Bolsonaro indica Augusto Aras para um novo mandato de ‘prevaricador-geral da República’

O presidente Jair Bolsonaro cobre a boca e fala algo no ouvido do PGR Augusto Aras

Bolsonaro agradece a Aras os “bons serviços” prestados

Pedro Henrique Gomes, Gustavo Garcia e Rosanne D’Agostino, G1 — Brasília

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta terça-feira (20) em uma rede social que indicou o atual procurador-geral da República, Augusto Aras, para um novo mandato de dois anos no cargo – o atual vai até setembro.

“Encaminhei ao Senado Federal mensagem na qual proponho a recondução ao cargo de Procurador-Geral da República o Sr. Antônio Augusto Aras”, publicou o presidente da República.

SENADO DECIDE – A indicação do procurador-geral da República é prerrogativa do presidente. Cabe ao Senado sabatinar o indicado e, em seguida, aprovar ou rejeitar a nomeação.

A sabatina acontece na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), e a votação, secreta, no plenário do Senado. Para poder ser reconduzido ao cargo, Aras precisa de pelo menos 41 votos favoráveis.

“Honrado com a recondução para o cargo de procurador-geral da República, reafirmo meu compromisso de bem e fielmente cumprir a Constituição e as Leis do País”, declarou Aras em resposta à postagem, segundo material divulgado pela própria PGR.

FORA DA LISTA – Aras foi indicado por Bolsonaro para assumir o comando do Ministério Público Federal em setembro de 2019. O nome do procurador não estava na lista tríplice elaborada pela associação nacional da categoria, rompendo uma tradição que se mantinha desde o primeiro governo Lula.

Apesar disso, a indicação foi aprovada pelo Senado em 2019 por 68 votos a 10. Ao propor a recondução de Aras, Bolsonaro volta a ignorar a lista tríplice da Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR). A relação de nomes, composta pelos membros do Ministério Público em votação em junho, não incluiu Augusto Aras.

A subprocuradora Luiza Frischeisen foi a mais votada – a primeira mulher a encabeçar a lista. Também foram incluídos os nomes de Mario Bonsaglia e Nicolao Dino. A lei não obriga Bolsonaro a seguir a indicação dos procuradores.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Já era esperado que Bolsonaro reconhecesse o servilismo de Aras, que acaba de recebeu uma humilhação da ministra Rosa Weber. Como Aras relutava em abrir inquérito sobre crime cometido pelo presidente da República, a ministra determinou que o procurador não se comportasse como “espectador dos atos dos três Poderes”. E Aras imediatamente atendeu à ordem de Rosa Weber. Ele se comporta como um lacaio, no estilo de Geraldo Brindeiro, que nos anos FHC ficou famoso como “engavetador-geral da República”. Mas eu prefiro classificar Aras como “prevaricador-geral da República”, porque é assim que ele comporta, bem pior do que Brindeiro. (C.N.)

8 thoughts on “Bolsonaro indica Augusto Aras para um novo mandato de ‘prevaricador-geral da República’

  1. É a nova política.
    Nada como um dia após o outro.
    Ja notaram quantas indicações foram feitas por Lula / Dilma que se tornaram gratuitamente algozes deles? O exemplo máximo foi Joaquim Barbosa, aquele que não encontrando provas contra J Dirceu, aplicou a “Teoria do Domínio do Fato” sem haver fato!

  2. Agora é de se esperar que o Senado faça o seu trabalho alguma vez, isto é, rejeite a indicação, logo, afastando esse que, sem dúvida, é o pior dos prevaricadores-gerais da república.
    Isso porque não sai ileso sua conduta frente à Constituição.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *