Bolsonaro oferece uma embaixada para ministro do TCU antecipar aposentadoria

O ministro do TCU, Raimundo Carreiro

Raimundo Carreiro pode virar embaixador em Portugal

Lauriberto Pompeu
Estadão

A crise que envolveu o Tribunal de Contas da União (TCU) e o Palácio do Planalto no episódio do relatório paralelo sobre mortes por covid ressuscitou a pressão do presidente Jair Bolsonaro para mudar a composição da Corte. A intenção de Bolsonaro é antecipar em dois anos a aposentadoria de Raimundo Carreiro e influenciar na escolha de um nome mais alinhado ao governo.

Carreiro é apadrinhado pelo ex-presidente José Sarney e pelo senador Renan Calheiros (MDB-AL), relator da CPI da Covid.

UMA EMBAIXADA –
Ao ministro foi oferecida uma vaga de embaixador em Portugal como contrapartida para deixar o TCU antes da aposentadoria compulsória, aos 75 anos, que ele só completará em 2023. O atual embaixador do Brasil em Portugal é Carlos Alberto Simas Magalhães, que está no posto desde o fim de 2019. Há, porém, resistências para que essa operação seja concretizada.

Relator no TCU do processo que trata da aquisição de tecnologia 5G, Carreiro está desde o dia 6 nos Estados Unidos. A comitiva também conta com a participação de Walton Alencar, também ministro do tribunal e integrante de um grupo de trabalho sobre 5G, além dos senadores Flávio Bolsonaro  (Patriota-RJ), Ciro Nogueira  (Progressistas-PI) e do ministro das Comunicações, Fábio Faria.


INDICAÇÃO DO SENADO
– Cabe ao Senado indicar o substituto de Carreiro. Hoje, o nome mais forte para a vaga é o de Antonio Anastasia (PSD-MG). O presidente da Casa, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), é quem conduz as negociações para emplacar Anastasia no TCU, embora negue fazer parte das articulações. 

Embora seja visto como independente, Anastasia é muito próximo ao deputado Aécio Neves (PSDB-MG), que rejeita o rótulo de governista, mas tem atuado como aliado do Palácio do Planalto em várias ocasiões. Nesta quinta, 10, por exemplo, a Comissão de Relações Exteriores da Câmara, presidida por Aécio, aprovou acordo de cooperação tecnológica entre os governos brasileiro e israelense. A ação foi elogiada pelo deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) no Twitter. 

Anastasia entrou na política pelas mãos de Aécio, quando foi vice do tucano no governo de Minas, de 2007 a 2010. Após esse período, ele se elegeu governador e senador. 

TEM TRÊS VOTOS  – Atualmente, dos nove ministros do TCU, Bolsonaro só indicou um até agora: Jorge Oliveira, ex-titular da Secretaria Geral da Presidência. Além dele, os outros dois nomes simpáticos ao governo são Walton Alencar e Augusto Nardes. 

Na tentativa de blindar o governo, Bolsonaro já fez várias mudanças na chefia de instituições e até de empresas estratégicas.

Foi assim que avalizou a troca de comando na Polícia Federal, na Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e na Petrobrás. O presidente também considera o procurador-geral da República, Augusto Aras, como um aliado importante. 

10 thoughts on “Bolsonaro oferece uma embaixada para ministro do TCU antecipar aposentadoria

  1. Uma das figuras mais opacas que tivemos na política!

    Um legítimo água morna, apesar de, nos tempos de hoje, seria considerado como um santo em vida!

  2. O Parlamento dorme no ponto.

    Já era tempo de mudarem a Constituição, para que o indicado para o cargo de procurador-geral da República seja obrigatoriamente entre aqueles indicados na lista tríplice.
    Além disso, também modificando a forma de indicação dos integrantes para o STF, passando as vagas a serem preenchidas com indicação não somente do Presidente da República, mas também da Câmara Federal, alternando com o Senado, em todos passando por sabatina no último.

  3. Incrível como se usa funções importantes, que deveriam ser preservadas para especialistas, como uso político.

    Ser embaixador é para quem fez cursos, estudou, aprendeu a arte de negociar e representar uma nação no exterior.
    Agora, oferecer para qualquer pessoa a título de barganha política, de modo a atender interesses e conveniências, trata-se de um desprezo à função e ao Ministério das Relações Exteriores.

    Então que se feche esse ministério porque, pelo que se nota, não tem utilidade alguma, uma vez que o presidente oferece como troca-troca.

    Nessas alturas sou candidato a ser embaixador em Butão, Belize, Nova Zelândia, Cingapura, Chile, Panamá …
    Olha eu aqui, Bolsonaro!

    Tu não terias mais um crítico veemente contra a tua administração!!
    Podemos negociar.

  4. De oantagonista: “Jair Bolsonaro poderá responder por infrações cometidas em seu passeio neste sábado em São Paulo. A placa da moto usada pelo presidente está coberta e sem identificação.”

    Pergunto: não seria moto roubada?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *