Bolsonaro ignora digital de Carlos em indicação de Ramagem : “E daí?”

“Devo escolher alguém amigo de quem?”, questionou Bolsonaro

Bernardo Caram
Folha

O presidente Jair Bolsonaro defendeu neste domingo, dia 26, para o comando da Polícia Federal o nome de Alexandre Ramagem, que é amigo de seu filho Carlos Bolsonaro. “E daí?”, respondeu, após ser questionado em uma rede social sobre a proximidade familiar com o escolhido.

O presidente também disse que o ex-ministro da Justiça Sergio Moro mentiu ao afirmar que houve tentativa de interferência política na atuação da PF. Após a demissão de Maurício Valeixo da direção-geral da PF e a consequente saída de Sergio Moro do governo, Bolsonaro escolheu o diretor-geral da Abin (Agência Brasileira de Inteligência), Alexandre Ramagem, para chefiar a polícia.

RUBRICA DE CARLUXO – O nome foi defendido pelo vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ). Em foto postada em redes sociais, Ramagem aparece em uma festa ao lado do filho do presidente, que é alvo de apuração da PF.

No Facebook, Bolsonaro foi questionado por uma mulher sobre o fato de Ramagem ser amigo de seus filhos. “E daí? Antes de conhecer meus filhos, eu conheci o Ramagem. Por isso deve ser vetado? Devo escolher alguém amigo de quem?”, disse.

Foto postada por Carlos Bolsonaro em rede social mostra à direita do vereador o delegado Alexandre Ramagem (camisa estilo xadrez), escolhido pelo presidente Jair Bolsonaro para o comando da PF – Reprodução/Carlos Bolsonaro no Instagram

Outro usuário da rede social postou na página de Bolsonaro reportagem da Folha publicada neste sábado, dia 25, que revelou que a Polícia Federal identificou Carlos como um dos articuladores de um esquema criminoso de fake news. Dentro da Polícia Federal, não há dúvidas de que Bolsonaro quis exonerar Valeixo, homem da confiança de Moro, porque tinha ciência de que a corporação havia chegado a seu filho.

LIBERDADE DE EXPRESSÃO – Em resposta ao usuário, o presidente criticou o jornal. “Acreditando na Folha de S.Paulo. Só quando criminalizarem a liberdade de expressão você vai aprender”, escreveu na rede social.

Os comentários do presidente foram feitos em uma postagem na qual ele diz que não trocou nenhum superintendente da PF e que as indicações foram feitas pelo próprio ministro Moro ou pelo diretor-geral. “Lamentavelmente o ex-ministro mentiu sobre interferência na Polícia Federal”, disse Bolsonaro.

FAKE NEWS – O inquérito que agora envolve Carlos foi aberto em março do ano passado pelo presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Dias Toffoli, com o objetivo de apurar o uso de notícias falsas para ameaçar e caluniar ministros do tribunal.

O filho do presidente é investigado sob a suspeita de ser um dos líderes de grupo que monta notícias falsas e age para intimidar e ameaçar autoridades públicas na internet. A Polícia Federal também investiga a participação de seu irmão Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), deputado federal.

A partir de depoimentos e indícios já coletados, a PF agora busca um conjunto de provas que sustente um indiciamento ao fim da investigação. Procurado pela Folha por escrito e por telefone, o chefe de gabinete de Carlos não respondeu aos contatos.

REVOLTA – Após a publicação da reportagem, Carlos compartilhou na noite deste sábado o texto em uma rede social acompanhado da seguinte mensagem: “Esquema criminoso de… notícias falsas. O nome em si já é uma piada completa! Corrupção, tráfico, lavagem, licitações? Não! E notaram que nunca falam que notícias seriam essas? É muito mais fácil apontar manipulação feita pela grande mídia. Matéria lixo!”.

O vereador acrescentou: “Não é necessário esquema de notícia pra falar o que penso sobre drácula, amante, botafogo, nervosinho, aproveitadores, sabotadores, ou sobre quem quer que seja! Há quem faça isso, e são aqueles que mais acusam. Sabemos quem é amiguinho dos jornalistas que direcionam ataques!”.

No início da tarde deste domingo, Carlos publicou em rede social duas fotos de Moro. A primeira mostra o ex-juiz conversando com o hoje deputado federal Aécio Neves (PSDB-MG), à época senador. Na segunda, Moro aparece acompanhado do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e da deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP). A publicação é acompanhada do texto “Já que dizem que uma foto diz muito, espero destes acusadores que valha para todos”.

PROXIMIDADE – Carlos e Ramagem ficaram ainda mais próximos nos primeiros meses do governo, quando o delegado que cuidou da segurança de Jair Bolsonaro na campanha de 2018 teve cargo de assessor especial no Palácio do Planalto. Carlos é apontado como o mentor do chamado “gabinete do ódio”, instalado no Planalto para detratar adversários políticos.

Segundo aliados de Moro, ao mesmo tempo em que a PF avançava sobre o inquérito das fake news, Bolsonaro aumentava a pressão para trocar Valeixo.

A exoneração de Valeixo do cargo de diretor-geral da corporação levou Moro a pedir demissão. Ele acusou Bolsonaro de tentar interferir politicamente na polícia.

24 thoughts on “Bolsonaro ignora digital de Carlos em indicação de Ramagem : “E daí?”

  1. Saudades do Lula. Seu filho nunca ocupou cargo público. Foi acusado de tudo e mais um pouco. E ninguém nunca o defendeu. A imprensa sempre alardeava qdo Lulinha era indiciado em mais alguma falsa acusação.

  2. “O senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), filho do presidente Bolsonaro, teria financiado e lucrado com construção de prédios da milícia erguidos com dinheiro público, segundo publicou, ontem, o site The Intercept Brasil, com base em documentos sigilosos do Ministério Público do Rio. A investigação do MP, que preocupa a família Bolsonaro, fez com que os advogados de Flávio pedissem por nove vezes a suspensão do procedimento.

    O andamento do processo, inclusive, é apontado pelo Intercept como um dos motivos para a pressão de Bolsonaro ao então ministro Sergio Moro para troca do comando da PF.

    Segundo promotores teriam afirmado ao site, sob anonimato, o investimento para construir teria sido feito com dinheiro de ‘rachadinha’ coletado no gabinete de Flávio na Alerj, que teria contado com ajuda de Fabrício Queiroz. O papel de ‘investidor’ que seria exercido por Flávio no esquema explicaria a evolução patrimonial do senador.
    (Jornal O Dia – 26/04/2020)

  3. Sem argumentos, Bolsonaro apela chamando Moro de mentiroso. Patético governo e melancólico presidente. Bolsonaro sobreviveu da facada, Mas ficaram sequelas de impaciência, ódio e falta de grandeza e diálogo nas ações do chefe da nação.

  4. Blindado agora pelo Centrão o boçal vai fazer o governo que sempre quis, governar com os filhos e atendendo os interesses da famiglia dele. Vamos ter a continuação do governo do Temer. E nada mais.

  5. Se eu fosse Bolsonaro…

    Se eu fosse o Bolsonaro eu apareceria amanhã com um Rolex foda comprado com um dos cartões corporativos, demitiria todos os ministros e colocaria todos por indicação política, liberaria os presos, aumentaria todas as taxas de juros, lotearia as estatais e distribuiria o dinheiro do roubo num novo mensalão.

    Acabaria com todos os acordos com os EUA e voltaria a injetar dinheiro em ditaduras estrangeiras, voltaria a dar milhões para as ONGs, estatizaria todas as empresas privatizadas nas últimas décadas, daria alvará para o MST voltar a invadir terras alheias, colocaria 2% do PIB para lei Rouanet.

    Voltaria o sigilo para operações bancárias de crédito, voltaria a ter 29 ministérios dando um a cada partido…

    Voltaria e aumentava a taxa sindical, tiraria os critérios de ficha limpa para cargos comissionados, revogaria o pacote anti-crime, revogaria a reforma da previdência, revogaria a lei de combate a fraudes previdenciarias, voltaria imposto total para o cancer e HIV…

    Devolveria todas as drogas apreendidas nesse tempo para o PCC e o CV, voltaria todos os processos que foram digitalizados para papel e presencial, voltaria os 21 mil cargos e funções remuneradas por indicação no governo, tiraria a internet gratuita para os 3 milhões de estudantes, tiraria o Brasil do acordo de livre comércio entre o Mercosul e União Europeia…

    Voltaria a irrigar a mídia com dinheiro , entre mil outras medidas!!!

    E foda-se esse povo ingrato e ignorante!

    A final a mídia iria noticiar “finalmente Bolsonaro começou a dar certo”

    E.S.H.

  6. SAIBAM EM QUE POLÍTICOS JAMAIS DEVEREMOS VOTAR , ESPECIALMENTE OS POLÍTICOS DO “CENTRÃO” E EM QUAIS PARTIDOS ESTES POLÍTICOS ESTÃO, PARA QUE NÃO VOTEMOS NESTES PARTIDOS EM HIPÓTESE ALGUMA. SÃO TODOS FISIOLÓGICOS E TÊM FICHA CORRIDA NA POLÍCIA. NENHUM CANDIDATO DESTES PARTIDOS MERECE NOSSA CONFIANÇA, MESMO OS QUE NÃO ESTÃO RELACIONADOS NA REPORTAGEM

    https://oglobo.globo.com/brasil/bolsonaro-busca-apoio-de-liderancas-do-centrao-em-meio-crise-24394344

  7. Excelente análise no link abaixo.

    Então o print enviado para o Jornal Nacional se referia as arbitrariedades do inquérito ilegal, imoral e inconstitucional do STF, nesse caso com relação as fake news, e o ex-ministro consentiu, concordou com essa ilegalidade? O presidente faz um questionamento que deveria ter sido feito pelo ministro da justiça. Valeixo e Moro estavam a serviço do STF? Qual o preço?

    https://www.youtube.com/watch?v=O2mwymAxyR8

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *