Bolsonaro ironiza pesquisa que o aponta como responsável por 58% dos ataques a veículos e jornalistas

Bolsonaro opta pelo estilo “zoeiro” nas redes para argumentar

Deu no Estadão

O presidente Jair Bolsonaro ironizou um levantamento da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) sobre ataques à imprensa. O relatório da entidade, divulgado na quinta-feira passada, mostra que 208 ataques a veículos de Comunicação e jornalistas foram registrados no ano passado. Bolsonaro foi responsável por 121 desses casos, segundo a Fenaj, ou 58% do total.

Pelas redes sociais, o presidente reagiu com ironia. “HAHAHAHAHAHAHA. KKKKKKKKKKKKKKK.” O comentário foi publicado na conta oficial do Facebook e do Twitter do chefe do Planalto.


IRONIA – Bolsonaro respondeu ainda a um seguidor que perguntou como o levantamento chegou ao índice. “Pegaram o QI médio da galera da imprensa. Deu 58”, escreveu o presidente. Nos últimos dias, ele passou a responder internautas diretamente em comentários feitos nas publicações em sua página oficial.

Conforme o relatório da Fenaj, a maior parte dos ataques de Bolsonaro foi contabilizada na categoria “descredibilização da imprensa”. “Em 2019, a modalidade tornou-se a principal forma de ameaça à liberdade de imprensa no Brasil e foi incluída no relatório diante da institucionalização da prática”, disse a Fenaj.

MINISTÉRIO DA CULTURA – Bolsonaro evitou comentar uma possível recriação do Ministério da Cultura para abrigar a atriz Regina Duarte no governo federal. Questionado por jornalistas sobre essa possibilidade no momento em que tirava fotos com simpatizantes na Praça dos Três Poderes, ele disse: “Vou ficar te devendo”. Bolsonaro e Regina devem se encontrar nesta segunda-feira, 19, no Rio.

A atriz foi convidada a assumir a Secretaria Especial de Cultura no lugar de Roberto Alvim, demitido do cargo após protagonizar um vídeo com referências ao nazismo.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Os números apresentados pela federação evidentemente podem e devem ser questionados. E, democraticamente, o presidente tem o direito de defesa. Caso a caso, a sua reação a supostos ataque tem, claro, duas versões. Entretanto, ver um ocupante de um cargo de extrema representatividade respondendo a jornalistas com tiradas como “você está falando da sua mãe?” ou “você tem uma cara de homossexual terrível” é o fim da picada e expõe todo o País ao ridículo internacionalmente. O comportamento chulo e ogro de Bolsonaro reflete a falta de argumentos e faz com que toda defesa que supostamente faça caia por terra. Em tempo, ao mesmo tempo que gasta o seu tempo usando as redes sociais com “kkkkks” no estilo “Bolsonaro zoeiro”, deveria se ocupar respondendo a questões importantes que são caladas de acordo com a sua vontade pessoal. (Marcelo Copelli)

5 thoughts on “Bolsonaro ironiza pesquisa que o aponta como responsável por 58% dos ataques a veículos e jornalistas

  1. Risada melancólica e decadente de um chefe da nação que deveria se dar o respeito. Intolerável reação. Digna de um irresponsável que deveria ter auto-crítica. Com exemplos e reações grandiosas .

  2. A cada ação corresponde a uma reação igual e no sentido contrário.
    O presidente ainda não encarnou a figura de Judas de Quaresma, se ele der mole para o jornalismo engajado de esquerda perde a moral.
    Quando a Tribuna vai fazer uma análise estatística de quantas vezes o presidente foi atacado pela imprensa?
    Eu acho que jornalismo é uma coisa, mas viver procurando batom na cueca é outra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *