Bolsonaro foge ao debate racial, elogia sua estratégia anticovid e prega reforma na OMC

Enxergo todos com as mesmas cores: verde e amarelo', diz Bolsonaro em  cúpula do G20

Mensagem de Bolsonaro ao G-20 foi bizarra, como sempre

Fábio Pupo
Folha

O presidente Jair Bolsonaro contestou neste sábado (21) durante a cúpula do G20 o debate sobre racismo no país, dizendo que há quem queira alimentar o conflito e o ódio entre a população. “O Brasil tem uma cultura diversa, única entre as nações. Somos um povo miscigenado”, afirmou.

“Foi a essência desse povo que conquistou a simpatia do mundo. Contudo, há quem queira destruí-la, e colocar em seu lugar o conflito, o ressentimento, o ódio e a divisão entre raças, sempre mascarados de ‘luta por igualdade’ ou ‘justiça social’. Tudo em busca de poder.”

POVO VULNERÁVEL – Ele disse que há interesses para se criar tensões no país e que um povo dividido fica enfraquecido. “Um povo vulnerável pode ser mais facilmente controlado e subjugado. Nossa liberdade é inegociável.”

“Enxergo todos com as mesmas cores, verde e amarelo. Não existe uma cor de pele melhor do que as outras. O que existem são homens bons e homens maus, e são as nossas escolhas e valores que determinarão qual dos dois nós seremos”, afirmou.

O presidente disse ainda que há “tentativas de importar para o nosso território tensões alheias à nossa história” e que “aqueles que instigam o povo à discórdia, fabricando e promovendo conflitos, atentam não somente contra a nação, mas contra nossa própria história”.

CASO CARREFOUR – As declarações foram dadas um dia após protestos pela morte de um homem negro por seguranças de um supermercado Carrefour em Porto Alegre. João Alberto Silveira Freitas, 40, foi espancado e morto na noite de quinta-feira (19) diante de testemunhas.

Sem citar a morte, o presidente havia falado sobre o “povo miscigenado” na sexta (20) em suas redes sociais e usado algumas das expressões que repetiu na conferência.

Na reunião, Bolsonaro ainda defendeu reformas na OMC (Organização Mundial do Comércio) que sigam três eixos: negociações, solução de controvérsias e monitoramento e transparência. Segundo ele, o governo também espera que o órgão de apelação da OMC possa voltar à plena operação o mais rápido possível.

SUBSÍDIOS DA OMC – “Na reforma da Organização, queremos que a ambição de reduzir os subsídios para bens agrícolas conte com a mesma vontade com que alguns países buscam promover o comércio de bens industriais”, afirmou.

Bolsonaro disse também que espera que o processo de reforma da OMC contemple o estímulo aos investimentos e a criação de condições justas e equilibradas para o comércio internacional, não só de bens, mas também de serviços.

Apesar da possibilidade de uma nova onda do coronavírus no país, Bolsonaro buscou ressaltar a visão de uma recuperação na economia brasileira.

SUPERAÇÃO – “À medida que a pandemia é superada no Brasil, a vida das pessoas retorna à normalidade e as perspectivas para a retomada econômica se tornam mais positivas e concretas.”

Mais cedo, Bolsonaro afirmou em vídeo de apresentação para a cúpula do G20, que o governo estava certo em seu entendimento sobre a pandemia do coronavírus. “Desde o início, ressaltamos que era preciso cuidar da saúde e da economia simultaneamente. O tempo vem provando que estávamos certos”, disse no vídeo, gravado e divulgado antes da reunião entre os líderes.

O presidente disse que o governo apoia o acesso universal, equitativo e a preços acessíveis aos tratamentos disponíveis. “É com esse objetivo que participamos de diferentes iniciativas voltadas ao combate à doença.”

VACINAS OPCIONAIS – Bolsonaro defendeu, no entanto, que as vacinas contra a Covid-19 sejam opcionais. “Defendemos a liberdade de cada indivíduo para decidir se deve ou não tomar a vacina. A pandemia não pode servir de justificativa para ataques às liberdades individuais.”

No vídeo deste sábado, o presidente afirmou que a cooperação no âmbito do G20 é essencial para superar a pandemia e retomar o caminho da recuperação econômica e social.

“Neste ano, enfrentamos desafios sem precedentes na história recente”, disse. “Devemos manter o firme compromisso de trabalhar pelo crescimento econômico, pela liberdade de nossos povos e a prosperidade do mundo.”

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
A matéria, que é bastante extensa, registra que Bolsonaro não acredita na segunda onda da covid, que está acontecendo em muitos países, simultaneamente. Na semana passada, por exemplo, chamou a possibilidade de uma nova onda do coronavírus de “conversinha”. Mas na realidade a segunda onda já começa a se registrar no Brasil. (C.N.)

28 thoughts on “Bolsonaro foge ao debate racial, elogia sua estratégia anticovid e prega reforma na OMC

  1. Que “debate racial”? Somos todos, independente da cor, humanos e brasileiros!
    1.º O povo brasileiro foi originado a partir da miscigenação entre diferentes etnias. ;

    2.º O “racismo” no Brasil está em outro patamar: “money”. Paraíba, crioulo, branquela, “bugre”, amarelo…Tem grana? O senso comum morre;

    3º A honorável OMS é uma verdadeira piada pronta (merecia um destaque ” Hors-concours” aqui na TI;

    4º Lockdown na Europa foi um verdadeiro fracasso )e na América do Sul, esquerdopata, também);

    5º A “imprensa” brasileira é surreal: torce pelo pior : distorções da realidade, com direito a torcida organizada (grobo, foia, antaqolixo e outros satélites…

    6º Virou moda, agora, admirar, desavergonhadamente, tudo o que vem de fora como estando acima de qualquer comparação com o Brasil.

    Chega, né? ” O pior cego é aquele que não quer ver”.

  2. Meu Deus! Chamada do Jornal Nacional (21/11, às 20:40):

    “Morte de um cidadão negro por dois seguranças brancos!”. Gente, essa segregação por parte da Globolixo é gravíssima ! Misericórdia!!!!!! Cadê a justiça do nosso país?

        • Esta aí a explicação porque o TSE contratou a empresa dos “supercomputadores” sem licitação. Não queriam que a população soubesse que o sistema é vulnerável e passível de fraude.

  3. A China, criou a dificuldade(pandemia), para vender a facilidade(vacina).
    Qualquer corrupto brasileiro de quinta categoria, sabe como isto funciona.
    Agora é só a babaquice de Pindorama exaltar o feito chinês e obrigar o governo a comprar aquilo que por obrigação moral, deveria dar de graça.
    Humanismo no mundo, esta só na cabeça de alienado.

  4. Interessante que na China (onde foi fabricado o vírus
    Covid-19),com uma população de mais de 1,2 BILHÕES de pessoas,NÂO TEVE NEM PRIMEIRA ONDA E SEGUNDA ONDA DA PANDEMIA.

    Por que será?

  5. O nome certo não é reforma. É DRENAR O PÂNTANO.

    Todas as entidades mundiais,como,por exemplo,a ante-sala da Nova Ordem Mundial, a ONU,devem ser extintas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *