Bolsonaro já fala em ser candidato à reeleição: “A pressão está muito grande”, diz ele

Imagem relacionada

Bolsonaro deu entrevista à rádio Jovem Pan, do grupo Estadão

Gustavo Schmitt
O Globo

O presidente Jair Bolsonaro admitiu nesta segunda-feira a possibilidade de se candidatar à reeleição, em 2022. Bolsonaro, no entanto, condicionou uma eventual candidatura à aprovação de uma reforma política para reduzir o tamanho da Câmara e Senado. E ponderou também que apenas será candidato se seu estado de saúde mantiver o quadro de evolução. O presidente passou por uma cirurgia de reconstrução do trânsito intestinal após ser esfaqueado na barriga, em setembro, durante um ato de campanha.

“A pressão está muito grande para que se eu estiver bem, que me candidate à reeleição” — disse o presidente, em entrevista a Augusto Nunes, da rádio Jovem Pan, no Palácio do Planalto.

DESGRAÇA – Bolsonaro prometeu que, caso seja candidato, fará diferente de outros políticos brasileiros, cuja reeleição, segundo ele, acaba se tornando uma espécie de “desgraça”, e que só se tona possível por meio de “acordos espúrios que levam a escândalos de corrupção”.

Ao fazer essa menção, Bolsonaro disse estar se referindo ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva: “Não quero jogar dominó com ninguém em Curitiba” — provocou o presidente, numa referência à sede da Polícia Federal, onde Lula cumpre pena de 12 anos e um mês de prisão após a condenação no caso do tríplex do Guarujá.

Bolsonaro reconheceu que a proposta de seu governo de reforma da Previdência é impopular, e afirmou que não teme que o projeto cause qualquer empecilho a uma eventual candidatura: “Se eu pensasse em reeleição faria uma reforma light, ou não faria. Mas (sua eventual candidatura) poderia não sobreviver em 2022” — concluiu.

OUTRO PODER – Bolsonaro afirmou que a aprovação da reforma da Previdência agora “depende de outro poder”, o Legislativo, mas frisou que o executivo “tem feitos gestões”, já que tem uma grande bancada de deputados.

“A proposta mais importante vem da economia, do ministro Paulo Guedes. A reforma depende agora de outro poder – disse o presidente. Ele frisou que a aprovação do projeto seria positivo para o mercado financeiro e aumentar a confiança dos investidores.

O presidente afirmou que a aprovação da proposta não será fácil em razão da oposição que, em suas palavras, “torce pelo pior”. Contudo, ele disse que até mesmo o PT torce pela aprovação da proposta, embora não queira o desgaste político que o projeto acarreta.

“TORCIDA DO PT” – “O pessoal do PT está torcendo pra aprovar a previdência sem o voto deles. Os governadores deles também precisam. Eu conversei com o governador do Ceará” – disse o presidente.

O presidente também foi questionado sobre polêmicas que ocorreram após postagens dele e dos seus filhos no Twitter. Bolsonaro disse que não se arrepende e afirmou que seu filho, o vereador Carlos Bolsonaro, é quem auxilia na coordenação dos trabalhos.

O presidente disse que a rede social não toma mais de meia hora do seu dia e negou que as postagens de Carlos atrapalhem o governo. “Ele (Carlos) que me colocou aqui. Atrapalhando o quê? Acho que ele deveria ser ministro. Mas ele não está pleiteando isso. Foi a mídia dele que me colocou aqui”- afirmou o presidente.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Bolsonaro continua enfeitiçado pelas redes sociais e pelos filhos. É um erro. A campanha acabou, agora é governar. Na sucessão de 2022, vai enfrentar muitos pesos-pesados, como Fernando Haddad, João Dória, Ciro Gomes, Wilson Witzel, Hamilton Mourão e Sérgio Moro. Será uma bela disputa. (C.N.)

39 thoughts on “Bolsonaro já fala em ser candidato à reeleição: “A pressão está muito grande”, diz ele

  1. Pesos pesados quem? Fernando Haddad, João Dória, Ciro Gomes, Wilson Witzel, Hamilton Mourão? Haddad, sequer se reelegeu em Sampa, Dória será testado e desgastado agora, Ciro tem como seu maior carrasco, sua língua. Witzel teve como carro chefe de campanha, o fim das vistorias que além de não terem acabado, ficaram ainda piores, enquanto ele se deslumbra com o governo do estado mais mal afamado do país, o que ele fala não se escreve. General Mourão terá sua vida virada de trás para frente e como vice pouco ou nada influi. Bolsonaro percorre agora o mesmo caminho que deixou Temer com quase zero de popularidade. Fosse hoje aprovado como está, o que ele e seu “guru” mandaram para o Congresso, o baque no povo teria repercussões bastante desagradáveis, principalmente, quando a ficha caísse. Tanto para ele quanto para os políticos da lista que percorreria todo país. Com, sem ou apesar dos esforços de Zuckerberg para derrubar o Whatsapp que comprou. Sobra Moro, mas não acredito que ele se candidate.

  2. The Guardian:

    Brasil substitui ministro da educação de extrema direita por teórico da conspiração da direita que acredita que o crack foi introduzido no Brasil como parte de uma trama comunista.

    http://twixar.me/Z4gK

    Brasil segue como piada internacional

    Com os aplausos dos militares bolsonaristas olavetes que estão com Jair na aventura pilotar o país.

  3. Editado sem número

    “No dia 9 de abril de 1964, a junta militar, representando o Comando Supremo da Revolução, baixou o primeiro ato institucional redigido por Francisco Campos. Editado sem número, o documento passaria a ser designado como AI-1 somente após a divulgação do segundo ato.”

  4. “…Composto de 11 artigos, o AI-1 era precedido de um preâmbulo onde se afirmava que, “a revolução, investida no exercício do Poder Constituinte, não procuraria legitimar-se através do Congresso, mas, ao contrário, o Congresso é que receberia através daquele ato sua legitimação. Além de conceder ao comando revolucionário as prerrogativas de cassar mandatos legislativos, suspender direitos políticos pelo prazo de dez anos e deliberar sobre a demissão, a disponibilidade ou a aposentadoria dos que tivessem ‘atentado’ contra a segurança do país, o regime democrático e a probidade da administração pública”, o AI-1 determinava em seu artigo 2º que dentro de dois dias seriam realizadas eleições indiretas para a presidência e vice-presidência da República. O mandato presidencial se estenderia até 31 de janeiro de 1966, data em que expiraria a vigência do próprio ato….”

    • Bolsonaro é um politicalha dos mais inescrupulosos, um camaleão sincretista: em entrevista a Leda Nagle afirmou ser católico, foi a Israel batizar-se no Rio Jordão com um pastor, depois foi ao santuário de Aparecida agradecer a vitória. Isso sem mencionar sua devoção a Nergal, o deus das polícias no inferno caldeu. Agora, para completar a carga, o presidente mergulha de cabeça, no cartel cosmopolitano mais cruel, o sionismo! Já ia esquecendo o guru Olavo de Carvalho, do qual Jair é fantoche cego.
      Quer dizer, para Bolsonaro, religião, é qualquer coisa que lhe atraia votos e consolidação no poder. Digamos que o farsante seja ecumênico.

      • Às vezes vou na gira de umbanda para descarregar as pragas que recebo aqui na TI mas sou católico.

        E dai?

        “Na casa de meu Pai há muitas moradas” – Jesus Cristo

    • Boçalnaro parece ser seguidor da cabala judaica que foi repassada para ele pelos pastores Malafaias e Maltas da vida.

      Boçalnaro já não esconde de ninguém que está trabalhando para o ocultismo sionistas, mesmo ele se dizendo cristão.

      E por que estou mostrando isso?

      Vários artistas são utilizados por grupos sionistas para os propósitos mais obscuros, mesmo que esses artistas parecer defender algo realmente importante.

  5. Pesos pesados? Haddad só existe como porta-voz de Lula e nas fantasias de colunistas da mídia que o acham maravilhoso. Como candidato é uma nulidade, e Lula deve arranjar outro poste na próxima eleição, até para evitar o risco de que ele desenvolva personalidade própria. Os votos de Haddad no segundo turno em sua maioria não foram a favor dele, mas contra Bolsonaro.
    O Ciro sempre vai ser passado pra trás pelo PT, e não tem base real para fazer uma campanha bem sucedida rumo ao Planalto.

    O Hamilton Mourão só está sendo valorizado no afã de desmoralizar o governo, e será transformado pela mídia na encarnação do mal, numa eventual ausência de Bolsonaro.

    Dória e Witzel terão de mostrar muito serviço em seus estados problemáticos. E Dória já tem contra si o fato de estar em campanha permanente, o que já acabou com a carreira do Serra.

  6. Bolsonaro disse que não nasceu para ser presidente. Agora pretende ser reeleito. Dá para entender.
    Bolsonaro faria um bem enorme a nação se acabasse com a reeleição.

  7. Bolsonaro, já é grande decepção, junto com o Sinistro Paulo Guedes, estão entregando a Soberania Nacional aos banqueiros, e a matriz EUA. O maior eleitor de Bolsonaro, foi o cara que o esfaqueou, não deixando que fosse aos debates, e mostraria sua “santa ignorância”, o eleitor: 57 milhões, deu seu voto de confiança (inclusive o meu), com a Esperança de ver os corruptos ladrões do cofre na cadeia, e o BRASIL Soberano e Justo, por sua formação militar (apesar de ser indisciplinado), os militares lhe deram a vaga na Câmara, e de seus filhos de cargos políticos; nosso povo pacifico e acolhedor de outros irmãos em Deus, de outras terras, é recebido de braços abertos, Infelizmente, aos Bolsonaros, está faltando o Amor à Pátria, na frase do Almirante Barroso: “O Brasil espera que cada um cumpra deu DEVER” na Guerra do Paraguai, saímos vitoriosos da batalha.
    O Sinistro da Economia Paulo Guedes, indiciado, convocado 4 vezes, para se explicar do rombo de 6 bilhões, por sua Firma, na Caixas de pensões das Estatais,não compareceu a nenhuma, e o Presidente, o nomeia Sinistro da Economia, que saudades do Itamar Franco: seus Ministros se indiciados, o dispensavam, para ir se defender, se inocentes, voltariam ao cargo!!! É uma piada de muito mal gosto, querer se reeleger, se ainda, com 109 dias, ainda não começou a Governar para o Brasil ser “Soberano”. Somos uma Nação rica na natureza, e pobreza do Povo. Que Deus-Pai, nos socorra com sua Misericórdia, pois, estamos a beira do abismo.

  8. Caro CN, Bolsonaro foi eleito para dar um giro de 180 graus no modo de governar, combatendo a corruptocracia tucano-petista (aliada dos bandidos), infiltrada em _todos os setores da vida nacional: executivo, legislativo, judiciário e mídia prostituída (Rede Gaybells, Foice de São Paulo e Esquerdão). Massacrado diuturnamente pelos mé®dia, que nem mesmo o reconhece como Presidente, as redes sociais é o que lhe restou para defender-se das fake-news e calúnias de pseudo-jornalistas.

  9. Uma boa piada para rir muito hoje:
    O candidato “peso pesado” [kkkkk] Ciro Gomes, que ia mudar de pais se Bolso fosse vitorioso…., chamou o presidente de idiota….ora Ciro foi candidato a Presidente tres vezes e o idiota ganhou na primeira….adivinha quem e o idiota que foi passado para tras por Lula????
    kkkkkkkkkkkkkkkkkk

  10. A maquina de sujar e esfaquear reputações está a todo vapor.
    Intelectuais dos apelidos e das pedradas estão babando e uivando.
    Exorcizar Exus Malignos é doloroso até de se ver.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *