Bolsonaro insinua que os militares são “poder moderador” e o apoiarão num golpe

No Planalto, Bolsonaro promoveu 21 novos oficiais-generais

Vinícius Valfré
Estadão

Em cerimônia de promoção de oficiais nesta quinta-feira, 12, no Palácio do Planalto, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que as Forças Armadas dão “apoio total” às decisões dele e, ainda, voltou a se referir a Exército, Marinha e Aeronáutica como “poder moderador” no sistema constitucional do País. Trata-se, na realidade, de uma interpretação equivocada que o chefe do Executivo dá ao artigo 142 da Carta de 1988, para sugerir que os militares poderiam ser acionados por critérios políticos.

“O momento é de satisfação e alegria para todo o Brasil. Nas mãos das Forças Armadas, o poder moderador. Nas mãos das Forças Armadas, a certeza da garantia da nossa liberdade, da nossa democracia, e o apoio total das decisões do presidente para o bem da sua nação”, afirmou.

BOM E JUSTO – Em breve mensagem aos novos oficiais-generais promovidos, Bolsonaro afirmou que os militares “sabem o que é bom e o que é justo para o nosso povo”.

“Como chefe da nação, a tranquilidade que tenho com o trabalho de vocês me conforta nos momentos difíceis. Obrigado por existirem, obrigado pela tradição e pelo compromisso de dar a vida pela pátria, se preciso for. Quer sejam ameaças externas ou internas. Nós sabemos o que é bom e o que é justo para o nosso povo”, afirmou.

Desde a primeira metade do mandato de Jair Bolsonaro, aliados mais radicais disseminam a ideia de que a Constituição permitiria um decreto de “intervenção militar” do Executivo contra “excessos” do Supremo Tribunal Federal (STF). Para juristas, no entanto, a interpretação é absurda e faz com que o presidente flerte com crimes de responsabilidade.

AGU NÃO ACEITA – A própria Advocacia-Geral da União (AGU), cujo chefe é escolhido por Bolsonaro, já sedimentou o entendimento de que a classificação das Forças como poder moderador é indevida. A manifestação foi enviada ao STF em julho de 2020, em uma ação do PDT. A Suprema Corte tem decisões no mesmo sentido.

“Somente é possível conceber que a Constituição da República, ao dispor sobre a função castrense de garantia dos poderes funcionais, trouxe consigo a concepção de que não é dado a um poder invocar ou uso da força contra outro poder, até mesmo porque, conduta desse quilate conspurcaria irremissivelmente o próprio sistema de freios e contrapesos”, frisou o então AGU, José Levi, que deixou o cargo em março deste ano.

Na mesma época, o interesse de Bolsonaro em imiscuir as Forças Armadas em seus conflitos políticos resultou na crise que levou à demissão de toda a cúpula do Exército, da Marinha e da Aeronáutica.

ALINHAMENTO AUTOMÁTICO – O presidente pediu o cargo do então ministro da Defesa, general Fernando Azevedo e Silva, porque ele se recusava a garantir um alinhamento automático e a manifestar apoio das Forças a posições pessoais do presidente.

Bolsonaro também sugeriu que as Forças Armadas poderiam ser chamadas para atuar como “moderadoras” durante a reunião ministerial de 22 de abril de 2020, que teve o vídeo divulgado no mês passado por ordem do ministro do STF Celso de Mello.

No encontro com auxiliares, o mandatário cita o artigo e fala em “pedir as Forças Armadas que intervenham pra restabelecer a ordem no Brasil, naquele local sem problema nenhum”.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Ao persistir em insinuar que as Forças Armadas deverão apoiar o golpe de estado que planeja dar, Bolsonaro não percebe que está fazendo um papel patético, paranoico e ameaçador, como condutor de uma República de Bananas, como destacou essa semana o jornal britânico The Guardian. O presidente é uma vergonha nacional, não há mais dúvida. (C.N .)

13 thoughts on “Bolsonaro insinua que os militares são “poder moderador” e o apoiarão num golpe

  1. Para os que estão vivendo um momento de satisfação e alegria no Brasil, pelo fato confiar que o poder esta nas mãos das Forças Armadas e que isso é a certeza da garantia da nossa liberdade e da nossa democracia, esse pensamento me faz lembrar que também na Venezuela, tudo começou com um Tenente Coronel do Exercito Venezuelano.

    • Sr. Armando, essa juventude tá num torpor musical com fones de ouvido do tamanho de bacias de lavar roupa.
      Muita goró, drogas de tudo que é tipo é cabelos coloridos metalizados.
      Eles acham que isso é liberdade! pobres coitados!

      Tem carros com tanta potência no som que se desligar o motor, o carro continua andando sozinho. rsrs

      Pior juventude política de todos os tempos.

      Será que estou exagerando?

      Um forte abraço.
      JL

      • Sr. Espectro,

        O Sr. está mais do que correto, está corretíssimo..!!
        È isso ai que descreveu para pior.
        Só postei a matéria para ver como os jornalistas vivem na maionese.

        abraço

  2. É aí lira?

    Não era que o Satã ia ficar quietinho depois da derrota.
    Cadê que tá aceitando democraticamente?

    Mete um Impeachment bem no meio do cornos desse FDP!!

    Abre o olho lira, que quem pode acabar rodando é você.

    Esse demônio não é confiável.
    É um perigo nacional!!!

    IMPEACHMENT JÁ!!

    JL

    https://www.google.com/url?sa=t&source=web&rct=j&url=https://www.oantagonista.com/brasil/em-live-bolsonaro-chama-barroso-de-mentiroso-e-tapado/amp/&ved=2ahUKEwjX-eO31KzyAhVLrpUCHS99DVUQlO8DegQILBAB&usg=AOvVaw0uiCG7eg1Zqr2zz8BlKbRx&ampcf=1

  3. Alguém tem que tirar esse cara de lá. Não dá mais para aguentar esse tresloucado. O país está dilacerado e ainda temos um desgraçado para ajudar a piorar. Vá pro inferno!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *