Bolsonaro fará o resto da campanha em casa, inclusive na fase do segundo turno

Bolsonaro

Helicóptero da PM levou Bolsonaro para o Albert Einstein

Constança Rezende e Marcio Dolzan
Estadão

O candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, foi transferido nesta sexta-feira, 7, para o Hospital Albert Einstein, em São Paulo, após ter sido alvo de um ataque a faca em ato de campanha na quinta-feira à tarde em Juiz de Fora (MG). Às 14h20, o hospital informou que o candidato está “consciente e em boas condições clínicas”. Conforme a equipe médica, o tempo mínimo de internação a que ele estará submetido é de uma semana.

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, disse que três pessoas estão sendo investigadas por suposta participação no atentado.

AINDA NA UTI – O boletim divulgado no início da tarde indica que Bolsonaro está internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Ele realizou exames laboratoriais e de imagens e foi avaliado por equipe multiprofissional. O tratamento iniciado em Minas continua. Líder nas pesquisas de intenção de votos, o candidato era carregado na região central da cidade quando foi golpeado na altura do abdome por seu agressor, identificado como Adelio Bispo de Oliveira, de 40 anos, que foi preso.

Gastrocirurgiões ouvidos pelo Estado avaliam que dificilmente Jair Bolsonaro será liberado pelos médicos a fazer campanha de rua antes do primeiro turno das eleições 2018, marcado para 7 de outubro. Em geral, pacientes com quadro similar ao do presidenciável só são autorizados a retornar ao trabalho e às atividades normais no período de um a dois meses após a operação. O candidato sofreu um único golpe de faca que perfurou em três partes o intestino delgado, provocando traumatismo abdominal e hemorragia interna.

PRIMEIRA GRAVAÇÃO – Um vídeo publicado na manhã desta sexta pelo senador Magno Malta (PR-ES), que foi ao hospital visitar o colega, mostra Jair Bolsonaro fazendo sua primeira declaração pública após o ataque. Bolsonaro agradeceu a equipe médica, Deus e disse ser inofensivo. “Será que o ser humano é tão mau assim? Eu nunca fiz mal a ninguém”, disse o presidenciável do PSL. “Essa equipe maravilhosa e abençoada evitou que o mal maior acontecesse”, complementou Bolsonaro, com voz baixa.

Mais tarde, no Twitter, a conta oficial do presidenciável publicou uma mensagem dizendo que ele está bem e se recuperando. “Agradeço do fundo do meu coração a Deus, minha esposa e filhos, que estão ao meu lado, aos médicos que cuidam de mim e que são essenciais para que eu pudesse continuar com vocês aqui na Terra, e a todos pelo apoio e orações!”.

NOVA VARIÁVEL – O fato deixou mais imprevisível a eleição deste ano, acrescentando nova variável na disputa pelo Planalto, segundo analistas ouvidos pelo Estado. O atentado seria capaz de mudar os rumos da corrida eleitoral restando menos de um mês para o primeiro turno.

Na quinta-feira, algumas campanhas começaram a rever estratégias, entre elas a tática de ataques ao candidato do PSL. A expectativa no momento é sobre a força do tempo de TV no horário eleitoral e a capacidade de transferência de votos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, cuja candidatura pelo PT foi barrada pela Justiça Eleitoral. A dúvida agora passa a ser quanto ao tempo de recuperação física de Bolsonaro.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
– Diz a equipe médica que o tempo mínimo de internação a que ele estará submetido é de uma semana. Mas depois terá de prosseguir a recuperação em casa e fará a campanha sem sair às ruas, tanto no primeiro turno quanto no segundo, no qual sua presença já está garantida. (C.N.)

4 thoughts on “Bolsonaro fará o resto da campanha em casa, inclusive na fase do segundo turno

  1. Se ele está sendo sincero, se submeterá aos ditames da medicina até total recuperação de modo a não ter perigo para seu vaso físico.
    Se fizer como o Tancredo Neves, colocará seu vaso físico em grande risco.
    Pelas ações do Bolsonaro, veremos seu interior, mas o que esperamos é um presidente honesto, firme e igual de modo a sairmos do lamaçal que nos encontramos.
    Está com Bolsonaro resolvermos pela via pacífica o grande estrago feito no nosso querido Brasil.
    Bolsonaro não ponha sua vida/saúde em risco é um pedido de um brasileiro que acredita que podemos com a ajuda de Deus irmos para frente.

  2. Pois é! Agora vem um dos advogados do vagabundo esfaqueador com a história que o indivíduo é louco e que a verdadeira causa do ataque, é o discurso racista do Bolsonaro.
    Primeiro, deveriam perguntar aos advogados, que são dois, que os esta pagando, afinal o acusado é um desempregado profissional e não tem recursos para tanto.
    Segundo, este vagabundo estava a 14 dias na cidade onde agrediu o candidato, hospedado numa pensão, que segundo seu proprietário, pagava as despesas com dinheiro vivo.
    É estranhável que um individuo sem emprego, sem renda e sem “patrocínio”, ande por este Brasil afora atras de manifestações políticas, apenas por sua condição de militante ideológico e crente fervoroso em alguma divindade.
    Dizer que estava sozinho na “parada”, é achar que a burrice campeia Brasil afora e que todos nós somos imbecis e idiotas.
    Tenho plena certeza que o atentado foi uma “orquestração” e que este indivíduo sofreu lavagem cerebral, a exemplo dos homens bomba muçulmanos, ele foi para o sacrifício, pois deveria ter consciência que não sairia vivo do episódio, porque sofreria linchamento.
    A cara dele, ao ser preso, era de espanto por ter ficado vivo, não imaginava sobreviver e os que estão por trás da ação, também foram surpreendidos com a sobrevivência do bandido, porque agora terão um trabalhão para se desvencilhar da causa.
    O esfaqueador andou até frequentando stand de tiro em São Jose SC, prova de que já estava a trabalho.
    Parece que este caso vai tomar os mesmos rumos do Celso Daniel, Mariélle e outros jogados para debaixo do tapete.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *