golpe, no caso, à moda B171.

  4. Bolsonaro disse:
    “O garoto já foi advertido…..vamos tocar o barco”.
    Sabemos o quanto é difícil educar os filhos, garotos.
    Ocorre que trata-se de um deputado federal, logo o assunto muda para desautorização, com advertência da direção do partido, senão, a presidência vira reunião familiar.
    Deus, Pátria e Família não é isto.

    • O nome disso é B171. Estou cantando a bola pra vc. A impressão é que trata-se de uma imensa quadrilha armada, mais do que um cavalo de Troia, uma imensa quadrilha armada, ousada ao ponto de fazer ameaças e intimidações até ao STF, veja a petulância, estão indo além até mesmo das quadrilhas de traficantes dos morros cariocas. Se essa coisa entrar lá, será um Deus nos livre, ninguém tira mais.

  5. Agora jornal é Bíblia, Corão Torah. O que jornalista especula é verdade irrefutável. kkkkkkkkk
    O cara ainda nem foi eleito e já estão colocando “pensamentos” em sua boca. Não vai adiantar, pois dia 28 teremos o Bolsonaro eleito com a maior votação que um presidente teve em toda a história do país. É isso que estão tentando impedir com tantas ilações e fakenews.

    E o Wadih Damous, né? Ninguém no STF tem culhão para enquadrar o cara que falou seriamente (pois petista sempre fala sério) que “tem que fechá o Supremo Tribunal Federal” (sic).
    Ele pode por que é um querido? Que mimo.

    • “Pensamentos em sua boca”?
      Finalmente descobrimos que o boçal não pensa pelo minúsculo cérebro.É um microcéfalo que pensa com a boca e com a b………
      Por onde será que o aracnídeo pensa?Se é que pensa!!!!!

      • Você é parente do Dr. Jacinto Leite Aquino Rêgo?
        Pelo nível do contraditório parece ser…
        Interpretar texto, principalmente com aspas, se aprende no ensino fundamental, antigo primário. Mas alguns nem supletivo fizeram…

  6. Meus caros, pelo nível do destempero, já da mostras do desespero.
    O Bolsonaro esta igualzinho a massa de pão, quanto mais apanha, mais cresce.
    Tenham como lembrança um ditado da minha falecida avó: “Praga de urubu magro, não mata cavalo gordo”;
    Agora só com a pura extinção física do candidato favorito, que o tira do palácio do planalto.
    Nesta semana, seus índices nas pesquisas aumentaram muito, haja visto pelas manifestações de ontem.
    Chegamos a encruzilhada final, agora é, quem não for a favor, é contra, e como contrario sera tratado.
    Domingo, a cidadania vigilante, vai mostrar que esta pais ainda tem dono e o vermelho, serão
    apenas as cores de gloriosos times de futebol, como o INTER gaúcho.

  7. Realmente este articulista descobriu a pólvora : ” O Mkinistro Gilberto Kassab, que comanda o PSD. declarou apoio a Bolsonaro ”
    Desde quando o Kassab tem pensamento diferente a ” aderir “, ” tirar proveito “, “submeter “, ” lamber botas “. Francamente …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *