Bolsonaro precisa cassar a concessão da Vale em Brumadinho, agora e sem delongas

Resultado de imagem para Brumadinho

Mais uma tragédia que se repete,mas não poderá ficar impune

Jorge Béja

O rompimento na tarde desta sexta-feira da barragem de Brumadinho não pode ficar impune pelo governo federal como ficou a tragédia de Mariana, três anos atrás. Naquela ocasião, foram muitos os apelos que, em artigos aqui na “Tribuna da Internet”, foram dirigidos à presidente Dilma Rousseff para que cassasse a concessão federal à Samarco. Foi em vão. Nada aconteceu.

Hoje, 25 de janeiro de 2019, nova tragédia se repete na mesma Minas Gerais, sem que ainda se saiba a sua verdadeira dimensão. Pelas imagens exibidas pelas televisões os danos não são de pequeno porte. O presidente Bolsonaro já ordenou a formação de uma força-tarefa de três ministros para irem até o local. Isso não dá em nada. Dilma também fez a mesma coisa, até sobrevoou Mariana.

CASSAR A CONCESSÃO – O que é preciso, imediatamente e sem delongas, é baixar um decreto cassando a concessão que a União assinou em favor da empresa responsável por Brumadinho, e no mesmo decreto de cassação abrir prazo para nova licitação, sem a participação do culpado pela tragédia de hoje.

“As jazidas, em lavra ou não, e demais recursos minerais e os potenciais de energia hidráulica constituem propriedade distinta da do solo, para efeito de exploração ou aproveitamento, e pertencem à União, garantida ao concessionário a propriedade do produto da lavra” (Constituição Federal, artigo 176).

Bolsonaro nem precisa esperar para baixaR o decreto. Esperar o quê e por quê? A tragédia está consumada. Consumada e repetida. Se o governo Bolsonaro repetir a frouxidão do governo Dilma, vêm aí mais tragédias iguais.

37 thoughts on “Bolsonaro precisa cassar a concessão da Vale em Brumadinho, agora e sem delongas

    • O PT denunciou isto durante anos. Lembra a “herança maldita”? Pois entraram no governo e por quatro mandatos não anularam nada, não fizeram cpi e não fiscalizaram. Apenas roubaram.
      E esta foi a maior “herança maldita” que FHC nos deixou.
      Fallavena

      • Vamos lembrar que os 3 poderes da republica são independentes? Quem abre CPI é o legislativo…dominado pelas bancadas da bala, do boi e da bíblica.

        As mesmas bancas que hoje dão sustentação ao novo velho governo militar.

          • Não queria mas temos de saber por que Alex odeia e tem tanto medo de militares.

            São verdes mas não são marcianos!

            Se os militares tivessem feito 1% do que a corja civil fez…

    • Não, a vale não era lucrativa, dava prejuizos gigantescos e ainda por cima direção perdularia, dito isto quem afundou a cpi das privatizações foi o governo que tinha o congresso literalmente no bolso, e se não me engano era o pt, e se foi reincidente foi por obra e graça de pilantrel e a anta

  1. Uau como gostamos de nos repetir, agora outra barragem de desastre anunciado se rompeu e matou gente. E o mais incrível de tudo é que foi no mesmo estado, até parece piada mas de mau gosto. E não será a última vez que isto vai acontecer, é o mesmo que está acontecendo com os viadutos nas vias marginais paulistanas, um caiu depois veio outro e virão mais, muitos outros mais, outra tragédia anunciada. Mais um pouco e começaremos a fazer apostas, qual será a tragédia da vez?

  2. Medidas precisam ser tomadas, mas com técnicos e não apenas política.
    E isto não é feito em 25 dias!
    Agilidade não é rapidez. Já tem uns e outros que estão dizendo que o governo Bolsonaro não resolveu nada.
    Fechar, vender? Calma. Tomara sejam poucas as vítimas e com recuperação.
    Quando lembro que morrem 60 mil por ano pela criminalidade, etc, penso que deveríamos fechar era o país!
    E começar tudo novamente!
    Fallavena

  3. E no Pimentinha? Não vai nada? Quatro aninhos falindo MG e de conversinha fiada com a Vale, sem cobrar as multas da Samarco. E agora o Bolsonaro tem que resolver a mherda que o PSDB e PT, por décadas, fizeram em uma canetada?
    Menos né? Já está ficando ridícula essa marcação cerrada, sempre deixando prá lá os causadores da tragédia.

  4. “CAPITALISMO É UM BICHO VIRTUOSO, mas não pode ser criado solto, sob pena de fazer estragos irreparáveis. Deus-mercado, desídia, espoliação, lama e tragédia, ambiental e social. Tudo em função do investimento mínimo em busca do lucro máximo. Eis as consequência do capitalismo selvagem à moda brasuca, capitaliza-se os lucros e socializa-se os prejuízos, o meio ambiente, as vítimas e o resto que se danem, e o contribuinte que pague a conta da tragédia. https://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2019/01/25/barragem-da-mineradora-vale-rompe-na-reg

      • Sr. Eduardo, concordo. Mas o Presidente da nação tem que ter pulso firme e exigir deste JUDICIÁRIO DE MERDA, uma postura diferente do que nos treze anos de TREVAS que vivemos. Simples assim.
        Atenciosamente.

        • Amigo Espectro

          Temos Leis, Normas, regulamentos e tecnologia de toda a espécie para que essas inadmissíveis tragédias nunca aconteçam.

          Olhando para Mariana vemos a causa da repetição absurda de mais um tragédia: IMPUNIDADE associada à leniência principalmente do JUDICIÁRIO.

          O executivo estadual e federal por falha na fiscalização também tem culpa.

          É o interesse econômico acima de tudo e infelizmente de centenas de vidas.

          Abraços atenciosos.

  5. No início da década de 80, enfrentaram-se no Estádio Furiani, na Ilha da Córsega, o Bastia e o próprio Furiani. Em pleno jogo uma parte da arquibancada desabou: 38 mortos.
    Imediatamente, a pedido do Ministério Público francês (parquet) a Justiça decretou, no mesmo dia, a prisão do presidente da Federação Francesa de Futebol e do Furiani.

    • Retificação: o acidente ocorreu em Maio de 1992, no Estádio Armand Cesari, e o jogo era entre o Bastia e o Olympique de Marseille: 18 mortos.. O decreto de prisão foi contra o presidente da Federação Francesa de Futebol e contra o presidente do Bastia.

        • Dr Béja, estamos muito distante da França, mesmo da França de hoje.
          Temos muito mais riqueza do que eles, mas de cultura, educação e ensino …

          Não duvide. Aqui, as famílias das vítimas teriam de, após anos e anos, recorrer a um tribunal internacional.

          Um dia entenderão o que tenho dito: nosso problema é o povo, mesmo sendo bondoso, acolhedor e tudo mais que se queira dizer de bondade.

          mas, quando chega na responsabilidade, boa parcela é corrupta, safada, vigarista por natureza.

          Basta analisar nossas origens. Mesmo sendo espirita, não me permito enganar as pessoas, escondendo a verdade.

          Abraço fraterno
          Fallavena

  6. “O empreendimento, e também a barragem, estão devidamente licenciados, sendo que, em dezembro de 2018, obteve licença para o reaproveitamento dos rejeitos dispostos na barragem…”
    Ainda segundo a Semad, a barragem “tinha estabilidade garantida pelo auditor, conforme laudo elaborado em agosto de 2018”.
    Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad).
    Pi-men-té-él! Aonde estás que não responde?
    Grande FDP. Renovou o licenciamento em dezembro, no apagar das luzes.

    • Al
      Bem sei que vou dar início a outra discussão, mas paciência.

      O que ocorreu não tem nada com acidente – é negligência.

      Acreditas que houve falha humana ou foi provocada por estranhos fenômenos?

      Sem acompanhamento, sem fiscalização e com legislações fracas, não pode-se dar a isto o nome de acidente.

      Abraço
      Fallavena

  7. Muita gente é responsável por isso. Principalmente a nossa justiça que funciona a passos de cágado.

    Se já houvesse punição severa sobre o ocorrido em Mariana, talvez isso não tivesse acontecido.

    Quanto ao debate empresa privada e empresa pública, lembro que Chernobyl era uma empresa pública de um estado parecido com o que os petistas sonham.

  8. Mais de duzentos mortos. Quatorze milhões de metros cúbicos de rejeitos destruindo tudo o que estava na frente, contaminando, como foi contaminado o Rio Doce, um rio de mais de quinhentos quilômetros de extensão que além de alimentar de água toda a região metropolitana de Belo Horizonte e todas as cidades da sua bacia, vai desaguar no rio São Francisco. Pescadores e agricultores sem ter mais o que fazer. As sirenes de alarme, segundo operários sobreviventes, não funcionaram. A companhia é tão inteligente que colocou suas instalações administrativas e seu refeitório logo a jusante das barragens de rejeitos. E o presidente da Vale vem nos dizer que esta barragem estava segura, após cuidadosa auditoria. A Vale agora é reincidente, responsável pelos dois maiores desastres ambientais da mineração mundial. Depois do primeiro, já lá vão mais de três anos, ninguém foi preso, ninguém foi punido, e os prejudicados continuam lutando para receber suas indenizações, sem falar nos irreparáveis danos ambientais, enquanto a companhia gasta uma nota no horário nobre da televisão para dizer que “A Vale preserva”. Vai continuar tudo do mesmo jeito?

  9. Caro Jurista,

    -O que causou o “acidente” em Mariana foi a irresponsabilidade.
    -Agora, o que causou o “acidente” em Brumadinho foi a IMPUNIDADE REINANTE NESTA NAÇÃO, conforme mostra a fama internacional adquirida pelo nosso famigerado Supremo Tribunal Federal!
    -Se os responsáveis pelo primeiro fato estivessem NA CADEIA nada disto agora teria acontecido.

    -Não foi por acaso que o Battisti e o Ronald Biggs ficaram raízes nesta Terra…
    -Nem foi por acaso que o avião italiano “possou longe” da nossa Esplanada dos Ministério quando levava o terrorista para a Itália…

    (Se nada mudar, é só “enterrar os mortos” e esperar o próximo “acidente”)

    Abraços.

  10. Getúlio Vargas criou a Vale do Rio Doce para industrializar o Brasil com seus próprios recursos. FHC privatizou-a, ela passou a vender ferro bruto para a China e o Brasil desindustrializou-se. Para o dono da Vale, fica um lucro bilionário. Para o Brasil, montanhas viram buracos e a lama de Mariana e Brumadinho espalha-se pelas cidades para todos lembrarem-se o que significa privatização: lucro de um homem, prejuízo de uma nação.

  11. Atual ministro do Meio Ambiente no governo de Jair Bolsonaro, Ricardo Salles foi indiciado e condenado por adulterar mapas e a minuta de decreto do Plano de Manejo da Área de Proteção Ambiental Várzea do Tietê, na Região Metropolitana de São Paulo, para beneficiar empresários, especialmente do setor de mineração, vinculados à Federação das Indústrias do Estado (Fiesp). https://www.diariodocentrodomundo.com.br/bolsonaro-vai-a-brumadinho-com-ministro-condenado-por-beneficiar-mineradoras

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *