Bolsonaro lamenta tentativa de ligar seu nome e de Carlos com caso Marielle

Empurra-empurra entre os que queriam se aproximar de Bolsonaro

Ana Letícia Leão
O Globo

O presidente Jair Bolsonaro afirmou, na manhã desta sexta-feira, dia 15, ao chegar ao Forte dos Andradas, em Guarujá, litoral de São Paulo, que ficou “chateado” ao citar um pedido do PT ao Supremo Tribunal Federal (STF) para que seja realizada busca e apreensão na casa de seu filho Carlos Bolsonaro, no Rio, por possível obstrução de Justiça no acesso aos registros do condomínio visitado por Élcio Queiroz, um dos suspeitos de executar a vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ) e o motorista Anderson Gomes, em março do ano passado.

“A vida toca. Vi uma matéria agora que o PT quer fazer uma busca e apreensão na casa de um filho meu no Rio de Janeiro. O pessoal vê sobre busca e apreensão e pensa que está metido com coisa errada. Eles querem é saber se eu tenho ligação com Caso Marielle. Não conseguiram nada comigo, vão pra cima de um filho meu. É muita marola, mas deixa a gente chateado, não há dúvidas”, disse ao se referir à uma nota publicada no site O Antagonista que afirma estar sobre a mesa do ministro Alexandre de Moraes, do STF, um pedido do PT para que a Polícia Federal faça uma perícia na memória do interfone dos últimos 10 anos.

“ALVO COMPENSADOR” – Durante conversa com jornalistas na porta do forte, o presidente ainda se classificou como um “alvo compensador”. Ainda enquanto se preparava para entrar no hotel em que ficará hospedado durante o feriado da Proclamação da República, Bolsonaro questionou o “que teria a ver com a morte desta senhora”.

Na entrada, o presidente foi recebido por aproximadamente 30 pessoas que o aguardavam para tirar fotos. Houve empurra-empurra e gritaria de alguns que queriam se aproximar de Bolsonaro.

DEPOIMENTO DO PORTEIRO – “Tem 150 pessoas morando no meu condomínio, agora se roubam uma galinha vão me acusar de ter feito uma galinhada”,afirmou. Reportagem do “Jornal Nacional” divulgada no fim de outubro revelou que um dos porteiros afirmou em depoimento à Polícia que registrou no livro de visitantes o nome de Queiroz, o modelo do carro, um Logan, a placa, AGH 8202, e a casa a que o visitante iria, a de número 58, que pertence ao presidente Jair Bolsonaro.

Queiroz é acusado pela Polícia de ser o motorista do carro usado no assassinato da vereadora e do motorista. Ainda segundo o depoimento revelado pelo JN, o porteiro contou que, depois que Élcio entrou, ele acompanhou a movimentação do carro pelas câmeras de segurança e viu que o carro tinha ido para a casa 66 do condomínio.

CASA DE LESSA – A casa 66 era onde morava Ronnie Lessa, acusado de matar Marielle e Anderson. Lessa é apontado pelo Ministério Público do Rio e pela Delegacia de Homicídios como autor dos disparos.

Na semana retrasada, o colunista Lauro Jardim revelou  que a Polícia já sabia que o porteiro que prestou depoimento e anotou no livro o número 58 (o da casa do presidente Jair Bolsonaro) não era o mesmo que fala com o PM reformado Ronnie Lessa (dono da casa 65) no áudio divulgado por Carlos Bolsonaro e periciado em duas horas pelo Ministério Público.

VILA BELMIRO – Bolsonaro ainda disse que irá, neste sábado, à Vila Belmiro para assistir à partida entre Santos e São Paulo, que ocorre no final da tarde. “O pessoal sabe que eu torço para o Palmeiras, mas como amante de futebol estou indo lá para assistir a um espetáculo, tenho certeza. A torcida do Santos vai me tratar com respeito como eu sempre tratei o Brasil”.

Nesta sexta-feira, internautas protestaram nas redes sociais contra a ida do presidente à Vila Belmiro para assistir à partida. Torcidas organizadas do Santos também se pronunciaram contra a ida do presidente.

Bolsonaro pousou na Base Aérea de Santos e, antes de chegar ao forte, por volta de 10h, disse que parou em uma lanchonete no centro de Guarujá que estava sendo inaugurada. O presidente ainda disse que não vai participar de comemorações da Proclamação da República. “Apesar de estar muito bem acomodado no Alvorada, variar o ambiente é muito bom. Daqui a pouco deve ter um churrasquinho ali, coisa rara”.

PASSEIO DE MOTO – Essa não é a primeira vez que Bolsonaro se hospeda no hotel do forte. Na Páscoa deste ano, ele esteve no local e aproveitou o descanso para dar uma volta de moto pela cidade. Na entrada, parou o veículo, tirou o capacete e foi cercado por aproximadamente dez pessoas que tentavam se aproximar e tirar foto ao seu lado.

O Hotel de Trânsito da sede da 1ª Brigada de Artilharia Antiaérea tem uma praia privada, protegida por uma área militar e de acesso apenas pela frente do forte. O hotel ficou bastante conhecido por hospedar várias vezes o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a primeira-dama Dona Marisa Letícia por mais de cinco vezes. Em dias normais, o Forte dos Andradas é aberto para visitação pública.

11 thoughts on “Bolsonaro lamenta tentativa de ligar seu nome e de Carlos com caso Marielle

  1. Me expliquem uma coisa:

    Se Boçalnaro sofreu um “atentado”, como ele se expõe desse jeito no meio de algumas pessoas?

    Não teria o risco de sofrer um outro atentado?

    Se sim, provavelmente então esses “fãs” do “mito” não passam de pessoas pagas para estarem ali.

  2. Essa atitude é comum em demagogos, especialmente do PT, que ele está imitando. É uma demonstração falsa de humildade que não cola mais – o que conta é a sua atitude perante os problemas maiores do país, a sua capacidade de conquistar apoio no congresso e enfrentar os juizes do STF que estão debochando do povo e provocando instabilidade civil no país (milicos já eram, já se conformaram com a servilidade).

  3. Quem liga os Bolsonaro à execução da vereadora Marielle, são os fatos, os seus discursos, as suas posições políticas, as suas atitudes, os seus operadores, as circunstâncis e as coincidências, a começar pelo perfil dos seus homens de confiança, ex-militares, reformados ou expulsos da corporação, íntimos e autorizados até a fazer depósito em dinheiro na conta da primeira dama, não obstante ligados às millícias. Quanto ao autor da facada em Bolsonaro, não há dúvida alguma que foi Adelino Bispo, a mando de Deus, segundo o mesmo. Mas, no caso, a julgar pela lógica dos discursos, tudo aponta para possível treta partidária-eleitoral, militar-evangélica, tendo como pivô a disputa de votos nesses segmentos entre Cabo Daciolo e Bolsonaro, à moda Abel e Caim, apenas um deles poderia ir para o 2º turno com os votos dos seus respectivos segmentos sociais. No caso Marielle-Anderson, tb pela lógica dos discursos, e do espírito da coisa, quase tudo apontava para o bolsonarismo, treta político-partidária-eleitoral, face a qual desde o início imaginava-se que o assassino estivesse próximo dos Bolsonaro, mas não tão próximo ao ponto de ser vizinho do chefe do clã, e até consogros na opinião do delegado que desvendou o mistério e colocou o assassino na cadeia, restando saber se o Queiroz que dirigia o carro assassino é irmão ou parente do Queiroz sócio do Flávio Bolsonaro, bem como se a Marille Franco, viva, seria a candidata ao Senado adversária do Flávio Bolsonaro. Ademais, o discurso dos Bolsonaro parece típico de quem acha que tem tudo sob controle, forças armadas, milicianos e até traficantes atuando no varejo, prontos para fazerem os serviços sujos prometidos através dos seus discursos, como, p.ex., matar “uns 30 mil” seres humanos.

  4. No meu bairro, observei que, além de militares e evangélicos, todos os traficantes, drogados e dependentes dos mesmos, votaram em Bolsonaro, e fiquei até pensando que raio de bandidos burros esses que votam em candidatos que discursam no sentido do “bandido bom é bandido morto”. Estranho, muito estranho. Realmente, tem caroços nesse angu.

  5. Tirado da VejaÇ Fitch mantém nota de crédito do Brasil, mas alerta sobre governo Bolsonaro
    O cenário político desafiador e problemas na articulação dificultam o progresso das reformas

  6. Estou com você Sapo de Toga.
    Após os BRICS será que vão “ressuscitar” a CONSTRUÇÃO NAVAL E OFFSHORE?!!!
    Insisto pois se não fosse importante, o Japão já estaria fora a muitas décadas e idem para a Coreia do Sul e idem para a Itália (na construção de navios de passageiros) e mais do que nunca idem para a China que levou de nós(durante o desgoverno da dilmanta) toda as obras offshore para o pre sal.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *